Boulos é da classe A, estudou nos EUA e criou movimento popular falso #boato

Boato – Precisamos ter cuidado com Guilherme Boulos. Ele é da classe A, estudou nos EUA e, para se tornar líder popular, criou um movimento sem teto falso e que tem apenas 12 militantes.

É fato que passamos um 1º turno “tranquilo” em relação às fake news eleitorais. Isso não pode ser dito em relação ao 2º turno. A prova disso está no fato de que, em dois dias, é o quarto boato eleitoral que desmentimos por aqui. A mais nova história que circula online é um “textão” que aponta para o candidato do PSOL à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos.

Um grande texto em tom alarmista sobre Boulos começou a circular na internet. Em formato de “dossiê”, a mensagem conta um pouco do que seria a história do candidato do PSOL, o acusa de ter “forjado um movimento popular” (o MTST) e o coloca como “um Hitler ou Mussolini com discurso de esquerda”. Leia o texto que circula online:

Precisamos ter cuidado extraordinário com o Boulos. Ele é formado pela USP. Filho de um médico muito competente e prof universitário. Parece que a mãe ou tia são formadas no Largo. Origem na classe A.Estudou nos USA. Fala inglês quase sem sotaque. Mudou-se para Campo Limpo para poder se apresentar como homem da periferia. Fala bem. Imita o Lula no olhar , na barba. Criou uma narrativa de si mesmo como líder popular. Inventou um movimento Sem Teto de 12 militantes que produz a impressão de milhares de participantes. Verdadeira produção cinematográfica. As tendas dos sem teto pertencem a ele. São numeradas e mantidas em um armazém em Diadema junto com pilhas de colchões e fogões velhos que são colocados nas barracas para compor o cenário. Os sem teto , recrutados entre os moradores de rua, são trazidos de ônibus para a ocupação.Comem de graça e pouquíssimos ficam mais do que dois dias. Na ocupação existe trabalho. A maioria não gosta . Para manter o fluxo dos ocupantes tem um carro de som que percorre os bairros adjacentes oferendo terreno de graça e convidando as pessoas para comer de graça e reservar um terreno. Os vizinhos acorrem porque supõe se tratar de um grande negócio : terreno baratinho. A noite, a invasão fica bem vazia. Sobram uns poucos moradores de rua. Fazem fogueiras e dos milhares de ocupantes sobram uns 15 que passam a noite bebendo . A cachaça é por conta da casa. A televisão é chamada para cobrir a invasão. Chega na hora do almoço, gratuito, quando tem gente e no fim de semana.Pedem para trazerem as crianças. Nos dias da semana os ocupantes(???) tiram as crianças da escola, avisam que é para participarem de uma ocupação. A televisão é conivente. Os repórteres percebem a encenação de tudo e não contam. Os professores também. Uns e outros embora não sejam militantes de ocupações tem simpatia pela causa das pessoas sem teto e, pelo Boulos. Uma encenação bem montada por um profissional competente, com uma narrativa articulada, um discurso de « fake news » falando das maravilhas de Cuba e da Venezuela. Os militantes sindicais do PT tem clara visão da montagem . Mas o Lula , absorveu o Boulos e fez o PT apoiá-lo. Ele tem obsessão pelo poder. Nenhum comedimento. É bem inteligente e portanto extremamente perigoso como um Hitler ou um Mussolini ,com um discurso de esquerda. É a cara da nova geração universitária paulista. Mais um estelionato a caminho!

Boulos é da classe A, estudou nos EUA e criou movimento popular falso?

A mensagem, que tem algumas das principais características de boatos (como ser vaga, alarmista, com erros de português e não citar nenhuma fonte confiável), viralizou na internet. Porém, ela é recheada de informações falsas. Como se trata de um texto muito confuso em sua forma e conteúdo, vamos desmentir a história por partes. Para fazer a checagem, buscamos por dados públicos e entramos em contato com a assessoria de Boulos.

1 – Precisamos ter cuidado extraordinário com o Boulos. Ele é formado pela USP. Filho de um médico muito competente e prof universitário. Parece que a mãe ou tia são formadas no Largo.

É fato que Boulos é formado pela USP (ele se formou em filosofia pela Universidade de São Paulo) e que é filho de um médico muito competente e professor (Marcos Boulos). Porém, não é verdade que a mãe dele se formou “no Largo” (Faculdade de Direito do Largo de São Francisco). A mãe de Boulos (Maria Ivete Castro Boulos) também é médica.

2 – Origem na classe A.Estudou nos USA. Fala inglês quase sem sotaque. Mudou-se para Campo Limpo para poder se apresentar como homem da periferia.

