Ministro da Educação, Abraham Weintraub, fez plágio de fala de Hitler de 1933 #boato

Boato – Ao discursar que comunistas estão no topo da sociedade, novo ministro da Educação, Abraham Weintraub fez plágio de um discurso de Adolf Hitler datado de 1933 e que está no livro Mein Kampf.

Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro anunciou uma troca no Ministério da Educação. Após diversas falas polêmicas, Ricardo Vélez Rodríguez foi substituído por Abraham Weintraub. Bastaram alguns dias para a internet começar mais uma “polêmica” com o novo ministro.

De acordo com textos que circulam em redes sociais (principalmente Twitter e Facebook), Abraham Weintraub já começou no cargo fazendo um plágio de ninguém menos do que Adolf Hitler. Mensagens apontam que, ao falar uma frase que aponta que “os comunistas estão no topo do país”, o novo ministro repetiu um discurso de Hitler.

Em algumas versões, é dito que o discurso foi proferido em 1933. Em outras, é dito que a fala está no livro Mein Kampf (Minha Vida), obra que inspirou as ideias nazistas aplicadas na Alemanha. Leia algumas versões da história que circula online:

Versão 1: A gente não chegou nessa situação porque os judeus são pobres. Os judeus estão no topo do país. Eles são o topo das organizações financeiras; eles são os donos dos jornais; eles são os donos das grandes empresas; eles são os donos dos monopólios… (A. Hitler, setembro de 1933) “A gente não chegou nessa situação porque os comunistas são pobres. Os comunistas estão no topo do país. Eles são o topo das organizações financeiras; eles são os donos dos jornais; eles são os donos das grandes empresas; eles são os donos dos monopólios…” (A. Weintraub, setembro de 2018)

Versão 2: O ministro da educação é mesmo um embusteiro. Parafrasear Hitler é demais! Versão 3: Assista e ria para não chorar Sai um neo nazista, entra outro. Como todo desonesto intelectual, um mero plagiador. Hitler fez o mesmo discurso em Mein Kampf, com palavra “judeus”

Versão 4: Alemanha 1930 “…Os judeus estão no topo do país. Eles são o topo das organizações financeiras; eles são os donos dos jornais; eles são os donos das grandes empresas; eles são os donos dos monopólios…” Adolf Hitler. Brasil 2018 “…Os comunistas estão no topo do país. Eles são o topo das organizações financeiras; eles são os donos dos jornais; eles são os donos das grandes empresas; eles são os donos dos monopólios…” Abraham Weintraub.

Ministro da Educação, Abraham Weintraub, fez plágio de fala de Hitler de 1933?

A história de plágio da obra (ou discurso) de Hitler causou muita polêmica na internet. Mas será mesmo que a mesma frase proferida pelo novo ministro da Educação é idêntica a dita pelo líder do Nazismo na Alemanha em 1933 ipsis litteris (literalmente)? A resposta é não. Calma aí que a gente explica tudo.

Não vamos entrar no mérito se as ideias proferidas pelo novo ministro da Educação ou por Hitler são válidas (aqui não é espaço para esse tipo de julgamento). Também não vamos analisar se Weintraub “condensou” as ideias do Nazismo para aplicar no Brasil (aqui também não é espaço para isso) e vamos nos ater ao fato: não houve plágio na fala do ministro.

Para tanto, vamos ao conceito básico de plágio: “O plágio é o ato de assinar ou apresentar uma obra intelectual de qualquer natureza contendo partes de uma obra que pertença a outra pessoa sem a permissão do autor”. No caso, seria plágio se a frase em si fosse imitada. Só há um detalhe: não há qualquer registro de que Hitler tivesse dado qualquer declaração “idêntica” a de Weintraub.

Tentamos buscar por qualquer de discurso no qual Hitler tivesse falado “Os judeus estão no topo do país. Eles são o topo das organizações financeiras; eles são os donos dos jornais; eles são os donos das grandes empresas; eles são os donos dos monopólios”. A frase não é encontrada no Google em inglês e só surgiu na web em português após a data do discurso do novo ministro da Educação. Nada encontramos. Também não há nada no livro dele, nos arquivos do Museu do Holocausto e nem em local algum.

Ao buscar mais detalhes, descobrimos o que aconteceu. A tese de que Hitler tenha falado algo sobre o assunto surgiu de uma interpretação errada de um comentário opinativo do jornalista Gerd Wenzel que disse o seguinte: “Plágio dos anos 30 na Alemanha: é só trocar “comunistas” por “judeus””. Importante citar que o tuíte opinativo não diz que Hitler falou a mesma frase e sim compara situações. E até aí tudo bem.

Os problemas começaram quando alguma “mente brilhante” (não sabemos qual, mas sabemos que a história se espalhou por posts em sites contrários a Bolsonaro e em perfis de redes sociais) partiu do comentário de Wenzel e “inseriu” a informação que Hitler teria falado a mesma frase de Weintraub. Daí para surgir a “data do discurso” (1933) ou “referência bibliográfica” (o livro) foi um pulo.

Resumindo: você até pode achar que as ideias de Weintraub ou seja lá de quem for possam ter semelhanças com a Alemanha dos anos 1930. Porém, não pode dizer que ele copiou a frase de Hitler no seu discurso de posse. O motivo é simples: o líder do Nazismo nunca disse a frase proferida pelo novo ministro da Educação. Ou, pelo menos, não achamos qualquer prova de que ele tenha dito.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)