Governo do Ceará desativa leitos de hospital para receber mais recursos federais, mostra vídeo #boato

Boato – Vídeo mostra médica implorando para que representante do governo do Ceará não feche leitos de UTI em hospital. Leitos estão sendo desativados para que recursos federais sejam mandados ao estado.

Desde o início da pandemia da Covid-19 no Brasil, governadores do Nordeste juntaram forças e decidiram alinhar as decisões tomadas frente ao surto da doença. Com isso, conseguiram firmar uma parceria com a China para o repasse de equipamentos de proteção individual. Mesmo assim, a região está enfrentando uma disparada no número de casos. Não só isso: também há uma disparada no número de fake news relacionadas ao assunto. E a de hoje fala sobre o Ceará.

De acordo com publicações que circulam em redes sociais, o governador Camilo Santana teria solicitado a desativação de leitos de hospital. Um vídeo que acompanha as publicações mostraria toda a ação. Nas imagens, uma mulher indignada grava o que seria uma vistoria e implora para que os leitos não sejam desativados.

A mulher que faz a vistoria argumenta que o local não tem médicos suficientes e a mulher que faz a gravação afirma que o corpo médico está completo e pode encontrar outros profissionais. Ela prossegue e diz que o local já tem autorização para funcionar e afirma que “eles” estão “jogando dinheiro público no mato”. A outra mulher, então, diz que não vai mais falar e pede para que a mulher da gravação se reporte ao advogado do Ministério Público. Segundo as mensagens, o objetivo seria receber mais recursos federais, lotar as UTIs e prejudicar a imagem do presidente Jair Bolsonaro. Confira:

Versão 1: “Estão desfazendo os leitos no Ceará para dizer q está faltando leito para o Bolsonaro mandar mais dinheiro”. Versão 2: “Hospital sendo desmontado para entrar na estatística de falta de leitos!!! Ceará!!! Vejam a reportagem sobre a desapropriação do hospital”. Versão 3: “Hospital sendo desmontado no Ceará, para registrar falta de leitos pela COVID19. Quanto maior a desgraça, mais dinheiro poderá ser roubado sem licitação e sem fiscalização. É uma guangue pesada…”. Versão 4: “Esse Governador do Ceará é um canalha… Estão desfazendo os leitos no Ceará para dizer que está faltando leito para o Bolsonaro mandar mais dinheiro Olha a pouca vergonha e canalhice aí…”.

Governo do Ceará desativou leitos de hospital para receber mais recursos federais?

As imagens deram o que falar nas redes sociais e deixaram muitos cearenses revoltados com a situação. Mas será que o governador Camilo Santana realmente teria mandado desativar leitos de UTI em hospital no Ceará para receber mais recursos federais? A resposta é não!

Vamos aos detalhes! Para começo de história, a mensagem apresenta as principais características de boatos online, como o caráter vago, alarmista, os erros de português e a falta de fontes confiáveis.

Além disso, desde o início da pandemia da Covid-19, o governador do Ceará Camilo Santana tem passado por poucas e boas quando o assunto é fake news. A equipe do Boatos.org já desmentiu várias delas, como a que dizia que o assessor de Santana teria gravado um áudio pedindo ataques contra Bolsonaro. Também o que indicava que o governador do Ceará teria participado de uma festa de aniversário durante a quarentena da Covid-19 e, por fim, o que apontava que o diretor do Hospital São José, em Fortaleza (CE), teria alertado as pessoas a estocar comida durante a pandemia do novo coronavírus.

Ao buscar sobre o assunto “desativação de leitos no Ceará”, uma denúncia bastante grave, não encontramos nada. Ao buscar por mais detalhes sobre a informação, descobrimos que não se tratam de leitos desativados, mas sim de uma vistoria reprovada em um hospital. Na realidade, o hospital em questão já estava desativado, mas foi requisitado durante a pandemia da Covid-19, assim como outros. A requisição aconteceu no dia 7 de abril. Na oportunidade, o governo solicitou que O Hospital Batista Memorial, o Pronto Socorro dos Acidentados e a Universidade liberassem leitos disponíveis para servir de retaguarda aos pacientes diagnosticados com Covid-19.

Antes dessas requisições, o governo do Ceará também havia solicitado a reativação do Hospital Leonardo da Vinci que se encontrava equipado e funcional, mas inativo. De acordo com a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), uma vistoria técnica foi realizada durante o feriado de Páscoa para atestar as boas condições de cada instituição. Entretanto, após uma análise criteriosa no Pronto Socorro dos Acidentados (PSA), a vistoria constatou que a unidade não possui condições de abrigar os infectados por Covid-19.

Segundo nota emitida pela Sesa, o PSA foi descredenciado pela Secretaria Municipal de Saúde, da Prefeitura de Fortaleza, há três anos e não possui a estrutura necessária, com equipamentos sem uso e sem manutenção, para receber os doentes. Além disso, o PSA também não teria apresentado a documentação necessária para a realização do contrato. A Sesa afirmou em seu comunicado que formalizar um contrato público com a administração do PSA seria colocar em risco a saúde de pacientes e funcionários, bem como utilizar mal a verba pública.

NOTA DE ESCLARECIMENTO: A Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) esclarece, sobre vídeo que circula a respeito de vistoria técnica realizada no Pronto Socorro dos Acidentados (PSA), que a equipe da secretaria esteve no local durante o feriado de Páscoa, e constatou que a unidade não reúne condições de ser utilizada para atender demandas urgentes relacionadas à pandemia da Covid-19. Na ocasião, foi ratificada a incapacidade da estrutura, com equipamentos sem uso ou manutenção, além do PSA ter sido descredenciado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), da Prefeitura de Fortaleza, há três anos. Formalizar contrato com a administração da unidade traria alto risco para a segurança da saúde dos pacientes e profissionais, também caracterizando má utilização das verbas públicas. Além disso, o PSA não apresentou a documentação atestando sua situação de regularidade em relação a obrigações legais necessárias para possível contrato público. A Sesa reforça seu compromisso de fortalecer um sistema de saúde seguro e de qualidade à população cearense, bem como rechaça o uso de informações tiradas de contexto no intuito de se obter benefício pessoais.

Em resumo: a história que diz que o governo do Ceará desativou leitos de hospital para receber mais verbas federais e prejudicar Bolsonaro é falsa! O hospital em questão já estava desativado e foi requerido para abrigar pacientes com Covid-19 durante a pandemia. Entretanto, durante a vistoria realizada no local, funcionário da Secretaria de Saúde constataram que o Pronto Socorro dos Acidentados não possui condições de atendimento, uma vez que seus equipamento estão sem uso ou manutenção há algum tempo. Além disso, a unidade também não teria apresentado a documentação necessária para a realização do contrato. Ou seja, o hospital não estava sendo desativado. Ele foi reprovado por entenderem que a unidade poderia colocar a vida das pessoas em risco e, dessa forma, caracterizar um desperdício de dinheiro público. A história é só boato. Não compartilhe e, se possível, permaneça em casa e lave bem as mãos!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164. 

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2RCIocR