Filme Malévola é uma propaganda do inferno, diz teoria da conspiração

Filme Malévola é propaganda do inferno, diz boato
Filme Malévola é propaganda do inferno, diz boato

Boato – Filme da Disney é uma “fedorenta propaganda do inferno”. Líderes religiosos dizem que pais cristãos não devem deixar seus filhos assistem Malévola, porque em inglês o título “Maleficent” significa “fazer o mal, causar dano”.

Muitos filmes já foram vítimas da teoria da conspiração cristã, como a franquia Harry Potter (o bruxo teria poderes sobrenaturais) e a animação superpremiada Avatar. Até a trilogia Matrix entrou para o meio da história. Dessa vez a vítima é o filme Malévola, que tem como protagonista a bela Angelina Jolie.

O filme conta a história da Bela Adormecida pela perspectiva da vilã, que no conto de fadas é a responsável por fazer a princesa e todos os empregados de seu reino caírem em um sono profundo de cem anos.

Vale lembrar que o objetivo desse site de boatos não é discutir a fé de ninguém, mas não pudemos deixar de notar os absurdos proferidos a respeito de Malévola. O maior boato sobre o filme surgiu em inglês, por meio do colunista do site WND, Drew Zahn, escreveu um longo artigo dizendo que algo no novo filme da Disney o deixou muito desconfortável, e não é a clássica história sendo contada pelo olhar da vilã.

O problema de Drew começa pelo título do filme: Maleficent, em inglês. Para ele, o filme tem uma grande semelhança com o livro de Daniel, na Bíblia, que conta a história de Satã, o mais lindo dos anjos. No Brasil, o texto foi publicado no site Gospel Mais. Leia trechos:

O filme “Malévola”, que narra o conto da Bela Adormecida a partir da perspectiva da vilã, vem sendo criticado por lideranças cristãs, que aconselham pais cristãos a não permitirem que seus filhos o assistam.

Sob a perspectiva religiosa, o colunista do WND, Drew Zahn publicou um artigo afirmando que não é aconselhável assistir ao filme, e que o título em inglês, “Maleficent”, significa “fazer o mal, causar dano”.

Zahn diz que no filme, a “bruxa” é retratada como alguém que, “na verdade começou como uma linda menina, o maior e mais belo dos seres celestiais, até que o rei mal nesta história tirou suas asas e lançou-a para a terra”.

A partir desse ponto, “consumida pelo desejo de vingança, ela se torna uma rainha pagã sobre o mundo sobrenatural, auxiliada por seus criados, incluindo ‘Balthazar’ (o último rei da Babilônia, de acordo com o livro de Daniel na Bíblia) e ‘Diablo’, e torna seu objetivo de vida vingar-se do rei amaldiçoando e destruindo seu filho”. A semelhança da história de Malévola com a narrativa bíblica sobre satanás levou Zahn a dizer que o filme é uma “propaganda fedorenta do inferno”.

 

“Talvez esta seja apenas uma releitura criativa do conto de fadas que por coincidência usa termos bíblicos e imagens satânicas para fazer Malévola parece mal. Talvez eu devesse dizer que Angelina Jolie é magnífica atuando como Malévola no filme da Disney, que é levemente divertido e com grandes efeitos especiais, mas com um elenco de apoio que não conseguiu igualar o desempenho de Jolie e assim arrastou a coisa toda à mediocridade. Mas os que estão familiarizados com os livros de Daniel, Apocalipse e algumas das outras passagens-chave das Escrituras pode se perguntar, como eu faço, por quê o filme se assemelha tão de perto à história de satanás (o filho da manhã, o mais belo dos anjos, despojado da glória, lançado à terra, escondido nas sombras, procurando vingar-se do Pai, destruindo seus filhos), a profecia bíblica (a rainha da Babilônia, montada em um dragão) e as mentiras do próprio diabo (‘o Pai não te ama, mas siga-me, e eu vou fazer você gostar de um deus’). Se os cineastas na Disney sabiam o que significava todos esses paralelos, ‘Malévola’ é nada menos do que uma fedorenta propaganda do fogo do inferno”, comentou o colunista.

É realmente difícil de entender como funciona a cabeça de algumas pessoas. Meio complicado imaginar que o diabo está se manifestando em forma de Angelina Jolie e que receberemos uma visita do rei do submundo em 2017. Vale lembrar que há muitas obras sendo acusadas de serem satânicas. E nada foi comprovado.

E vamos pensar: será que toda história de alguém que era bondoso e se transforma em alguém “do mal” tem que remeter a história de lúcifer. Vale pensar que nem tudo no mundo gira em torno da Bíblia. E se fosse assim, a história original da Bela Adormecida também seria do diabo

Também vale analisar que Drew Zahn, o articulista que deu todo início à polêmica, não usou nada científico para falar. Apenas jogou trechos e trechos. Como o ônus da prova é de quem acusa, nada podemos falar do filme. Revivals do Chifrudo a parte, a Disney arrasou mais uma vez transformado contos de fadas em histórias de gente grande.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)