Aprenda 7 dicas para não deixar o seu Facebook virar um Faceburro

Aprenda 7 dicas para não transformar o seu Facebook em Faceburro
Aprenda 7 dicas para não transformar o seu Facebook em Faceburro

Em uma das postagens do Boatos.org publicadas no Facebook, um internauta (infelizmente, não consegui recuperar quem era o leitor), fez um comentário: “Só podia ser mais uma do Faceburro”.

Faceburro. Realmente, o apelido não poderia ser mais propício em se tratando do mau uso da rede social. Quando Mark Zuckerberg criou o Facebu… ops, Facebook, ele não imaginava que a rede social poderia ser usada para compartilhar tanta asneira (ok, talvez imaginava). E aí, claro, vamos na seara das informações falsas.

Quem acompanha o Boatos.org vê, na maioria das postagens, alusões aos locais onde os boatos surgiram ou ganharam força. E, na maioria das vezes, as histórias falsas nascem ou ganham força na rede social mais popular do mundo. Por isso, juntei uma lista de 7 dicas para você não transformar o seu Facebook em Faceburro. Ou seja, os macetes vão lhe ajudar a não difundir conteúdo falso na internet.

1 – Controle as páginas que você segue

Algumas páginas são especialistas em divulgar boatos na internet (e não estamos falando do Boatos.org). Só para falar de algumas que vêm à cabeça: Verdade Oculta (tão oculta que é mentira), Quer Café (que divulga sem checar), TV Revolta (que faz de tudo para atacar o governo) e Pagode Total (só conteúdo ruim). Deixar de curtir essas páginas quando você vir um conteúdo falso pode ajudar na melhoria de qualidade da sua timeline do Facebook.

2 – Use o Google em conjunto com o Facebook

Viu uma informação duvidosa? Pegue a frase principal da mensagem (ex: Joaquim Barbosa será vice de Aécio Neves), selecione, clique com o botão direito do mouse e escolha a opção “pesquisar…”. Pode ter certeza que a verdade aparecerá. O mesmo procedimento vale para imagens. Clique com o botão direito do mouse e busque por ela no Google.

3 – Aplicativos anônimos como o Secret são estúpidos

Você pode argumentar o que quiser, mas o Secret (aplicativo que já foi proibido no Brasil) é uma das coisas mais estúpidas que já se inventou na internet. Se “mostrando a cara”, muitas pessoas já dizem estupidez em redes sociais, imagina com a (falsa) impressão de estar anônimo. Quando você vir modinhas de Secret ou outros apps anônimos, caia fora. Isso pode evitar a propagação de conteúdo ruim.

4 –  Cuidado com informações repassadas em janelas de bate-papos coletivas

Quando alguém abre uma janela de bate-papo com muitas pessoas, há riscos de informações falsas estarem sendo repassadas. Por isso, quando alguém falar do vídeo exclusivo do Lula, do Aécio ou da Marina Silva em uma janela do Facebook. Duvide, cheque e, se achar melhor, saia do bate papo.

5 – Não clique nas postagens que marcam você e mais 39 no Facebook

Assim como no Orkut, no Twitter e no seu e-mail, o Facebook também é um terreno fértil para cibercriminosos. Uma das formas utilizadas para a propagação de vírus no Facebook são aquelas postagens que marcam você mais 39 pessoas. Nunca clique nelas. Além de compartilhar conteúdo falso (sim, a maioria dos textos dos vírus são de balelas), você corre o risco de ter a conta na sua rede social invadida.

6 – Não acredite que o Facebook vai doar dinheiro para crianças doentes

Caiu um pouco, mas a história volta à tona periodicamente. Postagens dizendo que o Facebook vai doar dinheiro por número de compartilhamento de fotos de crianças doentes não só são falsas como também faz a rede sociais virar um circo de horrores com fotos bizarras. O mesmo vale para pedidos de compartilhamento das fotos como se a pessoa estivesse orando. Ore (ou reze) pelos doentes, mas não exponhas as fotos deles em redes sociais.

7 – Use o botão denunciar do Facebook

O Facebook é uma rede social muito liberal em relação a conteúdo. Mas se você vir uma informação (ou imagem, vídeo) que lhe ofende, é possível denunciar ao Facebook. Talvez não dê em nada. Mas a administração da rede social ficará de olho na página. Você pode optar por deixar de ver a publicação com a opção “Não Quero Ver Isso”.

Por final, vai uma dica bônus e, talvez, mais importante do que qualquer outra. Antes de postar qualquer material no Facebook, cheque se a informação é verdadeira no Google e respire. Esses segundos podem evitar que orelhas de burro cresçam na sua rede social predileta.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)