Ficha criminal que aponta Dilma como terrorista é falsa

Boato – Presidente Dilma Rousseff possui ficha criminal com planejamento de assassinato, envolvimento com terrorismo e assaltos.

Escapar de polêmicas e boatos não é fácil, principalmente quando você é presidente de um país. Em época de campanha eleitoral então, nem se fala, todos os candidatos estão sujeitos a serem vítimas de notícias falsas, invenções, montagens e intrigas.

Um exemplo disso é uma ficha criminal da Dilma Rousseff, que circulou na internet em 2009, e que agora voltou a ser compartilhada nas redes sociais. A imagem cita diversos crimes como assalto, envolvimento com terrorismo e até planejamento de assassinato.

A ficha criminal foi reproduzida pela Folha de São Paulo, em 2009 e, logo depois, a imagem foi desmentida e reconhecida como falha pelo próprio veículo, com um artigo com o título “Autenticidade de ficha de Dilma não é provada”, divulgado no dia 25 de abril de 2009, época em que ela ainda era ministra da Casa Civil.

O veículo admitiu que recebeu a imagem por e-mail e veiculou no jornal a ficha datilografada em papel em tom amarelo, na íntegra, na página A10 e em parte na Primeira Página, com o título ‘Grupo de Dilma planejou sequestro de Delfim Netto’.

O artigo ainda explica que o foco da reportagem não era a ficha, mas sim o plano de sequestro em 1969 do então ministro Delfim Netto (Fazenda) pela VAR-Palmares (Vanguarda Armada Revolucionária Palmares), organização guerrilheira à qual a Dilma pertencia.

Três dias antes da Folha se retratar, o veículo recebeu uma carta da Dilma, dizendo ‘Apesar da minha negativa durante a entrevista telefônica de 30 de março (…) a matéria publicada tinha como título de capa ‘Grupo de Dilma planejou sequestro do Delfim’. O título, que não levou em consideração a minha veemente negativa, tem características de ‘factóide’, uma vez que o fato, que teria se dado há 40 anos, simplesmente não ocorreu. Tal procedimento não parece ser o padrão da Folha.’ A ministra também ligou na redação, pedindo detalhes da ficha, pois esta poderia ter sido manipulada e falsificada.

O texto de retratação da folha pode ser lido no link e ainda afirma que a imagem da ficha falsificada circulava na internet desde o dia 30 de novembro de 2008, através do site www.ternuma.com.br (‘terrorismo nunca mais’). O Observatório da Imprensa também divulgou, na época, uma análise sobre esse acontecimento.

A verdade é que a Dilma foi mesmo presa em 1970, por ‘subversão’, em uma época de ditadura militar, onde fazer oposição aos governos militares significava ser ‘subversivo’. Ou seja, a nossa atual presidente não é uma terrorista assassina, até que provem o contrário, pois a ficha criminal de Dilma que voltou a circular agora na internet é falsa. Detalhe: a ficha verdadeira é essa. 

PS: esse artigo foi uma sugestão da leitor Luis Felipe Baptista no Fórum do Boatos.org no Facebook e contou com o ótimo auxílio de Lauro Carvalho e Rodrigo Gomes Paixão. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site ou pelo Facebook.