Bolsonaro ganhou R$ 18 milhões em 2017 para proteger Temer #boato

Boato – O deputado Jair Bolsonaro recebeu R$ 18 milhões em 2017 para proteger Michel Temer e atacar Lula e o PT.

Desde que o presidente Michel Temer foi denunciado pelo crime de corrupção passiva com base no conteúdo da delação de executivos da JBS, o governo segue na corrida para tentar barrar a abertura de inquérito por parte da Procuradoria Geral da República (PGR).

Enquanto Temer se reúne com parlamentares em busca de apoio no Congresso para garantir os 172 votos necessários para derrubar a denúncia no plenário, há quem use outros meios para blindar o presidente. De acordo com um texto que circula online, esse alguém é ninguém menos que o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

A matéria, publicada em um blog dito de esquerda, aponta que o deputado teria recebido R$ 18 milhões para proteger Temer e atacar Lula e o PT. Leia trechos:

ESCANDALO! Bolsonaro recebe R$ 18,4 milhões para proteger Michel Temer e atacar o PT! Assista e compartilhe…

Jair Bolsonaro usa seus milhões de seguidores nas redes sociais para atacar Lula e o PT. Enquanto isso, o próprio “mito” mantém-se mudo em relação às acusações de corrupção contra o “Temeroso”. Em troca, o governo abriu o caixa e jogou milhões de reais nas mãos do deputado que sonha ser presidente da república

A máscara de “paladino da moralidade” que Jair Bolsonaro (PSC-RJ) criou para si mesmo está cada vez mais em xeque. Após calar vergonhosamente em relação aos escabrosos escândalos de Aécio Neves e PSDB, o “mito” da incoerência agora recebeu nada mais nada menos que R$ 18,4 milhões em emendas parlamentares, dinheiro oriundo do caixa do desgoverno Michel Temer (PMB).

..

Bolsonaro ganhou R$ 18 milhões em 2017 para proteger Temer?

Assim que o texto caiu na internet, muitas pessoas começaram a compartilhar o link a torto e a direito. Mas será mesmo que Bolsonaro recebeu R$ 18 milhões este ano só para proteger Temer? A resposta é não. Vamos aos fatos.

A confusão começou com uma matéria da Agência Reuters que se embasou (erroneamente, por sinal) no site Brasil Painel Cidadão do Senado, onde consta o total de gastos de congressistas com emendas parlamentares. Se você não sabe o que são emendas parlamentares, a gente te explica.

A emenda parlamentar é o fundo, calculado com base no orçamento anual, que cada parlamentar recebe para investir em suas bases eleitorais. Por exemplo: um deputado federal eleito no Espírito Santo, com a maioria dos eleitores em Vitória, pode reservar uma cota do orçamento para a construção de postos de saúde na cidade. Para tanto, ele precisa fazer um projeto, o projeto deve ser aprovado dentro do Congresso e, em seguida, o governo libera o recurso.

Esclarecido isso, voltamos ao desmentido: na realidade, o grande problema é que a matéria apresentou dois recortes errados e mesmo com a correção a história se espalhou. Antes da correção, o texto apontava que Temer havia liberado 4,2 bilhões para os deputados neste mês. Mas, na verdade, o valor liberado foi R$ 529 milhões.

Além disso, a matéria apontava Bolsonaro e Aécio Neves como os líderes de repasses no ano. Na realidade, foi o ex-chanceler e senador José Serra (PMDB-SP) com 9,6 milhões de reais, e a senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) com 9,4 milhões de reais.

Pois bem. Depois disso, a história de que Temer estaria comprando o Bolsonaro se espalhou pela internet. E, como você deve imaginar, os blogs simpáticos ao PT não demoram muito para criticar o Bolsonaro.

Com isso, desvendamos a história. Só que não! Ainda tem mais: as mentes brilhantes da internet partiram do pressuposto que o recurso “é para o Bolsonaro”. Como explicamos anteriormente, as emendas são, pelo menos na teoria, para gastos parlamentares. A prova que a história não se sustenta está no fato de que Jean Wyllys (PSOL-RJ) é o quinto da lista.

Depois da repercussão da história, o Bolsonaro gravou um vídeo, onde explica como é feita a liberação dos recursos e onde as emendas recebidas foram investidas. Para além disso, o deputado já declarou que votará a favor da abertura do inquérito contra Temer. Se você tem dúvida, pode conferir aqui.

Resumindo: Bolsonaro não recebeu R$ 18 milhões em 2017 para proteger Temer. O dinheiro nem é do período de junho e nem é para ele e, sim, para projetos. E também não apoiará Temer. A matéria que deu origem a história estava errada. Ou seja, tudo boato.

Nota: A liberação de emendas parlamentares não é entrega de dinheiro para políticos e, sim, uma oportunidade de alocar melhor os recursos públicos, por meio de projetos. Entretanto, é utilizada, em todos os governos, como jogo de influência política e barganha.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de diversos leitores via WhatsApp. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99331-6821.