Cálculo do WhatsApp prova que déficit na Previdência é falso #boato

Boato – Uma simples calculadora financeira mostra que o déficit na Previdência é falso. Trabalhador paga R$ 422 mil e recebe só R$ 158 mil.

Sem dúvida, a Reforma da Previdência é um dos assuntos mais polêmicos de 2017. É fato que, com idade mínima de 65 anos, “igualdade” entre homens e mulheres e necessidade de 49 anos de contribuição para recebimento da aposentadoria integral, a proposta enviada pelo governo torna o regime de aposentadoria do Brasil um do mais duros do mundo.

Não são poucas as vozes que têm se levantado contra a reforma. Algumas correntes falam que há empresas devendo o suficiente para recuperar o déficit, outras dizem que é preciso estancar os desvios no regime. No meio de tudo isso, um cálculo viralizou por WhatsApp.

A mensagem que mostra o cálculo aponta que o trabalhador paga R$ 422 mil e recebe R$ 158 mil depois que se aposenta. Porém, encontramos diversos erros no cálculo e vamos mostrar parte a parte.

Uma calculadora financeira mostra o tamanho do ROUBO que querem fazer. *Vamos ver se a previdência é realmente deficitária*. Vejamos: Salário 880,00. Contribuição total INSS (patronal + empregado = 20%) 176,00 mensais.

Como vocês sabem, o salário mínimo é, em 2017, de R$ 937. Mas, vamos trabalhar com o valor de R$ 880 citados no texto. Só que além disso, a contribuição para o INSS em cima de um salário mínimo é de 16% (8% do patrão e 8% do empregado) e não 20%. Com isso, o valor da contribuição em 2016 foi de R$ 140,80 mensais.

35 anos são 420 meses. *Pegando-se o valor de R$ 176,00 mensais e aplicando-se o rendimento da poupança* (o pior que existe!) de 0,68% e juros compostos. Total arrecadado R$ 422.784,02.

Opa. 35 anos são 420 meses. Agora vamos multiplicar os 420 por R$ 140,80 (e não R$ 176). O total poupado seria de R$59,136.00. Fizemos uma simulação com ganhos de 8% ao ano. Em 350 anos, o valor seria de R$301,673.51. Bem menos do que os R$ 422 mil citados.

Considerando-se a expectativa de vida em 75, e que em média o brasileiro se aposenta com 60 anos somente receberá a aposentadoria por 15 anos, porem o montante acumulado é suficiente para pagar 40 anos e 3 meses de salário equivalente a contribuição ou seja, segundo o cálculo feito 880,00 mensal, sem contar rendimentos.

O conceito de tomar a “média” como base já está errado (uma vez que estamos falando em um universo de 210 milhões de pessoas). Na verdade, a média que o brasileiro se aposenta é 58 anos. A expectativa é, de fato, 75 anos. Pois bem, vamos contar 17 anos de aposentadoria. O valor total seria R$ 179.520,00. Porém, o cálculo não levou em detalhe outro fator: o valor dos salários tem correção monetária ano a ano.

É difícil imaginar o quanto seria a correção do salário em 35 anos. Mas se tiver em R$ 1.479 em 35 anos, o valor “pago” do INSS (R$301,673.51) já estaria pago.

O trabalhador receberá de volta do governo “bonzinho” R$ 158.400,00 no total, ou seja, 37,5% daquilo que lhe foi tomado pelo governo. Engraçado que não vejo ninguém reclamando… Resumindo: Trabalhador PAGA R$ 422.784,02. Trabalhador RECEBE R$ 158.400,00. Baita negócio, não?

Cálculo do WhatsApp mostra que déficit na Previdência é falso?

Como vocês puderam ver, o cálculo está com diversos erros. Nem de longe os valores apresentados estão corretos. Ao final, o texto ainda aponta para a seguinte mensagem:

*Quem pode compartilhar pra ajudar a chegar em um todo o Brasil?????* Bom dia !!!

Aqui valem algumas explicações. Como “entramos no jogo do cálculo” (que nem deveria ser feito desta forma), acabamos cometendo algumas distorções em relação à aposentadoria, uma vez que desconsideramos, por exemplo, as pessoas que se aposentam por idade (que nem contribuem por 35 anos) ou as que ganham salários maiores (que pagam mais do os 16% do salário mínimos).

O importante de tudo isso é que o debate em relação da Reforma da Previdência deve sair do senso comum. Vale sim discutir vários pontos que parecem ser injustos com os trabalhadores ou que estancariam o rombo da Previdência Social, mas cálculos como os apresentados só ajudam a enfraquecer argumentos dos que consideram as regras duras. Se você for utilizá-los frente a alguém com o mínimo de conhecimento, vai ser “jantado”.

PS.: Esse artigo é uma sugestão de Yasmin Moraes, Aline Simões e diversos leitores via WhatsApp. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook ou WhatsApp no telefone (61) 99331-6821.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet