Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Política > Ao contrário do que diz mensagem, enchentes no Rio Grande do Sul não ocorreram porque o PT abriu comportas de barragens

Ao contrário do que diz mensagem, enchentes no Rio Grande do Sul não ocorreram porque o PT abriu comportas de barragens

Enchentes no Rio Grande do Sul foram causadas por abertura de comportas das barragens por parte do PT, diz boato (Foto: Reprodução/Facebook)

Boato – Histórias apontam que PT mandou abrir comportas de barragens no Rio Grande do Sul e esse foi o motivo das enchentes na região.

  Análise

As enchentes que estão assolando o Rio Grande do Sul trouxeram um rastro de destruição e mortes. De acordo com as autoridades, mais de 150 mil pessoas foram afetadas. Até o momento, 43 pessoas morreram e 46 ainda seguem desaparecidas.

Em meio à dor e ao luto das famílias, uma história absurda tem circulado nas redes sociais. De acordo com a mensagem, as enchentes teriam sido causadas de forma intencional. Segundo publicações, o PT teria ordenado a abertura das comportas de barragens no Rio Grande do Sul, o que teria ocasionado as enchentes. Confira:

Vídeo: é falso que imagens mostram Lulinha agredindo a esposa

Versão 1: “Essa foi a principal causa de toda essa catástrofe no Rio Grande do Sul, barragens rompida, a imprensa não está divulgando, porque vão ter que indenizar todo mundo, já tem vários relatos de pessoas dizendo que não foi ciclone que causa toda a destruição, que a deu uma barulho em minutos a água chegou com força total, com mais de 20 metros e tinha até barco em árvore”.

Versão 2: “PARABÉNS À ESSA OBRA DO PT E DA PRESIDENTE DILMA #Repost Rio Grande do Sul: Essa barragem do vídeo é no Rio das Antas. Prefeitos questionam operação de três barragens no Rio das Antas, mas estruturas não têm comportas que poderiam mudar vazão. Com uma previsão correta do tempo, as barragens poderiam abrir os vertedouros antes de chuvas torrenciais e dentro dos limites das calhas dos rios, de maneira a baixar o nível das bacias de contenção e, como consequência, aumentar consideravelmente a capacidade de absorção daquelas chuvas. Pelas informações, os vertedouros das barragens foram abertos às pressas – na emergência, para não comprometer as estruturas das barragens – induzindo a dúvida sobre a falha desta tragédia ter sido decorrida da inação da defesa civil. A Ceran emitiu duas notas oficiais negando os boatos, mas, até o momento, não deu maiores detalhes sobre o que ocorreu nas barragens. E segue o jogo…”.

Versão 3: “A PERGUNTA QUE EU FAÇO. EXISTEM COMPORTAS QUE POSSAM TEREM SIDOS ABERTAS EM ALGUMA BARRAGEM E QUE POSSAM TER PROVOCADO O DESASTRE HÍDRICO NO RS RESPONDAM SE SOUBEREM”.

Versão 4: “Degrau d’água. A enchente mais súbita da história do Rio Grande do Sul. “A seguir, texto de uma colega e amiga de Bento Gonçalves sobre a tragédia anunciada. Tirem suas conclusões! “Para quem quiser saber! Well, um dia Dilm’anta não sabia como levar e lavar ‘grana’ e foi então, que teve a ideia de jerico de construir três pequenas usinas hidrelétricas no Rio das Antas, na Serra Gaúcha. Mandou para cá uns engenheiros para ‘avaliarem’ a viabilidade. O helicóptero em que estavam caiu e lá se foram. Essa coisa comum de helicópteros caírem… (contém ironia). Sim, o lugar era de difícil acesso e as condições climáticas pouco favoráveis, disseram… E outros vieram, e a viabilidade foi dada, e do papel saíram as hidrelétricas Castro Alves, Monte Claro e 14 de Julho; localizadas em Nova Roma do Sul, Veranópolis e Cotiporã, respectivamente e nessa ordem de descida do rio. Tudo aqui bem pertinho.

Ocorre que estas três porcarias nem suprem nossas necessidades e do pouco que geram, um tanto é mandado para fora. Ecologicamente, um desastre. Mas, o que importa são as ‘girafas’ da Amazônia… Com estes, agora comuns, ciclones os volumes de águas aumentaram e muito. Que fazem os que mandam no mundo: Mandam abrir as comportas das barragens! Oras, não foi o povo que ignorou o perigo ou algum tipo de aviso, como diz o senhore governadore… As águas chegaram em cascatas acumuladas e muito rápido. O Rio das Antas, logo depois da última hidrelétrica, ainda recebe águas do Rio Carreiro e então, passa a ser chamado Rio Taquari. Imaginem o que aconteceu! As primeiras comportas abertas derrubaram a Ponte de Ferro entre Bento Gonçalves e Nova Roma do Sul. As segundas, deixaram a base dos arcos da ponte entre Bento Gonçalves e Veranópolis embaixo d’água. Algo inédito. As terceiras, mais as águas do Rio Carreiro, inundaram a cidade de Santa Tereza e a cidade de Muçum (80% embaixo d’água) e ainda derrubaram a ponte que liga a última à cidade de Rocca Salles. Efeito dominó! Muita gente desabrigada, ferida e mortos. E querem falar em aquecimento global… Sabem quem deveria ter caído naquele helicóptero??!!”.

