Paula Rousseff, filha de Dilma, será condenada na Justiça Federal #boato

Boato – Filha da ex-presidente Dilma Rousseff, Paula Rousseff vai ser condenada na Justiça Federal por usar carros oficiais blindados (com motoristas e seguranças) para realizar atividades diárias.

Mesmo após o impeachment sofrido pela ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016, seu nome ainda é bastante lembrado na internet. Seja por admiradores ou críticos de seu governo. Mas parece que, nos últimos dias, Dilma Rousseff também está sendo lembrada por causa de outra pessoa: sua filha Paula Rousseff.

Uma história que anda circulando na internet e viralizou nas redes sociais está causando um verdadeiro frisson entre os internautas. Tudo porque uma reportagem teria informado que Paula Rousseff estaria fazendo uso irregular de carros oficiais do Estado.

De acordo com a notícia, Paula Rousseff (que é servidora pública no Rio Grande do Sul) teria à disposição dela e de sua família carros blindados (com motorista e segurança) para realizar suas atividades diárias. Segundo a informação, o uso seria ilegal e ela teria sido condenada pela Justiça Federal. Confira:

“[…]. Dilma Rousseff não consegue explicar as vantagens pagas com dinheiro público à sua família. Na semana passada Dilma Rousseff, por meio de nota à imprensa, procurou explicar as regalias ilegais que, com dinheiro público, privilegiam sua filha, seu genro e seus netos, como mostrou reportagem publicada por ISTOÉ. Os privilégios concedidos à família da petista serão agora alvos de investigações pedidas pelo DEM. O partido vai solicitar ao Ministério Público e ao Gabinete de Segurança Institucional (GSI) que apurem que as liberou. Em suaa últim edição, ISTOÉ revelou que Paula Rousseff, filha da ex-presidente, e Rafael Covolo, seu marido, tinha à disposição, uma frota de oito carros oficiais de representação (todos blindados e autorizados a circular com placas frias) e um staff formado por 16 profissionais, entre motoristas e seguranças […]”.

Paula Rousseff, filha de Dilma, foi condenada na Justiça Federal?

É claro que a informação gerou muitos comentários nas redes sociais e diversas críticas contra a ex-presidente Dilma Rousseff. Mas será que essa história de que Paula Rousseff, filha de Dilma, vai ser condenada na Justiça Federal é realmente verdade? O caso não é bem assim e a nossa equipe já te conta o porquê!

Vamos aos fatos! Apesar da história estar circulando em 2019, ela já é bem antiga (e está desatualizada). Ao ler o texto, é possível perceber que o título já aponta uma suposta condenação de algo que nem teria acontecido. Com essa informação, no mínimo, estranha, resolvemos buscar por outras notícias sobre o caso e nos deparamos com a verdade. A publicação que está circulando nas redes sociais, na realidade, foi escrita em 2018.

A história, de fato, surgiu com base em uma reportagem feita pela revista Istoé, em 2016. Na época, a notícia falava em “mordomia investigada”, apontando o uso, supostamente, irregular por parte da filha da ex-presidente Dilma Rousseff. A reportagem ainda mostrava como Paula Rousseff e seus familiares utilizavam os serviços de motoristas e seguranças terceirizados do Estado.

Depois da publicação, a história permaneceu quieta (até que o caso foi ‘requentado’ pela postagem do blog e viralizar). E foi aí que a coisa complicou. Em novembro de 2018, após batalha na Justiça, o juiz Leandro Cacau Santos La Bradbury, da 2ª Vara Federal de Florianópolis, julgou improcedente a ação popular movida contra Dilma e Paula Rousseff.

De acordo com a decisão do juiz, a utilização de transporte institucional por parte da filha da ex-presidente e seus familiares é legal, por conta do risco “em razão da maior exposição pública”.

A sentença ainda alega que a “data da cessação do transporte institucional da ex-presidente, bem como de seus familiares, coincidiu com a data de seu impeachment”. Ou seja, a publicação do blog se antecipou e deu um palpite errôneo.

Em resumo: a história que diz que Paula Rousseff, filha da ex-presidente Dilma, foi condenada pela Justiça por uso ilegal de transporte institucional é falsa! A publicação surgiu, em 2018, após uma reportagem da revista Istoé, em 2016, sobre o caso. Acontece que, em novembro de 2018, a Justiça julgou improcedente a ação popular movida contra Dilma e Paula Rousseff(pedindo o reembolso dos gastos com o uso do transporte. Ou seja, o que antes era exagero, agora se tornou boato. Então, não compartilhe!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)