General Ajax invadiu gabinete de Toffoli, ameaçou STF e evitou golpe contra Bolsonaro #boato

Boato – Foi o general Ajax Porto Pinheiro e não o presidente do STF Dias Toffoli quem evitou o “golpe do parlamentarismo” contra Bolsonaro. Ele o fez ao invadir o gabinete do ministro e alertar que o Exército assumiria se o STF tentasse alguma coisa.

Na segunda semana de agosto de 2019, uma entrevista do presidente do STF, Dias Toffoli, à Veja chamou muita atenção. Isso porque, de acordo com Toffoli, o Brasil esteve, “entre abril e maio de 2019”, próximo a uma crise institucional grave que poderia culminar na aprovação de um projeto que previa o parlamentarismo no país.

De acordo com o depoimento de Toffoli, a situação só se acalmou após “três dezenas de reuniões” entre o presidente Jair Bolsonaro, os presidentes da Câmara (Rodrigo Maia) e do Senado (Davi Alcolumbre), autoridades militares e o próprio presidente do STF.

A história rendeu muito debate. Dentre pessoas pedindo mais explicações sobre o suposto “golpe”, críticas à atitude de Toffoli e relatos do tipo “eu disse que tentaram derrubar o presidente”, uma “versão diferente dos fatos” surgiu e ganhou força em redes sociais.

De acordo com mensagens que viralizaram no WhatsApp e no Facebook, não teria sido Toffoli que teria “evitado o golpe” e sim o general Ajax Porto Pinheiro. O texto aponta que tudo começou a se desenhar quando Ajax “invadiu” o gabinete de Toffoli e falou que “se insistissem no golpe do parlamentarismo”, o Exército interviria e começaria “com o STF”. As mensagens se espalharam muito entre pessoas simpáticas com a ideia de intervenção militar no Brasil. Leia trechos das duas versões:

Versão 1: Os generais Ramos e Ajax salvaram o governo de um golpe do parlamentarismo branco tramado pelos PSDB, PT, MDB, MBL, DEM, CENTRÃO e STF; Alcolumbre, Maia, Dias Toffoli, Kim Kataguiri, Serra e outros, inclusive, militar de dentro do Palácio. Todos traidores. Quando o Carlos Bolsonaro e o Olavo de Carvalho denunciavam o golpe, A imprensa começou a criticá-lo. Enquanto, isso o general Eleno começou uma investigação no palácio para descobrir os traidores da pátria. Mas, muitos não acreditaram.

Agora, que foi descoberto, podemos entender muitas coisas. Os generais que salvaram o Brasil do golpe do Parlamentarismo foram o general Ajax e o general Ramos. O general Ajax se dirigiu a Toffoli e disse com todas as letras, que se tentassem implantar o Parlamentarismo. O exercito assumiria e toda a corja traidora seria presa. Só que Toffoli foi dar entrevista a Veja dizendo que ele salvou o Presidente do golpe. Toffoli é mentiroso. Perguntas que não calam, como ficam Alcolumbre e Maia, perante o povo brasileiro?

Versão 2: REAJAM FORÇAS ARMADAS.! CONSPIRAÇÃO – GOLPE – COMPLÔ TOFFOLI, MAIA E ALCOLUMBRE CONSPIRAM CONTRA O GOVERNO BOLSONARO…..… Compartilhem……..! O General Ajax invadiu o gabinete de Toffoli e lhe avisou ” Se vocês levarem a cabo essa ideia de destituir o presidente Jair Bolsonaro, o Exército Brasileiro não permitirá.” e retirou-se Carlos Bolsonaro descobriu que estava em andamento um sórdido complô com vistas a deflagração da campanha para criar o parlamentarismo para enfraquecer o governo Bolsonaro. […]

As esquerdas estavam pulando num pé só, de tanta alegria e o PSDB, vibrando adoidado. Mas todo o plano ruiu quando o general Ajax Porto Pinheiro, alertado por Carlos Bolsonaro, entrou no gabinete de Toffoli, com o respeitável e devido pedido de licença:

– Presidente Toffoli, com o respeito que lhe devo e o senhor me merece, quero lhe advertir do seguinte… se vocês levaram a cabo essa ideia de destituir o presidente Jair Bolsonaro, o Exército Brasileiro não permitirá. O homem foi eleito pelo povo e somente o povo pode tirá-lo da presidência da República (…) Se insistirem nesse projeto, nós interviremos, começando por aqui, no STF! Com sua licença! E retirou-se.

Imediatamente, Toffoli pegou telefone e ligou para Maia: – Rodrigo, aborte o projeto do parlamentarismo. Conversaremos pessoalmente! Conversaram, sim. Quando a história começou a vazar, Toffoli espalhou que foi ele quem evitou o desastre. Maia não gostou da média do Toffoli. Aí, o vice Mourão, também achou de tirar a sua casquinha, pegando bigu na atitude do colega: – (…) Se o STF não cumprir o seu dever, as Forças Armadas intervirão. O general Ajax Pinheiro já tinha dado o recado há muito tempo, diretamente na fonte, isto é, a Dias Toffoli.

General Ajax invadiu gabinete de Toffoli, ameaçou STF e evitou “golpe do parlamentarismo”?

As “novas versões” da história se espalharam muito na internet e fizeram com que os defensores da intervenção militar ficassem felizes. Mas será mesmo que o general Ajax “invadiu a sala de Dias Toffoli”, disse que o “Exército iria intervir no STF” e, ainda por cima, evitou o “golpe”? A resposta é não. Calma aí que a gente explica tudo para vocês.

Ao analisar as mensagens, que têm características de boatos como ser vaga, alarmista, com erros de português, pedido de compartilhamento e falta de citação de fontes confiáveis, achamos algumas contradições que enfraquecem a tese.

A primeira delas é falar que Dias Toffoli disse que “evitou um golpe contra Bolsonaro”. Ao analisarmos, o conteúdo da entrevista do presidente do STF à Veja, é possível perceber que a palavra “golpe” não é utilizada (o termo utilizado é “crise institucional”). Tudo que vier para além disso é questão de interpretação.

A segunda está no trecho que aponta que o general Mourão (vice-presidente da República) se aproveitou da atitude do general Ajax para falar “se o STF não cumprir o seu dever, as Forças Armadas intervirão”. É impossível ele ter dito a seguinte frase após a “crise de abril de 2019” porque a frase foi dita em abril de 2018 (como é possível ver aqui).

A terceira está na ocultação de um detalhe importante: o general Ajax Porto Pinheiro é assessor especial de Dias Toffoli. Logo, a tese que aponta que “ele invadiu, falou e se retirou” não faz muito sentido uma vez que o trabalho atual de Ajax é junto ao presidente do STF.

Para tirar qualquer dúvida a respeito do assunto, entramos em contato com a assessoria de imprensa da Presidência do STF. A resposta foi a seguinte: “Segundo o general Ajax Porto Pinheiro, trata-se de conteúdo falso”. Ou seja: o próprio general negou, via assessoria, que ele “evitou um golpe contra Bolsonaro”.

Resumindo: a história que aponta que o general Ajax invadiu o gabinete de Dias Toffoli para ameaçar que o Exército interviria no STF é falsa. Também não procede a informação que aponta que ele foi o responsável por “salvar Bolsonaro de um golpe”.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)