A cura do câncer está ao alcance de todos. Só que não!

Boato – Vídeo mostra que a cura do câncer já foi descoberta no Brasil e a indústria farmacêutica quer abafar o caso. A única coisa que você precisa fazer é entrar na Justiça e pedir a fosfoetanolamina sintética.

Desde sempre, histórias de que a cura do câncer foi encontrada dá o que falar, mas esse boato está rompendo limites. Depois de uma reportagem da EPTV (afiliada da Rede Globo em São Paulo) apontar que um professor de química já havia testado a substância em pessoas e elas apresentaram melhoras, o Boatos.org fez uma postagem falando que os milagres da fosfoetanolamina sintética não tinham nenhuma comprovação. E quando achávamos que o caso estava encerrado, eis que tudo recomeça.

Fosfoetanolamina é a cura do câncer descoberta no Brasil
Fosfoetanolamina é a cura do câncer descoberta no Brasil

Na segunda semana de outubro, um advogado publicou um vídeo na internet com o sugestivo título de “a cura do câncer está ao alcance de todos”. O vídeo nada mais é do que a mesma reportagem da EPTV editada com alguns comentários do advogado. Junto ao vídeo foi publicado um texto no site ONGABC. Leia trechos do texto e assista ao vídeo:

A cura contra o câncer ao alcance de todos 

Essa é uma doença que assombra milhões de pessoas no mundo inteiro. Hospitais, médicos e laboratórios ganham milhões anualmente vendendo esperança de vida para os portadores, e nem sempre a cura é alcançada,e dizem por aí que essa doença não tem cura certo?

 Errado, um pesquisador da USP de São Carlos(Dr. Gilberto Orivaldo Chierice), descobriu uma substância que resolve o problema e sem deixar sequelas, sem enfraquecer o sistema imunológico, sem cair os cabelos, sem mutilar as pessoas. Teste foram feitos em mais de 800 pessoas portadoras da doença nos mais vários estágios, até mesmo aqueles nas chamadas fases terminais, e todos obtiveram excelentes resultados.

 Quando a notícia começou a se espalhar a USP de São Carlos suspendeu a fabricação e o pesquisador foi parar na cadeia; porque será? Será que é pelo fato de que o medicamento tem um custo baixíssimo? Também pudera né, esses pesquisador com um único medicamento estará desmantelando toda uma industria multinacional que ganha milhões com a desgraça alheia.

 Estamos falando da fosfoetanolamina sintética, uma substância que marca as células cancerígenas no organismo fazendo com que as células saudáveis façam o restante do trabalho atacando e eliminado as células naturalmente, sem deixar sequelas, sem causar maiores transtornos aos pacientes, trazendo sobrevida e a cura.

 Pois é que boa notícia não é mesmo. Para conseguir a liminar do tratamento junto a USP de São Carlos é necessário entrar com uma ação judicial conforme explicado pelo pesquisador da USP. A liminar para o tratamento com a fosfoetanolamina sintética rapidamente, afinal trata-se de um problema de saúde de extrema urgência e o judiciário sabe disso, e a partir daí o tratamento do passa a ser feito pela própria universidade.

Apesar de a postagem no site já ter sido deletada, ela viralizou no Facebook. E claro, a mensagem já estava passada. Só que antes de procurar um escritório de advocacia (que com certeza deve lucrar um bocado com tantos pedidos de liminares na Justiça), entenda algumas incorreções que estão na história.

Para começar, a primeira prova que a matéria da EPTV estava sendo mal interpretada (e também foi mal apurada, né?) é que o G1 tem tentado desmentir a história. Já apontaram que a fosfoetanolamina sintética nunca havia sido testada clinicamente. Claro que o número de pessoas que leram o boato foi muito maior do que o número de pessoas que leram o desmentido.

Para além disso, o vídeo e a postagem do escritório de advocacia deixam bem claro uma tentativa de angariar clientes para entrar na Justiça e, claro, pagar honorários. Marketing puro, Como a postagem original foi deletada, entendemos que os próprios membros do escritório não achou a estratégia das melhores. Ou pelo menos devem ter percebido que tinham escrito algumas informações erradas. Olha só três delas:

1) A cura do câncer está ao alcance de todos

Na verdade não. Como apontam estudos da própria USP, a pílula não passou por testes clínicos. Ou seja: apesar dos relatos de pessoas que “sentiram melhora”, não há provas científicas da eficácia da pílula.

2) Testes foram feitos em mais de 800 pessoas portadoras da doença nos mais vários estágios, até mesmo aqueles nas chamadas fases terminais, e todos obtiveram excelentes resultados

Também é mais uma falácia. Não foram “feitos testes” em pessoas. O teste acontece quando há um acompanhamento médico da evolução da doença. Só para ter uma ideia, o pesquisador da  fosfoetanolamina sintética nem médico é.

3) A substância resolve problema sem deixar sequelas, sem enfraquecer o sistema imunológico, sem cair os cabelos, sem mutilar as pessoas

É impossível dizer isso. Até o momento não foram feitos teste em pessoas. O próprio professor que sintetizou a fosfoetanolamina não soube dizer qual é a quantia correta a se tomar.

Resumindo a história: não há cura fácil para o câncer. Apesar de pessoas estarem otimistas com a fosfoetanolamina, não há nenhuma evidência de que ela é realmente eficaz para combater a doença. Apesar disso, um escritório de advocacia “botou lenha na fogueira” dizendo que a substância é eficaz. Se você quiser gastar dinheiro e se arriscar com um remédio que não tem eficiência provada, ótimo. Só não diga que a gente não avisou.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)