Smartmatic, da Venezuela, vai comandar apuração nas eleições do Brasil #boato

Boato – Atenção! Após vencer licitação do TSE, empresa venezuelana Smartmatic será responsável pela apuração das eleições 2018 no Brasil. 

Se você acha que as loucuras pelas quais viveram os candidatos à Presidência nas últimas semanas denotariam o fim das coisas estranhas nessas eleições, está enganado. Parece que vem mais bomba por aí e, agora, o assunto é apuração dos votos.

Segundo publicações que estão circulando nas redes sociais, uma velha conhecida dos brasileiros está prestes a causar mais um “escândalo”. A empresa venezuelana Smartmatic teria vencido um pregão do TSE e agora seria responsável pela apuração de votos nessas eleições.

Ainda de acordo com as publicações, a empresa irá fornecer 30 mil impressoras e 75 mil urnas para as eleições de 2018 no Brasil. O texto ainda afirma que a única concorrente da empresa venezuelana teria sido uma empresa que fornece gelo seco e sinalização de obras em rodovias para órgãos do governo. Confira o texto que circula online (publicado em um blog “daqueles”):

Smartmatic da Venezuela comandará apuração das eleições 2018 no Brasil A Smartmatic venceu  a licitação com o menor preço o pregão eletrônico do TSE e agora ficará responsável pelas eleições 2018 no Brasil.Você está pensando que é brincadeira? Não não é…

Conforme o Antagonista publicou dia 26/01, a 3 dias atrás vejam: “Ninguém deu bola para o pregão do TSE que escolheu a Smartmatic como fornecedora de 30 mil impressoras e 75 mil urnas (com o software) para as eleições deste ano. É uma pena, pois há muitas curiosidades sobre o certame.

Smartmatic vai comandar apuração nas eleições 2018 do Brasil?

Bem, sabemos que a empresa Smartmatic já é uma velha conhecida dos brasileiros (e que também já recebeu outras acusações de fraude). Mas será que essa história de que a Smartmatic teria vencido a licitação e seria a nova responsável pela apuração dos votos nas eleições 2018 é verdade? A resposta é não. Vamos aos fatos!

Para começo de história, é importante entender como o nome da empresa acabou sendo envolvido na história. A Smartmatic é uma empresa venezuelana (o que deixa muita gente de direita de cabelo em pé). Depois disso, a empresa tem, de fato, acusações de fraudes. Na Venezuela, por exemplo, ela chegou a entrar em conflito com o governo.

Mas e o que faz a história ser mentira? Vamos lá! O texto foi publicado em um site de fake news, que volta e meia faz publicações sobre intervenção militar e tem como objetivo “combater o comunismo no Brasil”. O tal site usou como fonte um artigo (à época real) do site O Antagonista sobre a vitória da Smartmatic em uma licitação para fornecer impressoras para o TSE colocar em prática o voto impresso.

Se a informação da licitação ainda fosse válida, ela já seria uma informação distorcida, uma vez que a vitória da Smartmatic (como aponta o Antagonista) não foi para “comandar a apuração” e sim para fornecer impressoras. Para explicar, é preciso fazer um parênteses e relembrar a questão do voto impresso (importante: não vamos entrar no mérito da questão).

Em 2015, o Congresso Nacional aprovou um projeto que previa a impressão dos votos nas eleições. E é claro que a mudança traria a necessidade de uma licitação. Foi aí que a empresa Smartmatic resolveu concorrer (e até se habilitou na primeira fase). É importante ressaltar que a inserção do sistema de impressão se daria em apenas 5% das urnas. Mas nem isso ocorreu.

Dias após a publicação dessa informação, a Smartmatic foi reprovada. Isso porque, após a realização de um teste de impressão, a comissão técnica da Corte Eleitoral julgou que o modelo da Smartmatic não atendia às exigências do edital (como apontou o próprio Antagonista).

No mesmo dia em que a Smartmatic foi reprovada no teste, a Procuradoria Geral da República (PGR) pediu a anulação do voto impresso para as eleições deste ano. Em junho deste ano, o STF derrubou a impressão do voto impresso nas eleições presidenciais de 2018, afirmando que a medida poderia colocar em risco o sigilo do voto.

Já deu para ver que a licitação não vale mais, mas é importante destacar mais alguns pontos: quem comanda a apuração das eleições é o TSE (Tribunal Superior Eleitoral). E, bem, também é importante lembrar que as urnas eletrônicas no Brasil não são da marca Smartmatic. Como já explicado pela equipe do Boatos.org, no Brasil, o trabalho da empresa venezuelana se restringe à instalação de antenas, treinamentos e facilitação de comunicação de dados.

Em resumo: a história de que a empresa venezuelana Smartmatic irá comandar a apuração de votos nas eleições 2018 no Brasil é falsa. A informação que viralizou diz respeito a uma licitação para cuidar da impressão dos votos nas eleições (que iria abranger apenas 5% das urnas) e a empresa nunca liderou a apuração das votações no Brasil, que fica a cargo de técnicos do TSE. Ou seja, é #boato.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)