Smartmatic, da Venezuela, vai comandar apuração nas eleições do Brasil #boato

Boato – Atenção! Após vencer licitação do TSE, empresa venezuelana Smartmatic será responsável pela apuração das eleições 2018 no Brasil. 

Se você acha que as loucuras pelas quais viveram os candidatos à Presidência nas últimas semanas denotariam o fim das coisas estranhas nessas eleições, está enganado. Parece que vem mais bomba por aí e, agora, o assunto é apuração dos votos.

Segundo publicações que estão circulando nas redes sociais, uma velha conhecida dos brasileiros está prestes a causar mais um “escândalo”. A empresa venezuelana Smartmatic teria vencido um pregão do TSE e agora seria responsável pela apuração de votos nessas eleições.

Ainda de acordo com as publicações, a empresa irá fornecer 30 mil impressoras e 75 mil urnas para as eleições de 2018 no Brasil. O texto ainda afirma que a única concorrente da empresa venezuelana teria sido uma empresa que fornece gelo seco e sinalização de obras em rodovias para órgãos do governo. Confira o texto que circula online (publicado em um blog “daqueles”):

Smartmatic da Venezuela comandará apuração das eleições 2018 no Brasil A Smartmatic venceu  a licitação com o menor preço o pregão eletrônico do TSE e agora ficará responsável pelas eleições 2018 no Brasil.Você está pensando que é brincadeira? Não não é…

Conforme o Antagonista publicou dia 26/01, a 3 dias atrás vejam: “Ninguém deu bola para o pregão do TSE que escolheu a Smartmatic como fornecedora de 30 mil impressoras e 75 mil urnas (com o software) para as eleições deste ano. É uma pena, pois há muitas curiosidades sobre o certame.

Smartmatic vai comandar apuração nas eleições 2018 do Brasil?

Bem, sabemos que a empresa Smartmatic já é uma velha conhecida dos brasileiros (e que também já recebeu outras acusações de fraude). Mas será que essa história de que a Smartmatic teria vencido a licitação e seria a nova responsável pela apuração dos votos nas eleições 2018 é verdade? A resposta é não. Vamos aos fatos!

Para começo de história, é importante entender como o nome da empresa acabou sendo envolvido na história. A Smartmatic é uma empresa venezuelana (o que deixa muita gente de direita de cabelo em pé). Depois disso, a empresa tem, de fato, acusações de fraudes. Na Venezuela, por exemplo, ela chegou a entrar em conflito com o governo.

Mas e o que faz a história ser mentira? Vamos lá! O texto foi publicado em um site de fake news, que volta e meia faz publicações sobre intervenção militar e tem como objetivo “combater o comunismo no Brasil”. O tal site usou como fonte um artigo (à época real) do site O Antagonista sobre a vitória da Smartmatic em uma licitação para fornecer impressoras para o TSE colocar em prática o voto impresso.

Se a informação da licitação ainda fosse válida, ela já seria uma informação distorcida, uma vez que a vitória da Smartmatic (como aponta o Antagonista) não foi para “comandar a apuração” e sim para fornecer impressoras. Para explicar, é preciso fazer um parênteses e relembrar a questão do voto impresso (importante: não vamos entrar no mérito da questão).

Em 2015, o Congresso Nacional aprovou um projeto que previa a impressão dos votos nas eleições. E é claro que a mudança traria a necessidade de uma licitação. Foi aí que a empresa Smartmatic resolveu concorrer (e até se habilitou na primeira fase). É importante ressaltar que a inserção do sistema de impressão se daria em apenas 5% das urnas. Mas nem isso ocorreu.

Dias após a publicação dessa informação, a Smartmatic foi reprovada. Isso porque, após a realização de um teste de impressão, a comissão técnica da Corte Eleitoral julgou que o modelo da Smartmatic não atendia às exigências do edital (como apontou o próprio Antagonista).

No mesmo dia em que a Smartmatic foi reprovada no teste, a Procuradoria Geral da República (PGR) pediu a anulação do voto impresso para as eleições deste ano. Em junho deste ano, o STF derrubou a impressão do voto impresso nas eleições presidenciais de 2018, afirmando que a medida poderia colocar em risco o sigilo do voto.

Já deu para ver que a licitação não vale mais, mas é importante destacar mais alguns pontos: quem comanda a apuração das eleições é o TSE (Tribunal Superior Eleitoral). E, bem, também é importante lembrar que as urnas eletrônicas no Brasil não são da marca Smartmatic. Como já explicado pela equipe do Boatos.org, no Brasil, o trabalho da empresa venezuelana se restringe à instalação de antenas, treinamentos e facilitação de comunicação de dados.

