Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Política > É falso que Bolsonaro, general Heleno, Temer e Caiado fizeram reunião com proposta para Alckmin assumir no lugar de Lula

É falso que Bolsonaro, general Heleno, Temer e Caiado fizeram reunião com proposta para Alckmin assumir no lugar de Lula

Bolsonaro, general Heleno, Temer e Caiado fizeram reunião com proposta para Alckmin assumir no lugar de Lula e ex-presidente voltar em 2026, diz boato (Foto: Reprodução/Facebook)

Boato – Bolsonaro, general Heleno, Temer e Caiado fizeram reunião com proposta para Alckmin assumir no lugar de Lula e ex-presidente (que não aceitou) voltar em 2026. 

  Análise

Um texto gigantesco e com supostas informações bombásticas está circulando na internet. De cunho golpista, a mensagem aponta que Bolsonaro, general Heleno, Michel Temer e Ronaldo Caiado fizeram um reunião sobre o futuro do país.

Temer teria feito uma proposta para que Alckmin assumisse no lugar de Lula com a promessa de que Bolsonaro voltasse em 2026. O texto diz que a proposta não foi aceita e que, a partir daí, se costurou a queda de toda a chapa Lula e Alckmin por conta de “lavagem de dinheiro no Panamá”.

Vídeo: é falso que Lula foi flagrado beijando Suzanne von Richtofhen

Por fim, a mensagem coloca hipóteses como a de que o “segundo lugar assumisse”, tivesse uma nova eleição “com voto impresso” e outras coisas.  Leia as mensagens que circulam na internet:

Bolsonaro, Gal Heleno, Michel Temer, Ronaldo Caiado em uma reunião que aconteceu domingo.
Temer levou uma proposta pro Bolsonaro, que não aceitou. Pedia apoio pro Alckmin assumir no lugar do Lules até o fim do mandato, e depois Bolsonaro voltaria em 2026. Bolsonaro disse não. E ainda avisou o Caiado pra se “preparar”. Vai convidar o Caiado para algum ministério. Lules vai cair. Vai cair a chapa. Alckmin não assume. Motivo são provas contundentes de lavagem de dinheiro no Panamá. Tudo nas mãos do Lira.

Chegou dinheiro da Pérsia, pra promover GC no Brasil. Comandantes de tropas já sabem. Cmdts de tropas não aceitarão ordens de Generais ligados ao PT. Desobediência é sublevação na caserna. Porém altos oficiais ligados ao Villas Bôas, e ao Gal Heleno irão assumir a linha de frente. Fronteiras serão fechadas. Aeroportos e Portos serão monitorados pelas FFAAs e PF. Muitos passaportes serão cancelados. Muita gente influente e autoridades serão impedidos de deixar o país. Haverá uma confusão no Congresso, e apoiado pela “intervenção” Lira vai assumir temporariamente a cadeira presidencial, será decretada “vacância” do cargo de Presidente.

Depois que ficar comprovado que “alguém” muito estranho, que não foi eleito pelo sufrágio, e que ocupa hoje a mais alta posição política do país, será decidido se haverá uma “DIPLOMAÇÃO” do candidato que ficou em segundo lugar, e é o Presidente legítimo do Brasil, ou se teremos novas eleições com voto impresso e contagem pública dos votos. “Aqueles elementos” que criaram confusão, fraudaram a eleição para promover o gambá, serão afastados das suas funções e serão julgados. Com certeza haverá prisões. Muitas.

Juízes do STM e o Presidente do STM, por suas ligações e flertes com o PT, serão afastados e igualmente julgados pelo mesmo STM que será presidido por um General honesto e honrado. A maioria dos oficiais do STM darão suporte a essa mudança que só irá favorecer e beneficiar o Brasil. O judiciário brasileiro será abalado. As milícias e as guerrilhas, os traficantes e a bandidagem vão se aproveitar da aparente situação de caos no país, com a queda do desgoverno, para tocar fogo no Brasil. Irão promover muitos ataques simultâneos

Checagem

Na parte da checagem do conteúdo, vamos responder às seguintes questões: 1) É verdade que houve a tal reunião entre Bolsonaro, general Heleno, Temer e Caiado? 2) A chapa de Lula e Alckmin vai ser impugnada e haverá novas eleições? 3) Há alguma chance de existir um terreno preparado para Bolsonaro voltar ao poder?

É verdade que houve a tal reunião entre Bolsonaro, general Heleno, Temer e Caiado?

Não é verdade. Para começar, toda a teoria está contida em um texto completamente insano e com informações bombásticas que, se fossem reais, seriam notícia em qualquer veículo de mídia. Porém, não há nada sobre o assunto. Além disso, a tal “aliança” é improvável (inclusive com “caminho pronto” para Bolsonaro ganhar em 2026).

A chapa de Lula e Alckmin vai ser impugnada e haverá novas eleições?

Não. Assim como em relação à questão anterior, não há qualquer comprovação ou lastro na realidade de que tenha sido sugerido um acordo para “colocar” Bolsonaro em 2026 ou mesmo de que “descobriram dinheiro do Panamá”. Não bastasse isso, o “não saber” o que fazer é quase uma piada (de péssimo gosto).

Há alguma chance de existir um terreno preparado para Bolsonaro voltar ao poder?

Não. Nunca é demais lembrar que Bolsonaro está inelegível até o ano de 2030. Mesmo que existisse a impugnação da chapa atual e houvesse novas eleições (que seriam com voto eletrônico porque não há motivo para que não seja desta forma), o ex-presidente estaria fora. Não poderia sequer concorrer a um cargo eletivo. O mesmo vale para 2026.

Conclusão

Fake news ❌

A mensagem que está circulando, principalmente entre grupos bolsonaristas, é falsa. Não há qualquer lastro na realidade em relação à tal reunião, o golpe contra Lula e Alckmin ou mesmo novas eleições. Trata-se de uma fake news que insiste em circular online.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610)