Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Saúde > É falso que 763 pessoas mostradas em vídeo “morreram ao vivo” por causa da vacina contra Covid-19

É falso que 763 pessoas mostradas em vídeo “morreram ao vivo” por causa da vacina contra Covid-19

763 pessoas famosas morreram ao vivo por causa da vacina da Covid-19, diz boato (Foto: Reprodução/Twitter)

Boato – Vídeo revela que 763 pessoas famosas morreram ao vivo após se vacinarem com a vacina contra a Covid-19.

Análise

Em tempos de campanhas de reforço de vacinação, fake news sobre a vacina contra a Covid-19 voltaram a circular na internet (o que mostra o mau-caratismo gigantesco de algumas pessoas). A história de hoje é um compilado chocante de vídeos.

Com a promessa de que se tratava de 763 pessoas que “morreram por causa da vacina contra a Covid-19”, o vídeo mostra diversas imagens de pessoas desmaiando pelo mundo afora (inclusive no Brasil), aponta que todos os casos foram de famosos, foram de mortes e foram causados pelos imunizantes. Leia mensagens que circula online (não iremos exibir o vídeo aqui):

Vídeo: é falso que Lula foi flagrado beijando Suzanne von Richtofhen

p-q-p !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! 763 pessoas famosas mortas após vacinação Covid…. ao vivo, diante das câmeras – os casos isolados famosos para acordar a população contra a vacina experimental que está matando

Checagem

Dado o conteúdo chocante do vídeo, ficam algumas perguntas no ar. Vamos responder às seguintes questões: 1) O vídeo mostra mesmo 763 pessoas que morreram por causa da vacina contra a Covid-19? 2) É possível dizer que as pessoas que morreram no vídeo tiveram a morte causada pela vacina contra a Covid-19? 3) É possível dizer que não devemos nos vacinar porque os imunizantes são mais perigosos do que a Covid-19?

O vídeo mostra mesmo 763 pessoas que morreram por causa da vacina contra a Covid-19?

Não mostra. Para começar, não foi possível checar se o vídeo mostra mesmo 763 desmaios de pessoas. O que foi possível checar é que o vídeo não mostra “apenas” casos de pessoas famosas que “morreram ao vivo”.

Para fazer a checagem, resolvemos buscar por uma amostragem do que foi exibido. Um dos casos escolhidos foi do vídeo que abre a lista: da comediante estadunidense Heather McDonald. Ela, de fato, “desmaiou” quando estava falando de Covid-19 durante uma apresentação. Porém, foi só um desmaio (de causa não relacionada à vacina). Ela está viva e bem.

Resolvemos também pegar os casos relativos ao Brasil. São da jornalista Anne Barreto, Vanessa Medeiros, do jornalista Rafael Silva, do maratonista Daniel do Nascimento, do jogador Philipe Sampaio e do também jogador Anderson Costa. 

O único caso que houve morte foi do jogador Anderson Costa. Todos os outros foram de desmaios causados por diversos motivos. O mais grave foi do jornalista Rafael Silva, que teve um infarto. Ele também se recuperou. Ou seja: o vídeo não mostra “mortes de pessoas” (por sinal, nem todas são famosas).

É possível dizer que as pessoas que morreram no vídeo tiveram a morte causada pela vacina contra a Covid-19?

Mais importante do que ocorreu, é importante frisar que não há comprovação de que os casos tenham qualquer relação com a vacina contra a Covid-19. O que as pessoas do vídeo estão fazendo é pegando casos aleatórios para atribuir a uma causa sem comprovação. Ou seja: mistura de leviandade com mau-caratismo.

É possível dizer que não devemos nos vacinar porque os imunizantes são mais perigosos do que a Covid-19?

Mesmo que as vacinas possam causar alguns efeitos colaterais (que são, normalmente, leves) há um fator que os grupos antivacinas ignoram é que a Covid-19 (doença para a qual a vacina é comprovadamente eficaz) matou milhões (sim, milhões) de pessoas pelo mundo. Ou seja: o que a ciência fala é que os imunizantes são seguros e que os benefícios superam os riscos.

Conclusão

Fake news ❌

Estamos quase no final de 2023 e estamos falando sobre fake news com algo que tem “19” no nome. Mas como somo incansáveis (assim como os antivax), cá estamos para desmentir mais uma mentira. O vídeo que está circulando não mostra 763 mortes e não há comprovação de que os casos tenham relação com a vacina contra a Covid-19.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610)