Motoqueiros do Brasil lançam nota de repúdio a Omar Aziz e em defesa a Bolsonaro #boato

Boato – Todos os motoqueiros do Brasil (ou alguma associação representativa) lançou uma nota de repúdio contra o senado Omar Aziz e a favor do presidente Jair Bolsonaro.

A CPI da Pandemia (ou CPI da Covid) entrou em uma fase “de intervalo” (com a análise de documentos e sem depoimentos ou audiências públicas), mas o debate e as fake news sobre o assunto continuam a todo vapor.

A última história que circula online aponta que os “motoqueiros do Brasil” estão indignados com o presidente da CPI, o senador Omar Aziz. Uma suposta nota de repúdio assinada pelos “motoqueiros do Brasil” está circulando na internet como se fosse algo representativo da classe.

Na mensagem, é dito que Omar Aziz se referiu ao termo “motoqueiro” como se fosse algo ruim quando falou que Bolsonaro é um bom motoqueiro e um péssimo presidente (que é uma interpretação errada, aliás). O texto é recheado de termos que fazem parte do discurso dos bolsonaristas mais radicais (chamados também de bolsominions) como “ladrão de nove dedos”, “patriota” e comunismo. Leia a mensagem que circula online:

Nota de repúdio Os motoqueiros do Brasil repudiam veementemente as declarações do Senador Omar Aziz, que na tentativa de atacar o presidente da República, o chama de “motoqueiro”, como se fosse algo ruim, como se fosse crime ser motoqueiro, tentando dar uma conotação pejorativa à nossa categoria. Cumpre esclarecer que o Brasil é movido pelos caminhoneiros nas estradas e pelos motoqueiros nas cidades, NOS RESPEITE SENADOR!

Somos responsáveis por grande parte da PIB Brasileiro, gerando milhões de postos de trabalho e renda adquirindo motos, peças e serviços para o lazer, esporte e sobretudo trabalho, e o senhor senador, gera o que??? Somos infinitamente mais valiosos ao país do que este senador que nos custa caro e que saliva ódio pelos Brasileiros e sobretudo pelos motoqueiros. Ter um presidente “motoqueiro” honra a todos nós, o que não queremos jamais, é um presidente “trambiqueiro” como é o caso do ladrão de nove dedos, tão defendido pelo senador.

Lembramos que o mais humilde entre nossa categoria, com certeza é muito mais honrado, honesto e trabalhador que o senador Aziz. Imaginar que o presidente da República merece algum descrédito por ser “motoqueiro” é atentar contra a dignidade de cada um de nós. Se referir de forma discriminatória, pejorativa, desrespeitosa, vil e infundada ao presidente da República, única e exclusivamente pelo fato dele ser motoqueiro, é comprar uma briga com uma categoria que merece muito respeito e que historicamente é unida e continuará sendo ainda mais e, essa briga, o senador já perdeu.

Temos fé e orgulho de nossa profissão, nosso caráter e nossa honra. Seremos sempre motoqueiros, o presidente será presidente até 2026 e motoqueiro até o último dia de sua vida O Brasil é motoqueiro e o motoqueiro é patriota e os patriotas estão unidos contra o comunismo. DIVULGUE SE VC É PATRIOTA.

Motoqueiros do Brasil lançam nota de repúdio a Omar Aziz e em defesa a Bolsonaro?

É fato que o texto se espalhou em grupos bolsonaristas em redes sociais. Apesar disso e da primeira frase da mensagem, a “nota de repúdio” não representa nem foi criada por um grupo (pelo menos não representativo) de motoqueiros do Brasil.

Não vamos entrar na análise do teor do texto. Vamos apenas destacar um elemento: como foi visto, toda a linguagem utilizada vai de encontro com um linguajar de aficionados por Bolsonaro e não por uma categoria (que em vez de defender o presidente cegamente, defenderia pautas mais importantes para a classe como valorização salarial, preço dos combustíveis e segurança no trânsito).

Isso nos faz ficar desconfiados que a autoria do texto está errada (como falamos, está mais para “bolsominions do Brasil” do que para “motoqueiros do Brasil”). Isso é reforçado pelo histórico: há algum tempo, uma carta tão agressiva quanto essa foi atribuída a “empresários do Brasil” (ou de cidades pontuais). Logicamente, nenhuma entidade empresarial endossou a carta na época (que pregava a desobediência as medidas de isolamento social).

Ao buscar por qualquer entidade representativa de motociclistas (que é um grupo muito heterogêneo visto que há grupos de motociclistas profissionais e grupos de motociclistas como um hobby), nada encontramos sobre a carta em questão. Assim como em tantos outros casos, a mensagem “brotou em redes sociais”.

A primeira publicação no Facebook que vimos foi de 17 de julho e tem como fonte, olha só, um fã de Bolsonaro. No mesmo dia, alguém publicou a declaração em um grupo de motoboys. O resultado foi mais críticas do que elogios a Bolsonaro. Isso mostra que o “apoio cego” a Bolsonaro está longe de ser um consenso entre quem pilota motos.

Com isso, podemos apontar que não foram “motoqueiros do Brasil” que escreveram a tal a Omar Aziz. Além de nenhuma entidade representativa assinar a carta, vimos que ela começou a circular em grupos bolsonaristas e encontrou oposição em grupos de motociclistas. Ou seja: trata-se de um texto apócrifo que não representa a classe.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3vN6CET
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet