Washington Post faz denúncia grave contra Doria e aponta que China não quer Coronavac #boato

Boato – O jornal norte-americano Washington Post fez uma denúncia gravíssima contra Doria. Ele seria um dos financiadores da China em caso de corrupção da Sinovac. A Coronavac, aliás, não está sendo testada na China.

Bem, amigos. Nós chegamos a uma fase desse “joguinho” chamado fake news sobre Covid-19 em que boa parte da desinformação se resume na repetição de mantras já apontados como falsos. O caso de hoje é um festival de fake news já desmentidas.

Um áudio está se espalhando no WhatsApp e aponta que o jornal norte-americano Washington Post teria feito uma denúncia gravíssima contra o governador de São Paulo, João Doria, em uma reportagem sobre casos de suborno envolvendo uma pessoa ligada à empresa Sinovac.

No áudio, a pessoa ainda aponta que a China não está interessada na vacina Coronavac pois está desenvolvendo uma vacina própria e que a Sinovac (que teria a sede nas Ilhas Cayman) estaria proibida de operar na China. Leia a transcrição de trechos do arquivo em questão:

Confira o desmentido em vídeo:

[…] Denúncia gravíssima do Washington Post que fala aqui, é citado nominalmente o governador João Doria. Ele é citado, nominalmente, como um dos possíveis financiadores, ou seja, os milhões de dólares que mandaram para a China, em 2019, amigo, quando ainda não se conhecida o coronavírus.

Lá pelo sétimo, oitavo parágrafo, fala que a Sinovac, a vacina da Sinovac, tátátá, que oficialmente Brasil e Indonésia, que não nações populosas, o Brasil na América Latina e a Indonésia na África, Ásia, Sul da Ásia, teriam a aprovação dessa vacina em algumas semanas. E aí ele citam. No Brasil, o governador de São Paulo João Doria, está pedindo e patrocinando os testes da vacina e coisa tal, tátátá.

Resumindo: a China não quer essa vacina. A China está desenvolvendo uma vacina com o laboratório Cansino em parceria com o Instituto de Pesquisa Militar. Essa vai ser a vacina chinesa. A outra vacina que está sendo avaliada pelo governo chinês é a vacina Moderna e a vacina da Pfizer/Biontech. São as vacinas que os chineses estão avaliando. A vacina Coronavac sequer está sendo avaliada na China.

E, repetindo, o laboratório Sinovac está com seríssimos problemas e proibido de operar na China. Ele tem a sede nas Ilhas Cayman. Amigo, mais escancarado do que isso, para quem quiser saber, acesse a página do jornal Washington Post, a data é do dia 04/12 desse ano, onde está a matéria completa. […]

Washington Post faz denúncia contra Doria e aponta que China não quer Coronavac?

Como já apontamos algumas vezes, não há problema algum em uma pessoa dar uma opinião. O problema é quando a opinião é embasada em informações erradas. É o caso de hoje, que tem algumas informações já desmentidas aqui. Para que você entenda melhor a checagem, vamos desmentir por partes:

Fake #1: Washington Post fez denúncia grave contra Doria em caso de corrupção

Antes de esse áudio surgir, nós já desmentimos uma informação sobre o assunto. Apesar de o nome de João Doria estar na matéria do Washington Post (no quinto e não no oitavo parágrafo), não há acusações contra o governador de São Paulo. A única citação a Doria é a que aponta que ele classificou a vacina Coronavac como “a mais segura que estaria sendo testada no Brasil”. Não há nada sobre Doria ser um “financiador” (não dá para saber se é da Sinovac ou da China) ou que está “patrocinando a vacina Coronavac”.

Só mais uma informação sobre o tópico: a Indonésia não fica na África ou mesmo no Sul da Ásia. O país fica no Sudeste Asiático próximo a países como Tailândia, Vietnã e Filipinas. O Sul da Ásia, mais conhecido como Ásia Meridional, compreende países como Índia, Paquistão, Bangladesh e Nepal.

Fake #2: A China não quer a Coronavac e não está fazendo testes com a vacina

Trata-se de um boato também já desmentido (de uma forma similar) aqui. Não é verdade que a China não vai se utilizar da vacina da Sinovac. Assim como muitos outros países, a China está investindo em diversas vacinas (tanto na pesquisa quanto na compra) para poder cobrir a sua população de cerca de 1,4 bilhão de habitantes.

Como já explicamos neste texto, as fases 1 e 2 de testes da Coronavac foram exclusivamente na China. Mais do que isso, a vacina já foi aprovada para uso emergencial no meio do ano e deve aprovada no país ainda neste ano.

Fake #3: A Sinovac está proibida de operar na China e tem sede nas Ilhas Cayman

Mais uma informação errada. Como vocês viram no tópico anterior, a Sinovac tem uma vacina que está prestes a ser aprovada no país, o que prova que a empresa não está “impedida” de operar no país. Para além disso, a própria matéria do Washington Post é taxativa ao afirmar que a empresa não foi punida no caso de subornos de um funcionário (apenas o funcionário foi punido).

Sobre o ponto “Ilhas Cayman”, temos mais um erro geográfico. É fato que a Sinovac (apesar de ter todas as fábricas e operações na China) está registrada fora da China. Só que o país correto é Antigua e Barbuda. Isso tem mais a ver com questões fiscais e de operação na Nasdaq do que de “impedimento” de atuar na China.

Resumindo: além de a matéria do Washington Post não fazer nenhuma acusação contra o governador de São Paulo João Doria, não é verdade que a Coronavac não será utilizada na China ou que a Sinovac está proibida de operar no país.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99458-8494.

– Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
– Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
– Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
– Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
– Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2XrGSBD
– Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet