Gleisi Hoffmann pediu para o Estado Islâmico invadir o Brasil e soltar Lula #boato

Boato – A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) gravou um vídeo pedindo para os terroristas do Estado Islâmico invadirem o Brasil e salvarem o ex-presidente Lula.

Desde quando o ex-presidente Lula teve a prisão decretada pela Justiça, muitos militantes favoráveis a ele têm buscado formas de “comprovar” que a condenação foi injusta. Manifestações e declarações públicas têm diariamente surgido nas ruas, na mídia e nas redes sociais. Uma das últimas está causando uma grande polêmica.

No dia 17 de abril, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), que é presidente nacional do PT, divulgou um vídeo em seu canal no Facebook que fora enviado à rede de televisão Al Jazeera (Qatar) no qual “vende a tese” de que a prisão de Lula é injusta e de que a decisão do Judiciário foi arbitrária.

Assim que o vídeo foi divulgado, algumas pessoas se levantaram contra a tese afirmando que Gleisi estaria passando informações falsas sobre o Brasil ao exterior (algo que não conseguimos opinar). Até aí, tudo bem: enquanto Gleisi e seus militantes “vendiam a sua versão da história”, outras pessoas que não concordavam diziam que o discurso “era falacioso”. Um debate de pontos de vista.

Os problemas começaram com uma segunda interpretação do vídeo de Gleisi. Postagens em redes sociais davam conta de que a filmagem nada mais é do que uma convocação para que o Estado Islâmico e “outros terroristas” venham ao Brasil, cometam atos terroristas e soltem Lula. Leia alguns textos que circularam neste sentido.

1) Gravíssimo! Gleisi pede apoio aos “povos” ( entenda-se aí, terroristas) do Oriente Médio – os muçulmanos do Hammas, Hesbolah e outros grupos terroristas – inclusive o Estado Islâmico, para “ apoiar” Lula. Não é à toa, que no governo Lula e Dilma, foi construída a “Embaixada da Palestina” em Brasília com dinheiro nosso, para abrigar o Estado Islâmico. Ou acabamos com esse *Partido Terrorista * , ou, seremos aniquilados por ele. A mensagem do PT, já foi dada pela Senadora Gleisi Hoffmann.

2) URGENTE !!! GLEISI HOFFMANN CONVOCA terroristas do estado islâmico para invadirem o brasil e salvar lula. 3) Senadora petista incita invasão terrorista no Brasil

Em um segundo momento, começou-se a falar que a senadora estaria cometendo um crime previsto no Artigo 8 da Lei de Segurança Nacional – Lei 7170/83, de “Entrar em entendimento ou negociação com governo ou grupo estrangeiro, ou seus agentes, para provocar guerra ou atos de hostilidade contra o Brasil”. Alguns sites chegaram a afirmar que ela poderia ser presa “hoje”.

Gleisi Hoffmann pediu para o Estado Islâmico invadir o Brasil e soltar Lula?

Todo esse caminho fez a história circular muito na internet e, claro, gerar muitos debates. Mas será mesmo que a senadora Gleisi Hoffmann enviou um vídeo convocando terroristas para que eles invadam o Brasil e “salvem” Lula? A resposta é não. Para você entender tudo, vamos aos fatos.

Para começar, vamos assistir ao vídeo de Gleisi. Não vamos entrar no mérito se a prisão de Lula é justa ou não (cabe à Justiça decidir isso e ela já decidiu). O importante é vocês observarem quantas vezes Gleisi cita o Estado Islâmico ou “grupos terroristas”.

E aí, contou? Se o seu cálculo foi igual ao nosso, o resultado foi zero. Gleisi citou o povo árabe, a rede de TV Al Jazeera (uma das maiores do mundo e que não pertence ao Estado Islâmico), os palestinos (que também não têm nada a ver com o Estado Islâmico) e os países árabes (alguns são, inclusive, vítimas do Estado Islâmico). Em nenhum momento, ela faz uma “incitação” a terroristas.

A descrição do vídeo no Youtube também não ajuda muito na “incitação”.  “A senadora Gleisi Hoffmann, chefe do Partido dos Trabalhadores no Brasil, pede a libertação do ex-presidente Lula da Silva e descreve o que está acontecendo em seu país com o golpe de Estado”, diz.

Aí você pode indagar: mas se ela falou para muçulmanos, falou para terroristas, certo? Erradíssimo. Se você tem esse pensamento, o convidamos a ler um texto. Em 2015, o Boatos.org explicou que nem todo muçulmano é terrorista e nem todo terrorista é muçulmano. São coisas bem diferentes.

Agora, vamos racionar: se Gleisi tivesse “convocado” terroristas, por que ela publicaria o vídeo em sua página do Facebook para brasileiros assistirem? Por que ela enviaria uma mensagem pública? Até onde entendemos, atentados e ações terroristas são planejados secretamente e não em redes de TV e páginas de redes sociais.

Vamos seguir com o exercício de raciocínio: digamos que o PT tivesse “resolvido convocar o Estado Islâmico”, qual seria a chance de o Estado Islâmico (ou outro grupo terrorista) largar a luta pela expansão do Califado no Oriente Médio, atravessar um oceano e “invadir o Brasil”? Eu sei que pode ser chocante para você, mas o Estado Islâmico não se importa com o Brasil ou Lula. A luta deles é outra.

A prova disso está na repercussão que o depoimento de Gleisi teve no “mundo árabe”. No vídeo publicado no Facebook da Al Jazeera, a maioria dos comentários em árabe foram no sentido de “como os árabes vão se importar com Lula se não conseguem resolver os próprios problemas” ou que o “roteiro é igual no mundo árabe” (lembrando o caso do presidente egípcio Mohammed Morsi).

Ao todo, foram 13 comentários (três deles em português) e 156 curtidas em dois dias. Só para comparar, um post sobre o jogador egípcio Mohammed Salah (do Liverpool) teve 534 curtidas em um hora. 

Resumindo: a história que aponta que a senadora Gleisi Hoffmann convocou o Estado Islâmico a lutar contra o Brasil, invadir o Brasil e “salvar Lula” é falsa. 1) Ela não falou a terroristas. 2) Ser árabe não é ser terrorista. 3) Os árabes parecem ter outros problemas mais importantes do que a prisão de Lula para se preocupar.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet