Criador do movimento “Ele Não” é condenado a 90 anos por estupro e pedofilia #boato

Boato – O militante criador do movimento “Ele Não” foi preso e condenado a 90 anos de prisão por estupro e pedofilia. Pedro Henrique Barbosa, de 33 anos, é professor de música e capoeira e abusou de crianças autistas.

Em tempos de polarização política e da ‘guerra’ instalada nas redes sociais, o que não falta é espaço para a disseminação de boatos na web envolvendo partidos, figuras conhecidas ou movimentos políticos, como no nosso caso de hoje. Há alguns dias, começou a circular no Facebook, através de um vídeo publicado no YouTube, a notícia de que o professor criador do movimento “Ele Não” foi preso e condenado a 90 anos de prisão por estupro e pedofilia.

Para refrescar a sua memória, o movimento “Ele Não”, que virou uma das hashtags com mais menções em todas as redes sociais, inclusive por artistas, se originou em protestos de mulheres em todo o Brasil contra a candidatura à Presidência da República de Jair Bolsonaro, deputado federal à época. Veja o texto original da publicação que está sendo compartilhada nos quatro cantos da internet:

Versão 1: Criador do #elenão condenado a 90 anos de prisão por estupro e pedofilia. Versão 2: O criador da #Elenão, que chamou a atenção de pessoas vazias de ideias durante a eleição, vai ficar, caso não haja progressão de pena, 90 anos no xadrez , pelos motivos mais absurdos que você pode imaginar. #Globolixo#Notícias

Criador do movimento “Ele Não” foi condenado a 90 anos por estupro e pedofilia?

É óbvio que a prisão de uma figura conhecida no âmbito político, por ser militante e criador de um dos movimentos mais fortes da atualidade, chocaria a comunidade, especialmente entre esquerdistas e eleitores contrários ao governo Bolsonaro. Mas será mesmo que toda essa história é verdade? A resposta é: em partes, sim, mas há muita distorção no que está sendo espalhado por aí. E nós te provamos o porquê a partir dos seguintes fatos…

O primeiro deles é que, sim, a pessoa que aparece na publicação que está sendo compartilhada nas redes sociais, de fato, foi presa pelos crimes de estupro e pedofilia. Também é verdade que, durante as eleições presidenciais, o professor Pedro Henrique Barbosa, que foi condenado a 90 anos de prisão por esses crimes, se mostrou contrário ao então candidato Jair Bolsonaro.

É claro que devemos abrir um parêntese aqui ressaltar que o fato de uma pessoa apoiar “A” ou “B” durante das eleições não é a causa de supostos crimes que cometeram. Afinal, há criminosos de diversas correntes políticas. Portanto, este não é o nosso foco neste artigo.

A questão aqui é que, apesar desses pesares, isto é, da prisão ter realmente acontecido e do suposto criminoso apoiar o movimento contra Jair Bolsonaro no período de eleições, ele não é o criador do “Ele Não”.

Ao buscarmos pela origem do movimento “Ele Não”, descobrimos que ele foi criado em 12 de setembro de 2018, por um grupo no Facebook chamado “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro”, que considerou alguns fatos que declararam Bolsonaro como machista (veja aqui).

No dia seguinte, dia 13, a hashtag #EleNao alcançou o primeiro lugar nos trending topics do Twitter no Brasil (veja aqui). O movimento ganhou até ilustrações e uma música, como você pode ver nesses links aquiaqui e aqui. Ou seja, em nenhum dos casos, o professor Pedro Henrique Barbosa, citado como “criador do movimento”, foi mencionado.

Resumindo: O professor que foi preso e condenado a 90 anos por estupro e pedofilia era contrário à candidatura à Presidência da República de Jair Bolsonaro, mas não foi o criador do movimento “Ele Não”. O movimento foi criado, na realidade, pelo grupo no Facebook “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro”, em 12 de setembro de 2018.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)