Presidentes militares do Brasil morreram pobres, diz boato

Boato – Castelo Branco, Costa e Silva, Emílio Garrastazu Médici, Ernesto Geisel e João Figueiredo morreram pobres por são honestos.

Apontados como uma minoria absoluta, os defensores da volta dos militares ao poder no Brasil ganha força na internet. Não são poucas as páginas em redes sociais e sites que defende a volta da ditadura.

Há algum tempo, alguns desses sites simpáticos ao regime militar têm publicado a informação de que os presidentes do período morreram pobres. O texto, que circula por redes sociais e sites, é uma forma de dar uma cutucada na corrução no Brasil. Leia trechos:

“TODOS OS PRESIDENTES MILITARES BRASILEIROS MORRERAM POBRES PORQUE FORAM E SÃO HONESTOS” Verdade mais convincente não existe, a de que “TODOS OS PRESIDENTES MILITARES BRASILEIROS MORRERAM POBRES PORQUE FORAM E SÃO HONESTOS”. A Comissão da Verdade criada no Brasil, há pouco tempo, para esclarecer fatos de terrorismo e outros crimes ocorridos durante o período militar, deveria trazer na primeira página do seu documento o seguinte título: “Todos os Presidentes Militares Brasileiros morreram pobres porque foram e são honestos”.

Por causa da probidade administrativa dos Presidentes da República, entre 1964 e 1985, aconteceram vários ataques contra as guarnições militares e contra os quartéis praticados por bandidos possuídos pelo espírito de terrorismo, cujos bandidos oriundos de ensinamentos de guerrilha apoiados por países comunistas com o Cuba do ditador Fidel Castro. […]

Os Militares nunca quiseram e nunca querem o poder central do Brasil. O que aconteceu em 1963 até 31 de março de 1964, foi um abandono total da administração, o que gerou uma total baderna nacional, e o país, em situação INGOVERNAVEL por causa da baderna, perigava nas mãos dos antipatriotas numa iminente instalação da DITADURA COMUNISTA que seria imposta aos brasileiros sob orientação e apoio de cuba que sofria e sofre nas mão de ditadores da Família Castro. [..]

AOS HEROIS MILITARES BRASILEIROS, PARABÉNS OEFERECIDOS PELAS PESSOAS HONESTAS QUE HABITAM EM VÁRIAS PARTES DO MUNDO, E QUE SÃO CONTRA A DITADURA COMUNISTA E CONTRA O NAZISMO E CONTRA A DITADURA SOCIALISTA E POR UMA DEMOCRACIA SADIA. Parabéns aos Militares Brasileiros

Independente dos escândalos de corrupção ou da fortuna de presidentes e ex-presidentes (o que também gera alguns boatos como o de Lula ser o 7º homem mais rico do Brasil), a informação de que os presidentes do regime militar morreram pobres é falsa.

Castelo Branco, Costa e Silva, Emílio Garrastazu Médici, Ernesto Geisel e João Figueiredo foram os presidentes do regime militar. Todos já morreram, mas nenhum pobre.

O primeiro ponto é que todos eram oficiais de alta patente. Já ganhavam salários altos e, quando saíram do poder, continuaram ganhando. A coluna de Juremir Machado no jornal Correio do Povo aponta para este fato. 

Castelo Branco morreu em um acidente de avião logo após deixar o poder. Costa e Silva morreu enquanto era influente, em 1969. Vale lembrar que a morte dos dois foram sob condições suspeitas.

Médici era de família rica no Rio Grande do Sul e morreu como general aposentado. Ernesto Geisel morou até a sua morte, em 1997, em um apartamento no bairro do Leblon, área nobre do Rio de Janeiro. João Figueiredo morreu em 1999 e também tinha apartamento.  Sendo assim, podemos afirmar que nenhum presidente do regime militar morreu pobre.

PS: esse artigo foi uma sugestão da leitor Ângelo Cláudio. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site ou pelo Facebook. 

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)