Mulher que aparece em vídeo com Bolsonaro não é professora e é a Wal do Açaí #boato

Boato – Mulher que apareceu em vídeo com Bolsonaro pedindo o fim do isolamento e Exército na rua não é professora. Na realidade ela é “só empresária” e/ou a “Wal do Açaí”.

O presidente Jair Bolsonaro está passando por uma saia justa em meio à pandemia da Covid-19. Nesta sexta-feira, 3 de abril de 2020, uma pesquisa Datafolha divulgou que apenas 33% dos entrevistados aprovam a gestão da crise do coronavírus. Por outro lado, 39% reprovam o trabalho de Bolsonaro.

Tentando contornar essa situação, Bolsonaro tem buscado exemplos que o favoreçam. No dia 2 de abril de 2020, por exemplo, o presidente publicou um vídeo (que não iremos exibir aqui) no qual uma mulher pede o fim da quarentena e o Exército nas ruas.

A partir daí, as coisas tomaram um rumo bastante diferente do esperado por Bolsonaro. Muitas pessoas vieram às redes sociais para afirmar que a pessoa do vídeo é uma empresária que havia se identificado falsamente como professora.

Outras pessoas apontavam que a tal mulher, na realidade, era a “Wal do Açaí”, suposta funcionária fantasma de Bolsonaro que, de acordo com reportagens de 2018, vendia açaí no mesmo horário em que deveria estar cumprindo seu turno na Câmara dos Deputados. Confira duas versões da história que circulam online:

Versão 1: “(PRESIDENTE) PERDEU MAIS UMA, FALSA PROFESSORA É EMPRESARIA MILITANTE DO BOLSONARO QUE ESPALHA O ÓDIO NO BRASIL COM FAKE NEWS ,!!!”. Versão 2: “Mais uma fake news da milícia desmascarada a mulher que pediu a intervenção militar e ditadura na entrevista do presidente é uma farsa. Quem lembra da vendedora de açaí? É a própria. Olha o passado da “professora do chiqueirinho”. Diz q dá aulas particulares, mas recebe aposentadoria, mora em bairro nobre e o celular q está c a filha é mais caro q meu salário…… Recebi mais uma informação, ñ é viúva, é casada mas disse ser separada, marido aposentado, morra em bairro rico sim…”.

Mulher que aparece em vídeo com Bolsonaro não é professora e é a Wal do Açaí?

A história fez o maior sucesso nas redes sociais e acabou viralizando na internet, com diversos comentários criticando a ação da mulher e, principalmente, o presidente. Mas será que essa história de que a mulher que apareceu em um vídeo com Bolsonaro pedindo o fim da quarentena é uma falsa professora ou a Wal do Açaí é real? A resposta é não!

Vamos aos fatos! Antes de começarmos nosso desmentido, é importante fazer uma ressalva em relação aos “pedidos da mulher”. Essa insistência pelo fim da quarentena pode custar muitas vidas. Estudos (como esse do Imperial College) mostram que a situação pode fugir do controle se nenhuma medida de isolamento for tomada. Além disso, a própria OMS segue incentivando o isolamento social. O pedido de Exército nas ruas é igualmente absurdo.

Pontuações feitas, agora é hora de retornar à história de hoje. Pois bem, depois de toda a polêmica envolvendo a mulher, ao menos dois veículos de comunicação fizeram entrevistas com ela. Ao Metrópoles, ela se disse arrependida de ter dito o que disse. E foi por meio da imprensa brasileira que descobrimos o verdadeiro nome da mulher. De acordo com os portais de notícia, ela se chama Fátima Dantas Montenegro.

Ao contrário do que diz as mensagens que a acusam de ter mentido e que ela é, na verdade, apenas empresária, Fátima é tanto professora quanto empresária. A mulher é dona de uma escola de caligrafia e dá aulas de caligrafia técnica e artística. Segundo a Folha, Fátima é pedagoga de formação. No site da escola de caligrafia, Fátima se apresenta como única professora na empresa.

Por fim, Fátima não tem nada a ver com Wal do Açaí. A suposta funcionária fantasma de Bolsonaro se chama Walderice Santos da Conceição. Como é possível ver no próprio vídeo feito pela família Bolsonaro, Walderice não se parece em nada com Fátima.

Em resumo: a história que diz que a mulher que pediu o fim do isolamento e o Exército nas ruas em um vídeo com Bolsonaro é Wal do Açaí é falsa! A acusação de que ela não é professora é falsa (ela não é uma professora do ensino regular, mas ainda sim dá aulas e é formada em pedagogia. Vale lembrar que, em nenhum momento, ela se diz professora do ensino regular). Além disso, a comparação entre Fátima (mulher do vídeo) e Wal (funcionária fantasma de Bolsonaro) é absurda. As duas não possuem semelhanças físicas. Ou seja, pura balela. Até a próxima e fique em casa (se possível)!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164. 

Confira a lista de todas as fake news sobre o novo coronavírus

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2C0i08f