Balela: amante de Dilma entra na Justiça e cobra pensão de presidente

Boato –  Ex-namorada da presidente Dilma Rousseff, a doméstica Verônica Maldonado, está exigindo na Justiça o seu direito à pensão mensal por conta de “tempo perdido”.

Em um ano eleitoral e em um momento de fragilidade do país, boatos sobre políticos brotam na web. Desta vez, uma polêmica envolve a presidenta Dilma Rousseff. Um texto aponta que a doméstica Verônica Maldonado afirma ter mantido um relacionamento amoroso por mais de 15 anos com Dilma.

Segundo Maldonado, tudo pode ser comprovado através de cartas, fotos e inúmeras documentações que serão usadas para abrir uma ação na Justiça, exigindo o direito de receber pensão. Leia o texto:

Curta também a nossa página no Facebook e não caia em boatos

A doméstica Verônica Maldonado (foto), afirma que teve um longo romance com a ex-guerrilheira e atual presidente da república, Dilma Rousseff.

Verônica disse que pode provar a relação amorosa com Dilma, por que tem fotos, cartas e outros documentos e por isto vai mover uma ação contra a ex-guerrilheira pedindo o direito à uma pensão mensal, já que, por mais de quinze anos a doméstica deixou de trabalhar e de estudar para se dedicar apenas a vida conjugal com Dilma.

O advogado Celso Langoni Filho, citou o artigo 226 da Constituição, dizendo que a família é um bem da sociedade e que tem proteção especial do estado. A doméstica que amava Dilma foi escanteada logo depois que a guerrilheira foi trabalhar em Brasília.

O texto ainda aponta que o advogado Celso Langoni Filho já conta como ganho de causa, visto que a sua cliente tem toda a comprovação. Ele utiliza o exemplo de um caso ocorrido em Pernambuco, onde a juíza Paula Maria Malta reconheceu uma união de duas mulheres, para os mesmos fins de pagamento de pensão.

“A decisão da juíza Paula Maria Malta, da 11ª vara da família e registro civil da capital pode abrir jurisprudência para que outros juízes sigam o parecer.”

Relatado o fato, vamos ao que interessa: toda essa informação é boato! Em um ano eleitoral no Brasil, não poderia se esperar outra coisa além de notícias escandalosas sobre os candidatos. E neste caso, não tratamos de defender a pré-candidata, mas sim de mostrar como é possível manipular opiniões através das mídias sociais.

Percebe-se facilmente, que a história não possui nada de verdadeira. Um olhar rápido em alguns sites que espalharam o boato, e nota-se que a linguagem e falta de fontes subestimam a inteligência do internauta mais atento.

Quanto ao advogado e a juíza citados na matéria, jogue os nomes “Celso Langoni Filho”  e “Paula Maria Malta” no setor do Cadastro Nacional no site da OAB. Como todos temos acesso à essa lista, é fácil comprovar que não existem. E uma vez não existindo, logicamente não vão poder entrar com ação nenhuma e nem julgar nada.

Além isso, e não menos complicado, é a própria imagem que é apontada como sendo de “Verônica Maldonado”. O site brasileiro Quatro Cantos (que também desvenda boatos) aponta que se trata de uma escritora dos Estados Unidos (veja o link da galeria de fotos dela), cuja imagem foi apontada aleatoriamente como a amante de Dilma. Ou seja, mais uma pessoa em situação constrangedora por conta de “balelas” da internet.

Resumo da ópera: é mentira. Não existe nenhuma ex-namorada ameaçando cobrar pensão da presidenta. Quanto à orientação sexual de Dilma, isso também não tem importância. Até mesmo porque caráter não é afetado pela opção sexual de cada um, e esse sim, deve ser observado. Nesses casos ainda vale a regra do “respeito é bom e eu gosto”.

Observação: a pedido da pessoa que está na foto, ela foi tirada do ar.