Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Política > É falso que membros do CDESS vão receber salário de R$ 60 mil para participar de conselho

É falso que membros do CDESS vão receber salário de R$ 60 mil para participar de conselho

Lula vai pagar R$ 60 mil de salário para membros do CDESS (Conselho Econômico de Desenvolvimento Sustentável), diz boato (Foto: Reprodução/Facebook)

Boato – Lula editou um decreto para criar o CDESS (Conselho Econômico de Desenvolvimento Sustentável) e cada um dos 246 membros vai receber R$ 60 mil.

Análise

Já há alguns dias, está circulando uma mensagem repleta de adjetivos sobre uma iniciativa do presidente Lula. Textos  apontam que o presidente acabou de criar o CDESS (Conselho Econômico de Desenvolvimento Sustentável), que teria 246 membros.

A partir daí, é dito que cada um dos 246 membros iria ganhar um salário de R$ 60 mil + estadia e R$ 15 mil por reunião que participasse. Na lista, há algumas das pessoas mais ricas do Brasil. Leia a mensagem que circula online:

Versão 1: *TÁ AÍ PARA QUEM NÃO ACREDITA DO QUE O PT É CAPAZ* COMO COMPRAR TODOS SEGMENTOS, ALÉM DE SINDICALISTAS, independente de salário ou não! O Presidente Luiz Inácio da Silva, vulgo Lula, criou por Decreto o Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável (CDESS), o Conselhão, com 246 membros. O salário é de R$ 60.000,00 mais passagens aérea de ida e volta de onde estiver, estadia e R$ 15.000,00 por reunião. *COMPRE BIS!*

Vídeo: é falso que médico favorável a Ivermectina ganhou prêmio de Melhor Cientista do mundo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou o decreto Nº 11.454, de 24 de março de 2023, que cria o Conselho de Desenvolvimento Econômico Social Sustentável (CDESS). O órgão será responsável por assessorar o presidente da República na formulação. O ROMBO É ENORRRRME. Salário de R$ 60k. Sem as diárias da 177 milhões por ano. Estamos num caminho sem volta. Tá tudo no esquema. Judiciário, Congresso, Universidades, Sindicatos, MST, CNBB, e agora este conselho.

Versão 2: *TÁ AÍ PARA QUEM NÃO ACREDITA DO QUE O PT É CAPAZ* COMO COMPRAR TODOS SEGMENTOS, ALÉM DE SINDICALISTAS, independente de salário ou não! O Presidente Luiz Inácio da Silva, vulgo Lula, criou por Decreto o Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável (CDESS), o Conselhão, com 246 membros. O salário é de R$ 60.000,00 mais passagens aérea de ida e volta de onde estiver, estadia e R$ 15.000,00 por reunião. *COMPRE BIS!*

1. Eraí Maggi Scheffer, produtor de soja e algodão 2. Erasmo Carlos Battistella, empresário do agronegócio 3. Gilberto Tomazoni, CEO da JBS 4. João Martins da Silva Jr., pecuarista 5. José Henrique Cutrale, empresário 6. Luis Roberto Pogetti, presidente do Copersucar 7. Marcos Antonio Molina dos Santos, presidente dos Conselhos de Administração da Marfrig e da BRF 8. Paulo Sousa, presidente da Cargill 9. Rubens Ometto, presidente do Conselho de Administração da Cosan, Raízen e Comgás 10. Sérgio Bortolozzo, presidente da Sociedade Rural Brasileira

11. Teresa Vendramini, pecuarista e socióloga 12. Abilio Diniz, do Grupo Carrefour 13. Glauco Humai, presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers 14. Ilson Mateus, da rede de supermercados Grupo Mateus 15. José Roberto Tadros, presidente da Confederação Nacional do Comércio 16. Luiza Helena Trajano, empresária dona do Magazine Luiza 17. Patriciana Maria de Queirós Rodrigues, da rede de farmácias Pague Menos 18. Sérgio Zimerman, CEO da Petz 19. Alessandra França, diretora do Banco Pérola 20. Ana Karina Bortoni Dias, do banco BMG

21. Ana Paula Vescovi, economista e ex-secretária do Tesouro Nacional 22. Cristina Junqueira, cofundadora do Nubank 23. Dirlene Silva, economista e professora 24. Gilson Finkelsztain, CEO da Bolsa de Valores B3 25. Isaac Sidney Menezes Ferreira, presidente da Febraban 26. José Garcia Netto, presidente da Caruana Financeira 27. Lucas Vargas, CEO do banco digital Nomad 28. Luiz Carlos Trabuco Cappi, do Bradesco 29. Marcelo Kayath, banqueiro e sócio da QMS Capital 30. Milton Maluhy Filho, CEO do Itaú Unibanco […]

Em algumas versões da mensagem há, ainda, uma imagem que mostra o seguinte teor :”Correio Braziliense. Endividamento Público. Brasil é o terceiro mais endividado do mundo, ao lado da Ucrânia, diz FMI. ROMBO DE 93 BILHÕES EM APENAS 10 MESES ELES QUEBRARAM O PAÍS! O AMOR VENCEU! NÉ PTEZADA!!!”.

Checagem

Assim como uma “boa” (ou uma péssima) fake news, a história mistura informações reais com (muitas e mais impactantes) mensagens falsas. Para fazer a checagem do conteúdo, vamos responder às seguintes perguntas: 1) O que é o Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável, o CDESS, criado por Lula? 2) É verdade que os membros do CDESS vão receber um salário de R$ 60 mil? 3) As informações sobre endividamento e “Brasil quebrado” são reais?

O que é o Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável, o CDESS, criado por Lula?

Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável (CDESS) é mais conhecido como o “conselhão”. Ele foi criado inicialmente em 2003, no primeiro governo de Lula e é um espaço para representantes da sociedade formularem propostas que podem ou não serem implementadas pelo governo.

O CDESS foi extinto em 2019, durante o governo Bolsonaro e foi recriado pelo decreto 11.454, de 24 de março de 2023. A lista de membros pode ser vista neste link do g1. 

É verdade que os membros do CDESS vão receber um salário de R$ 60 mil?

Não é verdade. Quando a história se espalhou na internet, a Secom (Secretaria de Comunicação Social) do governo desmentiu que os membros recebam R$ 60 mil + R$ 15 mil por reunião. Na realidade, a participação não é remunerada. Leia o que foi escrito:

Não é verdade que os 243 conselheiros do Conselho de Desenvolvimento Econômico Social Sustentável (CDESS) recebem salários de R$ 60 mil e diárias de R$ 15 mil para exercerem a função junto ao Governo Federal.

Conforme o decreto que cria o Conselhão (decreto Nº 11.454, de 24 de março de 2023), “a participação nas atividades do CDESS, inclusive nas comissões temáticas e nos grupos de trabalho, será considerada prestação de serviço público relevante, não remunerada”.

As informações sobre endividamento e “Brasil quebrado” são reais?

A matéria do Correio Brasiliense é real, mas tem um erro que é “desmentido” pelo próprio conteúdo. O Brasil, de acordo com o FMI é o terceiro mais endividado entre os países emergente e não entre todos os países do mundo.

Países desenvolvidos, se levarmos em conta o recorte “dívida e PIB” têm mais endividamento do que o Brasil. Se levarmos em conta valores absolutos, o Brasil cai muito na lista. 

É importante citar que a dívida do país (que passa por diversos fatores) não é obra do governo atual e que os dados futuros são de projeções. Ou seja: é, no mínimo, incomprovado que o “PT quebrou o país” (até porque a dívida não é o único fator a ser levado em conta quando falamos de saúde fiscal de um país).

Conclusão

Fake news ❌

É falso que os membros do CDESS (Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável) vão receber salários de R$ 60 mil. Trata-se de uma fake news que foi desmentida pelo próprio governo.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610).