Doria negou vacinas a prefeita de Bauru e ela foi pedir a Bolsonaro #boato

Boato – Doria disse a prefeita de Bauru que não enviaria vacinas para o município. Aí, Suéllen Rosim (que não vai fechar nada) foi a Brasília e conseguiu vacina com Bolsonaro.

A mudança de tom em algumas fake news nos mostra uma perspectiva boa em relação à desinformação (se é que possível isso). Algumas mensagens, mesmo falsas, estão começando a enxergar a vacinação em massa como algo positivo (ao contrário do tom antivacina que dominava algumas pautas). E, no caso da mensagem de hoje, a história envolve a prefeita da Bauru (SP), Suéllen Rosim, o governador João Doria e o presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com o texto, Doria avisou a prefeita de Bauru que não enviaria vacinas para o município. Aí, Suéllen Rosim resolveu ir para Brasília conversar com Marcos Pontes, Damares e Bolsonaro. O presidente enviou lotes para a cidade e cidades da região. Por fim, o texto atribui a prefeita a seguinte frase: “Aqui vai ficar tudo aberto. Bauru precisa trabalhar”. Leia a mensagem que circula online:

Confira o desmentido em vídeo:


O Dória, que não recebe o apoio da prefeita de Baurú, avisou-lhe que não teriam vacinas para o município, nesta primeira etapa. Ela não teve dúvida, embarcou para Brasília, se encontrou com o Ministro da Ciência e Tecnologia, que é Bauruense, foram ao gabinete da Ministra da Agricultura e também ao da Ministra Damares. Todos juntos, ela com apenas 28 anos, foram ao Palácio do Governo, falaram com o Bolsonaro e exigiu vacinas para o seu município e para os municípios vizinhos. Resultado, ontem mesmo chegaram vacinas de Oxford para Baurú, Piratininga, Arealva, Duartina, Tibiriçá, Avaí e Lucianópolis. Ela é mocinha, defende o seu povo, brava, destemida. Parabéns a Prefeita Suelen Rosin. E já avisou ao Doria, “Aqui vai ficar tudo aberto. Bauru precisa trabalhar “

Doria avisou prefeita de Bauru que não enviaria vacinas, mas ela foi salva por Bolsonaro?

A mensagem se espalhou por muitos grupos bolsonaristas no Facebook e chamou atenção por aí. Porém, todo o enredo em questão sobre a prefeita de Bauru não só não faz sentido como também não procede.

As características da mensagem já nos deixam desconfiados. Ela tem características como ser vaga, alarmista, com erros de português e não cita fontes confiáveis que comprovem a tal situação. Para além disso, boatos do embate Bolsonaro x Doria (sempre favoráveis ao presidente) têm sido comuns na internet (o que aumenta ainda mais as desconfianças).

Ao buscar sobre indícios do tal enredo, começamos a ver que algumas coisas não se encaixam. Além de não achar a tal “declaração de Doria para Suéllen Rosim”, conseguimos verificar, por meio do site oficial da prefeitura de Bauru, que o município recebeu doses da Coronavac já no dia 20 de janeiro e começou a aplicar no mesmo dia em profissionais de saúde.

A visita de Suéllen Rosim a Bolsonaro ocorreu apenas no dia 26 de janeiro (quando a cidade já estava sendo vacinada). De acordo com o próprio site da prefeitura de Bauru, a vacina não foi a pauta principal. Por sinal, no mesmo dia, a cidade havia recebido lotes da vacina de Oxford (ou seja: o envio não foi “após a visita”).

Vale destacar que a distribuição para municípios (seja da vacina de Oxford ou da Coronavac) fica a cargo dos governos estaduais (que recebem do governo federal). Ou seja: não é lógico que o governo federal tenha mandado a vacina “direto para Bauru”.

Para além disso, tentamos achar informações sobre a tal frase da prefeita (que assumiu o cargo em 1º de janeiro) sobre “tudo ficar aberto”. Só encontramos na mensagem do boato. Por sinal, novamente, como aponta a prefeitura local, a cidade teve que aderir a “fase vermelha” de contenção da Covid-19 em São Paulo e anunciou mudanças no comércio.

Para completar, entramos em contato com a própria assessoria de comunicação da prefeitura de Bauru. Por telefone, nos foi adiantado que a mensagem é uma “fake news”. Posteriormente, foi enviada uma nota com respostas a questionamentos:

1) Doria disse que não enviaria vacina a Bauru? Não houve nenhuma negativa em relação ao governo estadual. A vacina Coronavac foi enviada pelo governo do Estado e a de Oxford pelo Ministério da Saúde, conforme o previsto.

2) A prefeita foi a Brasília por causa disso? A viagem já estava agendada pela prefeita a Brasília desde o começo do ano. Na viagem, Suéllen Rosim tratou de várias demandas do município com ministros, secretários e com o próprio presidente, como nas áreas de estrutura e saúde. Nesta última, a prioridade é obter o apoio para a abertura definitiva do Hospital das Clínicas (HC).

3) A frase “Aqui vai ficar tudo aberto. Bauru precisa trabalhar” foi dita pela prefeita? A prefeita, em suas entrevistas, sempre considerou importante a saúde, em equilíbrio com a economia.

Resumindo: a história que aponta que a prefeita de Bauru Suéllen Rosim procurou Bolsonaro para conseguir as vacinas que teve negadas por Doria é falsa. Assim como também a prefeita não falou nada sobre “Aqui vai ficar tudo aberto. Bauru precisa trabalhar”. Trata-se de mais um boato que circula na web.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2m2887O
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet