Mulher de Moro tem nome ligado a esquema de corrupção na APAE #boato

Boato – Mulher do juiz Sérgio Moro, Rosângela Wolff Moro, tem o nome ligado a um esquema de corrupção nas APAEs do estado do Paraná.

Enquanto a Lava Jato vai seguindo em suas fases e a política brasileira vai entrando em frangalhos com as revelações da operação, a “guerra virtual” entre alguns internautas segue quente. De um lado, admiradores de Lula. De outro, fãs de Sérgio Moro. Em meio a isso, muitas acusações e, claro, boatos.

A última relacionada a Moro dá conta que a sua esposa, Rosângela Wolff Moro, estaria envolvida em um esquema de corrupção nas APAEs do Paraná. Leia o texto que circula online e foi publicado em diversos sites ditos de esquerda:

Mulher de Moro tem nome ligado a esquema de corrupção de R$ 450 milhões desviados das APAEs. O jornalista Luis Nassif denuncia a existência de um grande esquema de corrupção, envolvendo uma verba de R$ 450 milhões liberada pela Secretaria de Educação do Paraná, comandada na época pelo ex-senador Flávio Arns, para integração dos alunos das APAEs…

O esquema de corrupção envolvia ainda ações das APAEs no Tribunal de Justiça do Paraná, todas comandadas por um sobrinho de Flávio Arns, Marlos Arns, e a esposa do juiz Moro fazia parte do Jurídico dessas APAEs.

Mulher de Moro, Rosângela Wolff, tem nome ligado a esquema de corrupção na APAE?

Um monte de gente começou a compartilhar a história a torto e a direito em redes sociais. Mas será mesmo real que esposa de Sérgio Moro está participando de um grande esquema de corrupção na APAE do Paraná? A resposta é não. Vamos aos fatos.

O site que disseminou a informação “pelos quatros cantos” já é tradicional em boatos contra figuras “inimigas do PT e de Lula”. O modus operandi da página (que não vamos divulgar o nome aqui) é quase sempre o mesmo: pega uma notícia ou coluna de opinião que pode ser negativa contra alguém, copia o texto e cola com um título chamativo em redes sociais. Com isso, o site angaria o compartilhamento de “leitores de títulos”.

No caso da “acusação” à esposa de Sérgio Moro foi mais ou menos isso que aconteceu. Só que, apesar do título bombástico, o texto sequer cita o nome de Rosângela Wolff. Apenas fala que “no meio de toda a sujeira” ela fazia parte do jurídico das APAEs.

O próprio blog do Nassif (citado como fonte da denúncia) tomou uma atitude depois que a notícia acusando a mulher de Moro viralizou na internet. Ele disse que o título do vídeo e os textos a respeito do assunto podem ser mal interpretados. Leia:

Circula na Internet um vídeo editado de palestra que proferi no mês passado em um evento em São Paulo. O vídeo é fiel ao que eu disse. Mas o título e o texto podem induzir a conclusões taxativas que não fiz ou passar a ideia de que o vídeo faz parte dessas guerrilhas que ocorrem periodicamente em redes sociais. As informações foram divulgadas em 2014 e 2015. Estão sendo agitadas agora.

O trecho em questão faz parte de um seminário no mês passado, do qual participei com a colega Helena Chagas. Limitei-me a apontar indícios, indícios fortes, sem dúvida, que merecem ser investigados, mas não acusações frontais.

Só contextualizando a história: Nassif fez uma reportagem em 2015 a respeito das APAEs do Paraná. Em 2017, ele fez um comentário a respeito da reportagem neste ano e a notícia de que “ela está envolvida no esquema de corrupção” foi escrita como sem nem mesmo um inquérito contra a APAE ou Rosângela estar aberto.

Resumindo: a história que aponta que a esposa de Sérgio Moro está “ligada a um esquema de corrupção nas APAEs” não só tirou uma reportagem (feita por Nassif) de contexto como também a condena por corrupção sem provas para isso. Boato do tipo mais clássico da, como Nassif cita, guerrilha virtual.

PS: Esse artigo foi uma sugestão de Sueli Barbosa, Tetê Simões, Débora Cecon e de diversos leitores via WhatsApp. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook ou WhatsApp, no telefone (61) 99331 6821.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet