Temer declara apoio a Haddad no 2º turno das eleições 2018 #boato

Boato – O presidente Michel Temer acabou de declarar apoio ao candidato do PT Fernando Haddad e disse que votará nele no 2º turno das eleições de 2018.

Normalmente, um candidato que tem o apoio do Poder Executivo está mais próximo de vencer uma eleição. Esta máxima não está se repetindo nas eleições presidenciais de 2018. Como o atual presidente da República Michel Temer está com níveis de popularidade baixos, o que pode se ver nesta eleição foram candidatos “fugindo” (ou pelo menos se escondendo) do seu apoio.

Em meio a todo esse quadro, tem circulado na internet a informação de que Michel Temer resolveu apoiar um candidato no 2º Turno das eleições. Trata-se do petista Fernando Haddad (PT). Encontramos a informação de duas formas.

Uma delas aponta para um link da revista Veja com o seguinte título: “Com presença de Temer, PMDB oficializa apoio a Haddad”. Junto a ele há uma imagem do presidente, Haddad e Gabriel Chalita (político que era filiado ao PMDB e está no PDT) juntinhos em um palanque.

A segunda forma que vimos a informação foi por meio de uma postagem de um blog de “direita” que apontava o seguinte: “Temer assume voto em Haddad. O Presidente, vice tido como ‘golpista’ por setores do PT assumiu votar em Fernando Haddad. A informação é da Veja”.

Temer declarou apoio a Haddad no 2º turno das eleições 2018?

Não demorou muito para a história se espalhar e render comentários como “o “golpista” declarou apoio a Haddad. Agora fiquei curioso: como fica a turminha do “FORA TEMER”?” em redes sociais. Mas será mesmo que a informação procede e Temer declarou apoio a Haddad nestas eleições? A resposta é não. Calma que a gente explica.

Antes de entrar nas fontes citadas acima e explicar os motivos de elas serem falsas, vamos raciocinar sobre a questão em âmbito mais geral. É fato que (assim como diz o Cabo Daciolo) PT e MDB (antes PMDB) ficaram anos e anos “casalzinho” no poder. Porém, o “namoro” dos dois partidos acabou quando Dilma saiu do poder e Temer assumiu o posto de presidente.

De lá para cá, petistas chamam Temer de golpista, que os rebate com nada muito carinhoso. Não faria muito sentido aparecer um apoio público agora. Essa tese é reforçada ao notarmos que o MDB (que, no primeiro turno, teve como candidato o ex-ministro Henrique Meirelles) resolveu se manter “neutro” e “liberar” os filiados a apoiar quem preferir nos estados (seja Haddad ou Bolsonaro).

Vale acrescentar um detalhe. Temer, que tem atacado como “youtuber” durante as eleições, em nenhum momento declarou publicamente apoio a Haddad ou a Bolsonaro. Ao contrário. Temer chegou até a criticar Haddad em um dos vídeos que ele soltou durante a campanha.

Já deu para ver que a história é difícil de ser real, mas ainda precisamos explicar os textos que viralizaram. O da Veja é simples. Trata-se de uma matéria antiga que está circulando na internet. Ela é referente às eleições municipais de 2012 em São Paulo.

Na época, Temer e o PMDB declararam apoio a Haddad após derrota do candidato do partido, Gabriel Chalita, no primeiro turno. Vale lembrar que, naquele tempo, Temer e o PT desfrutavam juntinhos (como diria Cabo Daciolo) do poder. Ou seja: a matéria é antiga e está sendo compartilhada como nova.

Já o outro conteúdo (publicado no blog de direita) que cita a “Veja” não deixa muito claro de qual matéria fala. Se for a que citamos antes, está explicado. Mas há chances de o site ter se baseado em uma nota da coluna do jornalista Ricardo Noblat que dizia que “Temer votaria em Haddad”. Se for isso, ela também já foi desmentida pelo próprio Temer.

No Twitter, o atual presidente publicou o seguinte: “@BlogdoNoblat você já disse no passado que eu iria renunciar. Errou. Agora, já definiu meu voto no segundo turno, se houver. Não decidi. Tem fonte mentindo para você. E você ainda acredita”. Ou seja, a fonte não vale mais.

Resumindo: além de ilógica e desgastante para os dois lados (o PT não quer Temer e Temer não quer o PT), a história que aponta que o atual presidente declarou apoio a Haddad é falsa. Em uma versão, é “só” antiga. Na outra, é errada mesmo.

Agora é importante fazer uma ressalva. O presidente até pode não gostar de Haddad, mas a filha dele gosta. Luciana Temer acabou de declarar publicamente que votará em Haddad nas eleições 2018. Vale lembrar que ela foi secretária municipal de Assistência Social na gestão dele na cidade São Paulo.

PS: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, no Facebook e WhatsApp no telefone (61) 991779164

Compartilhe este artigo:

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)