Não é verdade, de acordo com a assessoria de Boulos, que ele “estudou nos Estados Unidos” e é “da classe A” (a família de Boulos é considerada de classe média). Sobre a mudança para Campo Limpo (bairro paulistano) para ser um “homem da periferia”: antes de morar em Campo Limpo, Boulos morou em Osasco e em uma ocupação do MTST. Ou seja, não faz muito sentido.

3 – Fala bem. Imita o Lula no olhar , na barba. Criou uma narrativa de si mesmo como líder popular. Inventou um movimento Sem Teto de 12 militantes que produz a impressão de milhares de participantes. Verdadeira produção cinematográfica. As tendas dos sem teto pertencem a ele. São numeradas e mantidas em um armazém em Diadema junto com pilhas de colchões e fogões velhos que são colocados nas barracas para compor o cenário.

Fora a parte totalmente opinativa (que liga Boulos a Lula e que não conseguimos checar), é falso que Boulos “inventou um Movimento Sem Teto de 12 militantes”. Para começar, não foi Guilherme Boulos quem fundou o MTST. O movimento foi fundado em 1997 e Boulos ingressou nele apenas em 2002. Também não é verdade que há “12 militantes”. De acordo com essa matéria, o movimento já assentou mais de 50 mil famílias em 14 estados. Sobre a história de Diadema, também é falso. Sequer a sede do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto é em Diadema. A sede do MTST é localizada em Taboão da Serra.

4 – Os sem teto , recrutados entre os moradores de rua, são trazidos de ônibus para a ocupação.Comem de graça e pouquíssimos ficam mais do que dois dias. Na ocupação existe trabalho. A maioria não gosta . Para manter o fluxo dos ocupantes tem um carro de som que percorre os bairros adjacentes oferendo terreno de graça e convidando as pessoas para comer de graça e reservar um terreno. Os vizinhos acorrem porque supõe se tratar de um grande negócio : terreno baratinho. A noite, a invasão fica bem vazia. Sobram uns poucos moradores de rua. Fazem fogueiras e dos milhares de ocupantes sobram uns 15 que passam a noite bebendo . A cachaça é por conta da casa.

Também foi negado que haja ação para “convocar pessoas para morar de graça”. A assessoria de Boulos apontou que há uso de carro de som em manifestações, mas não da forma que foi dito: “Não usamos carro de som para ‘recrutar gente’. Isso é um absurdo”. Vale dizer que não há qualquer prova de que o MTST faça isso.

5 – A televisão é chamada para cobrir a invasão. Chega na hora do almoço, gratuito, quando tem gente e no fim de semana.Pedem para trazerem as crianças. Nos dias da semana os ocupantes(???) tiram as crianças da escola, avisam que é para participarem de uma ocupação. A televisão é conivente. Os repórteres percebem a encenação de tudo e não contam. Os professores também. Uns e outros embora não sejam militantes de ocupações tem simpatia pela causa das pessoas sem teto e, pelo Boulos. Uma encenação bem montada por um profissional competente, com uma narrativa articulada, um discurso de « fake news » falando das maravilhas de Cuba e da Venezuela.

Apesar da acusação contra a “televisão”, “repórteres” e “professores”, não há qualquer prova de que eles sejam “coniventes” com o MTST. Também não achamos nada sobre Boulos pregando as “maravilhas de Cuba e Venezuela”. Ou seja: são acusações vazias.

6 – Os militantes sindicais do PT tem clara visão da montagem . Mas o Lula , absorveu o Boulos e fez o PT apoiá-lo. Ele tem obsessão pelo poder. Nenhum comedimento. É bem inteligente e portanto extremamente perigoso como um Hitler ou um Mussolini ,com um discurso de esquerda. É a cara da nova geração universitária paulista. Mais um estelionato a caminho!

Essa última tese também tem alguns furos. Além da “comparação com Hitler e Mussolini” ser algo batido em termos de retórica (tanto contra Boulos como contra outros políticos), não há muita lógica nela. Também não há completa em falar que Lula “absorveu Boulos”. Apesar de Boulos e Lula serem de correntes políticas semelhantes, é importante lembrar que o PT teve até candidato próprio no 1º turno da eleição em São Paulo. Ou seja: chegaram a ser “concorrentes”.

Resumindo: a mensagem que está circulando sobre Guilherme Boulos não passa de um amontoado de adjetivos subjetivos e informações falsas ou sem qualquer comprovação. Com isso, já dá para classificar o “textão” como mais um boato que circula online.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2QvB43t
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet