Jean Wyllys planejou cuspir em Bolsonaro #boato

Boato – O deputado do PSOL, Jean Willys, agiu premeditadamente e planejou cuspir em Jair Bolsonaro antes de ir até o microfone de votação.

O domingo, 17 de abril ficará marcado pra sempre. Seja você de Direita ou Esquerda, terá que concordar com essa afirmação. Assistimos durante o dia inteiro (literalmente, já que a sessão terminou depois das 23h) ao andamento da votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e presenciamos os 30 segundos de fama de 511 deputados (dois faltaram) que um a um deixaram uma mensagem para o país.

Boato diz que Jean Wyllys planejou cuspir em Bolsonaro
Boato diz que Jean Wyllys planejou cuspir em Bolsonaro (Imagem: Fala Brasil/Record)

Para o país, para os filhos, para os netos, para o marido, a esposa, os avós até para políticos falecidos. O fato é que por 367×137, foi aprovado o processo do impeachment, mas esse nem foi o grande ‘lance’ da noite, uma vez que já era esperado. Surpresa mesmo foi a cusparada que o deputado do PSOL, Jean Wyllys, deu no também deputado Jair Bolsonaro. Atitude, que segundo o que está se espalhando pela internet foi completamente premeditada.

No vídeo postado na página Reaçonaria, aparece Jean Wyllys avisando a outro deputado que cuspiria em Bolsonaro. Com a postagem, a seguinte legenda:

URGENTE: O DEPUTADO Jean Wyllys PREMEDITOU E AVISOU OUTRO DEPUTADO QUE IRIA CUSPIR EM Jair Messias Bolsonaro!

TEM QUE SER CASSADO POR QUEBRA DE DECORO!

Essa versão da história foi defendida em outro vídeo, postado na página de Eduardo Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro e também deputado federal:

Caiu a máscara de Jean Wyllys (PSOL-RJ). Ele é o intolerante, uma pessoa cheia de ódio dentro de si. De fato não representa homossexuais e nem minorias que tanto respeito. Vamos representar no conselho de ética e tomar outras medidas, até porque o deputado diz não se arrepender e poderá fazer de novo. Lamentável e incoerente.


Juntos, esses vídeos já renderam mais de 75 mil compartilhamentos. Porém, o argumento da cusparada premeditada não procede. Quando Jean Wyllys se encaminhou a bancada para votar foi vaiado por grande parte da Casa. Depois de proferir seu voto, como esclarece nesta postagem em sua página do Facebook, o deputado do PSOL foi ofendido por Bolsonaro. Reagiu cuspindo no político do PSC.

Diferente do que se mostra nos vídeos do Bolsonaro filho e da Reaçonaria, a ‘confissão ‘ de Jean Wyllys não foi dita antes de sua votação, mas depois. A Record News citada, realmente flagrou o momento da cusparada e a hora que o deputado do PSOL contou a outro parlamentar que havia cuspido em Jair Bolsonaro. Nitidamente, Jean Wyllys diz ‘eu cuspi no Bolsonaro’, com o verbo no passado. O resto foi inventado para por mais lenha na fogueira.

Não vamos defender a postura do deputado do PSOL, também não vamos criticá-la. Apenas para quem tem memória curta, lembremos que no momento de seu voto Jair Bolsonaro homenageou o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, que esteve no comando do DOI-Codi de São Paulo de 1970 a 1974. Ustra foi o primeiro militar reconhecido como torturador pela Justiça brasileira.

No fim, o resumo é que Jean Wyllys não planejou cuspir em Jair Bolsonaro premeditadamente, reagiu aos insultos a ele dirigidos (e praticamente assumidos no vídeo de Eduardo Bolsonaro) depois de votar contra o impeachment de Dilma. Decidir quem está mais errado – o homem que idolatra em uma sessão do Congresso um torturador da Ditadura Militar ou o homem que cuspiu na cara do primeiro – é com vocês.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)