Vacina da Pfizer faz mortalidade por Covid-19 aumentar em Israel #boato

Boato – Em Israel, vacina da Pfizer faz mortalidade por Covid-19 aumentar, porque mata mais jovens e idosos do que a própria doença.

Quando as vacinas começaram a ser aprovadas em caráter emergencial em diversos países do mundo ainda em 2020, muitos deles se adiantaram e fecharam boas parcerias para garantir a imunização de toda a sua população.

Esse foi o caso de Israel. A estratégia deu tão certo que hoje, início de março de 2021, menos de três meses após o início da vacinação, quase metade dos israelenses já receberam a primeira dose da vacina da Pfizer/BioNTech.

Mas de acordo com uma história que está circulando nas redes sociais, Israel não foi tão feliz assim na sua decisão. Segundo a publicação que fez sucesso nos últimos dias, a taxa de mortalidade por Covid-19 teria disparado após o início da vacinação no país. Ainda de acordo com a história, a vacina da Pfizer/BioNTech seria a grande responsável. Isso porque, segundo a publicação, a vacina poderia causar uma mortalidade “centenas de vezes” maior em jovens e “dezenas de vezes” maior em idosos em comparação com aqueles que não receberam a vacina. Confira:

Versão 1: “Pesquisadores: Taxas De Mortalidade Disparam Em Israel Após Vacinação Contra COVID Da Pfizer. Eles afirmam que a vacina da Pfizer causa  “mortalidade centenas de vezes maior em jovens em comparação com a mortalidade por coronavírus sem a vacina, e dezenas de vezes mais em idosos””. Versão 2: “- CONTÉM 2 FOTOS – AS VACINAS MATAM MAIS QUE A DOENÇA!!! Pesquisa: Taxa de mortalidade por vacina para idosos de Israel 40 vezes maior do que mortes por COVID-19”.

Vacina da Pfizer faz mortalidade por Covid-19 crescer em Israel?

A história caiu como uma bomba nas redes sociais, em especial, no Facebook e no WhatsApp, virando um prato cheio para os negacionistas de plantação. Entretanto, a história não passa de balela!

Basta olhar para a publicação para perceber que ela apresenta as principais características de fake news na internet, como o caráter vago, alarmista, os erros de português e a falta de fontes confiáveis.

Além disso, histórias envolvendo problemas com a vacina e Israel não são novidade por aqui. A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras delas, como a que dizia que israelenses teriam lotado hospitais por causa de efeitos colaterais da vacina. Também a que indicava que um homem teria morrido, em Israel, de ataque cardíaco após se vacinar contra a Covid-19 e, por fim, a que apontava que a vacina contra a Covid-19 seria mais perigosa do que o próprio vírus.

Pois bem, resolvemos ir atrás de mais informações e descobrimos que, assim como outros boatos que têm circulado por aí, a história de hoje surgiu a partir de uma tradução de sites de extrema direita lá na gringa. E assim como nos outros casos, a história de hoje já foi desmentida em serviços de fact-checking no exterior.

O site Le Soleil destacou que a história falsa surgiu de uma interpretação equivocada de dados fornecidos pelo Ministério da Saúde de Israel. Já o site News Hub destacou que, em fevereiro de 2021, o número de mortes por Covid-19, de fato, aumentou. Entretanto, a situação tem muito mais a ver com o abandono das medidas de proteção por parte de muitas pessoas que receberam apenas a primeira dose e também pela segunda onda que atingiu com força o país. Vale lembrar que a vacina só imuniza após a segunda dose.

Além disso, a fase 4 do estudo da Pfizer/BioNTech indicou que o imunizante consegue proteger 90% dos vacinados contra a Covid-19 em qualquer grau de severidade da doença. Os dados do estudo também mostram que a vacina não perdeu sua eficácia frente à variante inglesa da doença.

Se isso não fosse suficiente, a curva de mortalidade pela Covid-19 também andou decaindo em Israel. É claro que o lockdown imposto no país após a ameaça da segunda onda também colaborou para a redução. Mas a vacinação tem se mostrado de extrema importância para a redução de mortes. De acordo com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, no início de janeiro de 2021, 97% das pessoas que morreram por causa da Covid-19 em Israel não tinham se vacinado contra a doença.

Em resumo: a história que diz que a vacina da Pfizer aumentou a mortalidade por Covid-19 em Israel é falsa! A história surgiu a partir de uma tradução de sites de extrema direita no exterior. Na oportunidade, as páginas interpretaram dados fornecidos pelo Ministério da Saúde de Israel de maneira equivocada. Os números da vacinação no país mostram que Israel tem conseguido controlar a doença e reduzir a mortalidade por Covid-19 entre os israelenses. Ou seja, a história não passa de boato.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/3kWrohw
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/38hcBcy