A mensagem viralizou nas redes sociais, em especial, no Facebook, no X (antigo Twitter) e no WhatsApp e causou indignação. Ao se deparar com os textos, percebemos que eles apresentam diversas características de fake news na internet, como o caráter vago, extremamente alarmista, a falta de fontes confiáveis que embasam a teoria e a ausência de notícias sobre o assunto.

A partir disso, separamos três perguntas para explicar, de uma vez por todas, essa história: 1) As enchentes no Rio Grande do Sul foram causadas por aberturas de barragens? 2) As comportas foram abertas intencionalmente pelo governo do PT? 3) O que causou as enchentes no Rio Grande do Sul?

Checagem

As enchentes no Rio Grande do Sul foram causadas por aberturas de barragens?

Não. A teoria começou a se espalhar na internet sem nenhum embasamento, apenas na base do achismo. E obviamente, ela não procede. Em meio à confusão, a Secretaria Estadual do Meio Ambiente emitiu um comunicado desmentindo a história. De acordo com a nota, todas as barragens foram monitoradas durante as chuvas torrenciais que atingiram a região.

De acordo com a SEMA do Rio Grande do Sul, as barragens não tiveram influência nas enchentes. Ainda segundo o comunicado, uma das três barragens acusadas não possui comportas e as outras duas que possuem o dispositivo são pequenas e não são capazes de controlar um enome fluxo de água. Além disso, as autoridades explicam que as pequenas barragens sequer possuem capacidade de armazenamento e no dia em que a enchente ocorreu, a água passou por cima das barragens, por conta do volume atípico.

Se isso não bastasse, a SEMA e outras autoridades atribuem ao enorme fluxo de chuva a verdadeira causa da enchente. Segundo eles, o Rio Grande do Sul tem uma média de 1,5 mil mm de chuva por ano. Nos dois primeiros dias em que ocorreu a enchente, os municípios do norte do Rio Grande do Sul registraram 400 mm de chuva em apenas 48 horas – um volume de chuva completamente anormal.

As comportas foram abertas intencionalmente pelo governo do PT?

Só o fato do mecanismo não existir em uma das barragens e, nas outras duas, ele ser pequeno, sem chances de causar a eliminação de um grande fluxo de água, a história já cai por terra. Além disso, não existem evidências de que a enchente tenha sido ocasionada por ação humana. A única teoria que alimenta essa possibilidade é a história de hoje que, como já vimos, não tem grande sustentação.

O que causou as enchentes no Rio Grande do Sul?

A causa das enchentes foi o enorme fluxo de chuva registrado em pouquíssimo tempo. As chuvas foram consequência do encontro de uma área de baixa pressão atmosférica com uma massa de ar quente e úmida, ventos de alta velocidade e os chamados “rios voadores” (massas de ar quentes e úmidas vindas da Amazônia).

Quando se encontram, esses fenômenos geram um enorme volume de chuva ou neve, dependendo do lugar do mundo. Além disso, esses fenômenos se intensificaram graças à influência do El Niño e das mudanças climáticas, que não só tornam esses fenômenos mais acentuados, como aumentam a incidência desses sistemas.

Conclusão

Boato sem comprovação 👎

As enchentes registradas no Rio Grande do Sul não foram causadas porque o PT mandou abrir as comportas das barragens que ficam na região inundada. Para começo de história, as mensagens não apresentam embasamento ou prova daquilo que estão dizendo. Além disso, das três barragens acusadas, uma não possui sistema de comporta e as outras duas possuem um sistema pequeno, que não é capaz de controlar um grande fluxo de água.

Se isso não bastasse, o real responsável pelas enchentes foi o enorme fluxo de chuva registrado na região. De acordo com as autoridades, o estado do Rio Grande do Sul tem uma média de 1,5 mil mm de chuva por ano. Nos dois primeiros dias da enchente, os municípios do norte do estado registraram cerca de 400 mm apenas em 48 horas. Por fim, as chuvas foram causadas pela combinação de eventos climáticos (área de baixa pressão se encontrando com massas de ar quentes e úmidas, que foram intensificadas pelo El Niño e pelas mudanças climáticas.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo siteFacebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube https://bit.ly/3vZsrnd
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3ounmCN
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai http://bit.ly/3zGePPm