Informação falsa: Aécio Neves agrediu namorada Letícia Weber em 2009

Boato – Durante uma festa que ocorreu no ano de 2009, Aécio Neves teria dado um tapa e um empurrão na namorada Letícia Weber. Assunto voltou à tona em 2014.

Assim como no primeiro turno das eleições, os ataques contra os candidatos à Presidência parecem que vão dar a tônica do segundo turno. Dilma e Aécio, que se concentraram em atacar Marina na primeira parte do pleito, agora realizam ataques um ao outro. E ambos estão devidamente munidos por um verdadeiro exército na internet.

Como o Boatos.org não tem comprometimento com nenhum lado, cabe-nos a missão de desmentir a boataria vermelha e azul que se espalha na web. E hoje vamos falar de uma história antiga, mas que voltou à tona no início do segundo turno das eleições.

Para você entender o caso, precisamos voltar ao ano de 2009. Uma nota publicada no blog do (ótimo) jornalista esportivo Juca Kfouri dava conta de que Aécio Neves teria agredido a então namorada Leticia Weber durante uma festa de luxo no hotel Fasano, no Rio de Janeiro. Leia:

Aécio Neves, o governador tucano de Minas Gerais, que luta para ter o jogo inaugural da Copa do Mundo de 2014, em Belo Horizonte, deu um empurrão e um tapa em sua acompanhante no domingo passado, numa festa da Calvin Klein, no Hotel Fasano, no Rio.

Depois do incidente, segundo diversas testemunhas, cada um foi para um lado, diante do constrangimento geral.

A imprensa brasileira não pode repetir com nenhum candidato a candidato a presidência da República a cortina de silêncio que cercou Fernando Collor, embora seus hábitos fossem conhecidos.

Depois que a história veio à tona, ela foi replicada a torto e a direito na internet. Especialmente, entre os opositores de Aécio. Mas os fatos mostram que, mesmo sendo publicada por um jornalista de credibilidade como Kfouri, a história é falsa.

O caso acabou sendo desmentido logo em seguida da publicação. No dia seguinte à divulgação do caso, o jornalista Ricardo Noblat tentou levantar a história. Perguntou a uma das maiores interessadas no caso, Letícia e a outras pessoas que estiveram na festa. Leia:

– “Isso é uma nojeira. Não aconteceu nada. Meu azar foi me apaixonar por um político,” me disse Letícia. Aécio não quis comentar. Letícia disse mais: “isso me parece exploração política.” Berzoini, presidente do PT, deu a notícia no seu twitter.

Passei o dia atrás da história da suposta agressão de Aécio Neves à namorada. Ouvi 6 pessoas que estavam na festa do hotel Fasano.Resposta delas: não viram nada. Há pouco, localizei Aécio e a namorada, Letícia. Os dois passam o fim-de-semana em Florianópolis.

Outra jornalista de renome, Christina Lemos também cravou que a informação não passava de um boato. Aécio acabou convocando uma coletiva também para desmentir o caso. Como dito por Letícia, Aécio também falou que se tratava de perseguição política.

No fim, até Juca Kfouri acabou falando que é “possível que não tenha havido agressão”. Porém, ele deixou o assunto no ar. Claro que a nota do desmentido teve bem menos acessos do que do boato. Passados cinco anos do ocorrido, Leticia deixou de ser namorada e virou esposa de Aécio Neves.

Resumindo: o caso surgiu como uma fofoca, replicou na mídia e foi desmentido por diversos veículos de comunicação, por pessoas da festa e pelos envolvidos. Não há nada que prove que Aécio bateu na namorada. Com isso, chegamos à conclusão de que a história não passa de uma boato. Mais um dessas eleições.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)