Em resumo: a história de que a empresa venezuelana Smartmatic irá comandar a apuração de votos nas eleições 2018 no Brasil é falsa. A informação que viralizou diz respeito a uma licitação para cuidar da impressão dos votos nas eleições (que iria abranger apenas 5% das urnas) e a empresa nunca liderou a apuração das votações no Brasil, que fica a cargo de técnicos do TSE. Ou seja, é #boato.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:

12 comentários em “Smartmatic, da Venezuela, vai comandar apuração nas eleições do Brasil #boato

  • 20/09/2018 em 23:22
    Permalink

    A sede de Londres que vocês vêem no Facebook è pura fachada…

    Resposta
  • 20/09/2018 em 23:19
    Permalink

    A Smartmatic foi banida dos EUA depois de tentar fraudar uma eleição. Ela fica sim na Venezuela, e ganhou sim a licitação. Está no DOU.

    Resposta
  • 19/09/2018 em 14:35
    Permalink

    “…o trabalho da empresa venezuelana se restringe à instalação de antenas(!), treinamentos(!!) e facilitação de comunicação de dados(!!!!!!!)…”. Ora caro Edgard Matsuki, nessa parece que você foi meio inocente… As exclamações acima são minhas e refletem exatamente o ponto em que há reconhecida polêmica sobre a atuação desta empresa nas eleições brasileiras! E não vou me basear no O Antagonista para dizer isso. Muitos especialistas em diversas ocasiões compareceram à audiências oficiais do senado e judiciário para expor a fragilidade e baixa confiabilidade do sistema. Uma busca na web será muito fácil de fazer e obter dados confiáveis sobre ESSE assunto. Trata-se dos pontos mais sensíveis ao funcionamento das urnas eletrônicas: justamente a comunicação de dados e o treinamento de pessoal, entre outras possíveis participações da referida companhia. Outro fator de baixa confiabilidade nas declarações do TSE e qualquer outra instituição: a transparência quase NULA em todos os processos de apuração de votos atual. Eu não daria, estivesse em seu lugar, uma análise final sobre esse… boato, como você prefere chamar. Onde há fumaça…

    Resposta
  • 19/09/2018 em 00:02
    Permalink

    Ela é venezuelana e tem representações na Flórida, em Londres e outros países. – Três engenheiros venezuelanos fundaram a companhia SMARTMATIC: Antonio Mujica, José Alfredo Anzola e Roger Piñate em 1997, Veja em: en.wikipedia.org/wiki/Smatmatic

    Resposta
  • 18/09/2018 em 22:32
    Permalink

    Sugiro que haja uma form ade compartilhar as notícias no face ou no whatsapp.Costumo vir aqui checar vídeos e notas principalmente na época das eleições,mas não consigo compartilhar para divulgar a verdade.
    Obrigada!

    Resposta
  • 18/09/2018 em 15:12
    Permalink

    A smartmatic foi fundada na Flórida, não é da venezuela.

    Resposta
    • 19/09/2018 em 13:23
      Permalink

      Não, a empresa iniciou suas atividades em 1997 em Caracas sim.

      Resposta
  • 18/09/2018 em 15:07
    Permalink

    Sempre para justificar a Esquerda e suas manobras, nada melhor do que criar um site se dizendo arauto da verdade! Ora, alguma afirmação desse artigo foi provada? Não! É muito fácil dizer que isso é boato e não privar nada do que diz na refutação!
    Sendo assim, esse aqui é um bom site de fakenews!!

    Resposta
  • 18/09/2018 em 14:58
    Permalink

    No site da Smartmatic no campo Contatos é possível aprender que a sede da empresa fica na Inglaterra.
    E não há filial na Venezuela.

    Resposta
    • 19/09/2018 em 17:02
      Permalink

      ## Na Venezuela não mais nada!

      A Empresa se estabeleceu na Backer Street, 88 em Londres em 2010.
      Na realidade ela nasceu na Flórida USA em 2000 por Venezuelanos.
      O Presidente da empresa para a America Latina é um Venezuelano, Pedro Mugica.
      O fundador e Presidente também é o engenheiro Venezuelano Roger Pinate. Este camarada aqui se formou na mesma universidade do Hugo Chaves.
      Gostaria de colar aqui as fontes, mas não é possível.
      Mas vá lá em smartmatic.com/pt/sobre-nos/

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)