Sérgio Moro vendeu grampos para Globo por R$5 milhões #boato

Boato – Juiz Sérgio Moro vendeu os grampos feitos no telefone do assessor de Lula por R$ 5 milhões para a Rede Globo.

Que os grampos divulgados pelo juiz Sérgio Moro estão causando polêmica, o Brasil está “careca” de saber. Enquanto uns levantam questões relacionadas ao conteúdo, outros preferem falar da forma (que foi obtido). No meio de tudo isso, surgiu uma informação bombástica: a de que Sérgio Moro teria vendido os grampos para a Globo por R$ 5 milhões. Leia:

Moro vendeu grampos para a Globo, diz boato
Moro vendeu grampos para a Globo, diz boato

O Juiz Sérgio Mouro vendeu os grampos para REDE GLOBO por 5 milhões, afim de derrubar governo Dilma. A RECORD vai formalizar a denúncia junto ao STF e ao CNJ. A denúncia foi feita por um Policial Federal do Paraná revoltado com a farsa montada por Sérgio Mouro.

Moro vendeu grampos para a Globo?

Caramba! Conseguiram juntar Sérgio Moro e Rede Globo em uma história só. Seria perfeito para os defensores do governo se não fosse um detalhe. A história é uma balela das bravas.

Apesar de uma das postagens do Facebook terem mais de 5 mil compartilhamentos em menos de 8 horas, a mensagem deixa um número gigantesco de furos. Vamos citar apenas alguns:

– O texto é cheio de erros crassos. Nem vamos falar da ortografia, mas o pior é chamar o juiz Sérgio Moro de “Sérgio Mouro”. Só faltava chamar de “Sérgio Moura” (acredite, não é tão difícil assim).

– Falar de “fontes anônimas”, mas que carregam segurança é uma das categorias dos boatos. “Policial Federal do Paraná revoltado?”. E porque ele não vazou a história para algum jornal e sim para alguém no Facebook? Você deve imaginar a resposta.

– Por fim, a questão da Record. A TV concorrente da Globo não só se utilizou dos grampos de Moro como também cometeu o “vacilo” de colocar o número do celular de Lula e Dilma na TV. Detalhe: não há nenhuma informação de que o canal iria entrar no “STF” (que não é o caminho certo) e “CNJ” contra Moro.

Sendo assim, podemos dizer que a história é mais uma das absurdas que circulam na internet. Claro que vai ter sempre um espertalhão que vai dizer “é mentira, mas não duvido que seja verdade”. Só um recado para estas pessoas: é com este pensamento que os boatos se espalham.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)