Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Religião > Imagens de Jesus Cristo não foram feitas pela máquina Cronovisor e não são reais

Imagens de Jesus Cristo não foram feitas pela máquina Cronovisor e não são reais

Cronovisor é uma máquina do tempo que fotografou Jesus Cristo, diz boato (Foto: Reprodução/Twitter)

Boato – Cronovisor, máquina que consegue fazer fotos e vídeos do passado e do futuro, gravou momentos reais de Jesus Cristo

Análise

Para pessoas religiosas, qualquer descoberta sobre a vida de Jesus Cristo e seus apóstolos é motivo de muita curiosidade e celebração. E não foi diferente nas últimas semanas, quando um vídeo bastante surpreendente começou a circular nas redes sociais.

De acordo com as imagens, pessoas teriam gravado imagens reais da vida de Jesus Cristo, no passado. Segundo a história, isso teria sido possível por causa de um aparelho chamado Cronovisor, que estaria em posse do Vaticano e conseguiria registrar sons e imagens do passado e do futuro. Confira:

Vídeo: é falso que imagens mostram Lulinha agredindo a esposa

Versão 1: “Essas são imagens reais de Jesus Cristo caminhando entre a multidão. Essas imagens só foram possíveis graças a um aparelho chamado Cronovisor. O Cronovisor é uma suposta máquina que permite visualizar eventos passados e futuros. De acordo com relatos, ele teria a capacidade de capturar imagens e sons do passado, reproduzindo momentos históricos com incrível precisão. Alega se que o Cronovisor é uma tecnologia avançada, que combina princípios científicos e esotéricos, mas sua existência permanece envolta em mistério.

As explicações sobre como o Cronovisor poderia funcionar variam amplamente. Algumas teorias sugerem que ele utiliza a luz e as ondas eletromagnéticas como meio para capturar eventos passados, enquanto outras especulam sobre o uso de princípios quânticos para acessar diferentes linhas do tempo. No entanto, a falta de detalhes técnicos específicos enfraquece a credibilidade dessas teorias”.

Versão 2: “Imagens REAIS de JESUS CRISTO vista por um CRONOVISOR!”. Versão 3: “IMAGENS REAIS DE JESUS CRISTO. OBTIDAS COM O “CRONOVISOR”. UMA “SUPOSTA” MÁQUINA. QUE PERNOITE VISUALIZAR EVENTOS PASSADOS E FUTUROS. BICHO. EU AMO O TELEGRAM”. Versão 4: “Imagens reais do cronovisor que está no Vaticano”.

A história viralizou rapidamente nas redes sociais, em especial, no X (antigo Twitter) e no Tik Tok e deixou muita gente admirada. Apesar disso, a história apresenta algumas características de fake news que deixam dúvidas sobre sua veracidade, como o caráter vago, alarmista, a falta de fontes confiáveis e a ausência de notícias sobre o assunto em veículos de comunicação confiáveis.

A partir daí, investigamos um pouco mais sobre essa história e vamos te contar se essa história é verdadeira ou não: 1) O que é o tal Cronovisor? 2) O Cronovisor fez imagens reais de Jesus Cristo? 3) De onde surgiram as imagens de Jesus Cristo?

Checagem

O que é o tal Cronovisor?

O Cronovisor surgiu a partir de teorias conspiratórias. De acordo com quem acredita nele, o Cronovisor seria um aparelho que permitiria que as pessoas enxergassem através do tempo. O aparelho é uma máquina, composta por uma antena de uma liga de metais, um tubo de visualização e um projetor de três dimensões, recebendo sinais de som e luz em todos os comprimentos de onda. A partir dele, as pessoas poderiam assistir eventos do passado, como a vida de Jesus Cristo. A existência do aparelho, entretanto, nunca foi provada. O que existe é apenas um projeto do aparelho.

Segundo informações, em 2022, um livro escrito pelo padre François Brune afirmou que a máquina seria real. Segundo o padre Brune, o Cronovisor foi desenvolvido pelo Padre Pellegrino Ernetti, um monge beneditino. Ainda segundo o livro, Ernetti teria revelado a Brune a existência do suposto aparelho no início dos anos 1960. De acordo com o relato, 12 cientistas, envolvendo o físico Enrico Fermi e o ex-cientista nazista Wehnher von Braun participaram do desenvolvimento do projeto.

O cronovisor fez imagens reais de Jesus Cristo?

Não. O padre Pellegrino Ernetti afirmou que conseguiu ver muitas passagens históricas, como a crucificação de Jesus Cristo, um discurso do Cícero no senado romano em 63 antes de Cristo (A.C.) e uma apresentação de Tiestes, uma tragédia perdida escrita por Quintus Ennius, em 169 A.C. Porém, Ernetti nunca mostrou o aparelho a ninguém. Como prova, ele chegou a fornecer detalhes da peça Tiestes em latim e uma imagem do que seria Cristo crucificado. Porém, a história não durou muito e pouco a pouco as provas de Ernetti começaram a ser contestadas.

Além disso, há um ponto muito importante aqui: como conseguiríamos ver imagens do passado se, na época em que Jesus Cristo viveu, não existiam máquinas de gravação de imagens? Se isso não bastasse, a história sobre o Cronovisor só foi divulgada publicamente após a morte de Enrico Fermi e Wehnher von Braun, não sobrando ninguém para confirmar (ou refutar a história). Além disso tudo, essa história de Cronovisor mais parece uma história fictícia de multiverso escrito pela Marvel. E convenhamos, até hoje, nenhum cientista conseguiu tal feito de viajar para o passado ou para o futuro.

De onde surgiram as imagens de Jesus Cristo?

A imagem usada como prova era uma farsa. De acordo com uma revista italiana, a foto da suposta crucificação de Cristo era um cartão postal do Santuário dell’Amore Misericordioso, em Collevalenza, na Itália. A imagem em questão mostrava uma escultura de Cristo feita pelo artista Federico Coullaut-Valera. A partir daí, historiadores também começaram a questionar a suposta transcrição da peça Tiestes.

Se isso não bastasse, a mesma revista italiana apontou a semelhança do projeto do Cronovisor com um dispositivo que aparecia em uma novela de ficção científica, em 1947. E, por fim, segundo fontes próximas, Ernietti também teria confessado a farsa em seu leito de morte, em 1994.

Conclusão

Fake news ❌

O Cronovisor não fez imagens de Jesus Cristo e não pode mostrar acontecimentos do passado e do futuro. A história do Cronovisor chegou ao público nos anos 1960, mas o tal aparelho nunca foi mostrado a ninguém. O padre Pellegrino Ernetti, que afirmava ser um dos inventores da máquina, teria distribuído “provas”. Porém, cada uma delas começou a ser contestada e refutada. A maior prova de Ernetti seria uma imagem da crucificação de Jesus Cristo.

Mas revistas da época descobriram que a imagem era uma foto do cartão postal do Santuário dell’Amore Misericordioso, em Collevalenza, na Itália, e mostrava uma escultura de Cristo feita pelo artista Federico Coullaut-Valera. As mesmas revistas também provaram que o projeto do Cronovisor tinha muitas semelhanças com um dispositivo exibido em uma novela de ficção científica, em 1947. Por fim, o próprio Ernetti teria confirmado, em seu leito de morte, que o Cronovisor se tratava de uma farsa.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610)