Texto falso do golpe militar: Dilma não é mais presidente do Brasil

Boato anuncia golpe militar versão 2014
Boato anuncia golpe militar versão 2014

Boato – Documento oficial do Quartel General de Brasília circula nas redes sociais anunciando novo golpe militar após eleições 2014.É oficial, haverá novo golpe militar, que será iniciado no dia 16 de setembro a partir de notificação oficial ao Congresso. Espera, não, não é. Percorre as redes sociais um suposto texto escrito pelo Quartel General do Exército – SMU e assinado por mais de 350 militares. O Ato Notificatório de Cidadania, como é chamado, é destinado a atual presidente Dilma Rousseff e ao Ministro da Defesa, Celso Amorim. O texto enorme você pode conferir na íntegra no link a seguir:

Leia o texto que anuncia o golpe militar de 2014

Basicamente, o conteúdo da carta aponta o governo petista de Dilma Rousseff como terrorista, comunista e bandido. Anuncia a intervenção dos militares nacionais a partir de 16 de setembro e afirma que o golpe se dará depois das eleições para ‘matar dois coelhos com uma cajadada só’. Além de absurdo ainda anuncia intervenção sobre o novo governo que não sabemos qual será.

Todavia, porém, entretanto (para ficar bem enfático mesmo), o texto é falso. Primeiro porque nenhum documento oficial seria compartilhado em redes sociais por uma pessoa sabe-se lá Deus de onde e ainda mais sobre um assunto que pode mudar a estrutura política do país. Vide Golpe de 1964, que foi idealizado por baixo dos panos e não foi anunciado aos quatro ventos antes de acontecer.

Curta também a nossa página no Facebook e não caia em boatos

Segundo, porque se trata de um texto cheio de falhas, do tipo erros básicos de português e concordância mesmo. Palavras como “miliar”, “armdas”, “depreendimento” e “podere” passaram pela revisão minuciosa que qualquer documento de tamanha importância deve receber antes de ser divulgado. Até os xingamentos destinados ao governo atual, que é colocado no grupo dos movimentos terroristas como “Al Quaeda” e “Esbolah” estão escrito errado. Como assim hein, nem para xingar certo?

Terceiro, até mesmo um membro do Partido Militar Brasileiro, totalmente a favor de uma intervenção militar (eufemismo comum para a palavra golpe) afirma em vídeo que até o momento não há manifestação nenhuma por parte das Forças Armadas de que algo assim vá acontecer.

E se as três razões anteriores são insuficientes, o final do documento define:

‘DISGTRIBUIÇÃO: A TODOS OS COMANDOS MILITARES DAS 3 ARMAS. À POLÍCIA FEDERAL E POLICIAS MILITARES. ÀS REDES SOCIAIS – ÀS AGENCIAS DE NOTÍCIAS’

Sem comentários para a grafia da palavra “distribuição”. Atentemos ao fato de que foi ordenado que esse documento fosse distribuído nas redes sociais (ok, está acontecendo), a todos os comandos militares, polícia federal e polícias militares. No entanto, até o momento nenhuma dessas instâncias se manifestou sobre o tal Ato Notificatório de Cidadania.

Aí podemos pensar: Ah, mas também, a ação é secreta, é por isso! Opa, se é secreta, porque o jurista do exército, suposta fonte oficial da coisa toda permitiu que o documento fosse divulgado na internet? Ou porque NENHUM (caixa alta para destaque) site de notícias confiável deu essa informação ainda. Imaginem se o Estadão perderia a manchete: Golpe Militar versão 2014 é anunciado! Claro que não.

A postagem prova sim, que há muitos brasileiros que apoiam a ideia de um novo golpe militar. Afinal foram mais de mil curtidas e cerca de 8.900 compartilhamentos. Nos comentários então, predomina o apoio.

Mas, lembremos que um golpe em pleno século XXI é meio improvável. Recordemos da Primavera Árabe que pôs fim a décadas de ditadura em vários países, com o aval da comunidade internacional. Que, aliás, é capaz de influenciar totalmente na política interna de um país através de sanções, de intervenções econômicas e até mesmo militares. É só puxar na memória, Iraque, Síria, Ucrânia…

E por fim, recordemos, só como exemplo mesmo, o NÃO apoio ao golpe militar a Honduras em 2009, quando a Organização das Nações Unidas condenou a ação no país da América Central.

Então, antes de sair acreditando em mais um boato é preciso ponderar que não estamos mais na década de 60 e que o mundo é outro faz tempo. Não estamos mais na ordem mundial bipartidária, onde tudo se resume à Esquerda e Direita, Comunismo e Liberalismo. No fim, há muito mais coisas entre a ‘notícia’ de um golpe e a certeza de que ele vai acontecer mesmo do que supõe qualquer vontade.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)