Fernando Santa Cruz, pai do presidente da OAB, foi morto por companheiro guerrilheiro Carlos Eugênio Paz em 1971 #boato

Boato – Em entrevista à Globo News, guerrilheiro Carlos Eugênio Paz admitiu que matou o companheiro da ALN Fernando Santa Cruz (pai do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz) em São Paulo, no ano de 1971.

Nos últimos dias, uma declaração (mais uma) do presidente Jair Bolsonaro gerou polêmica na internet. Ao falar que Fernando Santa Cruz (pai do presidente da OAB Felipe Santa Cruz) foi morto por “companheiros da guerrilha” da ALN, Bolsonaro voltou, mais uma vez, a ser destaque “pelo que disse”.

Em meio a protestos diante da declaração de Bolsonaro (que usou como fonte “coisas que ouviu”), mensagens tentando “provar” que a declaração é real surgiram na internet. Uma delas usou um vídeo de uma entrevista de Carlos Eugênio Paz, ex-integrante da Ação da Libertação Nacional (ALN), ao repórter Geneton Moraes Neto, da Globo News.

No vídeo, Carlos Eugênio Paz admite que matou um “companheiro da ALN” em São Paulo no ano de 1971. Na legenda, há a “explicação” de que o “companheiro guerrilheiro” em questão seria Fernando Santa Cruz. Assista ao vídeo e leia mensagens que circulam online:

Versão 1: CARLOS EUGENIO PAZ, DIZ COMO O PAI DO FELIPE SANTA CRUZ DA OAB, FOI MORTO PELOS COMPANHEIROS GUERRILHEIROS DO MESMO GRUPO.

Versão 2: Fernando Augusto Santa Cruz Oliveira, o pai do presidente da OAB foi assassinado pelos seus próprios companheiros da ALN (Ação de Libertação Nacional) segundo o ex guerrilheiro Carlos Eugênio Paz, um dos que atiraram nele ajudando a matá-lo, em entrevista há algum tempo ao Jornal da Globo. Em uma ação da ALN eles roubaram um carro, foram para um matagal para trocar a placa deste quando chega a polícia. Fernando, o pai do presidente da OAB era o homem da metralhadora e fugiu expondo seus companheiros à prisão, interrogatórios, morte e tortura. Por esse motivo a direção da ALN de São Paulo e o Diretório Nacional decidiram por sua eliminação, o que foi feito com a participação do Carlos Eugênio, em uma avenida da São Paulo, no dia 26 de Março de 1971. Essa discussão não leva a nada pois o depoimento está gravado e com certeza, de posse dos militares.

Fernando Santa Cruz, pai do presidente da OAB, foi morto por companheiro guerrilheiro Carlos Eugênio Paz em 1971?

Muita gente saiu compartilhando a história por aí e falando que “Bolsonaro” acertou. Mas será mesmo que Carlos Eugênio Paz admitiu que Fernando Santa Cruz, pai do presidente da OAB, foi morto por ele em 1971, em São Paulo? A resposta é não. Calma aí que a gente explica tudo para vocês.

Para começar, o “tipo de pauta” já tem se tornado uma frequente na web. Toda vez que Bolsonaro dá uma declaração polêmica (para não dizer outra coisa), algum militante lança uma “justificativa” para a fala. Detalhe: a justificativa é invariavelmente furada. Só para citar alguns exemplos: a informação de que a embaixada do Brasil em Washington é formada por “petistas” e que Lula chamou os nordestinos de ignorantes.

A desconfiança criada por este fator e pelas características da mensagem (alarmista e com erros de português) aumenta ao notarmos que a “versão de morte em São Paulo” não se encaixa com a versão oficial da morte de Fernando Santa Cruz (que, neste caso, tem mais peso do que qualquer outra).

Para começar, o documento (emitido pela Comissão Nacional da Verdade) aponta que o pai do presidente da OAB desapareceu no Rio de Janeiro (e não em São Paulo) no ano de 1974 (e não 1971). Vale dizer que há registros de vida até 1974 (antes da morte, ele foi passar o carnaval com a família no Rio de Janeiro). Ou seja: não há como ele ser a pessoa que morreu em 1971, em São Paulo.

Isso é comprovado ao buscarmos pela entrevista de Carlos Augusto Paz (falecido em junho deste ano) a Geneton Moraes Neto (falecido em agosto do ano passado) em 2012. Nesta matéria do site do Jornal Extra, ele diz que matou Márcio Leite de Toledo (e não Fernando Santa Cruz). Ainda de acordo com o depoimento, o motivo seria uma possível deserção do guerrilheiro.

Resumindo: se você está tentando justificar a fala de Bolsonaro com o vídeo da Globo News, desista. Na entrevista, Carlos Augusto Paz se refere a Márcio Leite Toledo e não a Fernando Santa Cruz. Mais do que isso, a data e local da morte do pai do presidente da OAB não coincidem com os da morte do militante paulista da ALN. Ou seja: é mais uma história falsa que circula online.

Em tempo: você pode até acreditar na declaração de Bolsonaro que aponta que Fernando Santa Cruz foi morto por companheiros guerrilheiros. Saiba apenas que a acusação vai contra documentos oficiais e que não foi apresentada nenhuma prova por parte do presidente sobre o ocorrido. Até o momento, apenas palavras.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

Compartilhe este artigo:

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)