Senado da Itália aprova tratamento precoce (hidroxicloroquina e ivermectina) contra Covid-19 #boato

Boato – Por 212 votos 2, o Senado da Itália aprovou o uso do tratamento precoce contra a Covid-19. Senadores liberaram o uso de remédios como hidroxicloroquina e ivermectina.

Mesmo com a ciência já cravando que remédios como hidroxicloroquina e ivermectina não são eficazes contra a Covid-19, todos os dias algumas pessoas (por motivos político) tentam promover o chamado “tratamento precoce” com os remédios (sem eficácia contra a Covid-19). Hoje, temos mais um exemplo disso.

De acordo com mensagens que circulam online, o Senado da Itália deu a prova de que os negacionistas estão “certos”. Isso porque os políticos teriam aprovado o uso do tratamento precoce (com hidroxicloroquina e ivermectina) contra a Covid-19. Mais do que isso, a votação teria sido esmagadora. Leia algumas das mensagens que circulam online:

Senado da Itália aprova o uso do tratamento precoce contra Covid-19. Itália NEGACIONISTA. Culpa do Bolsonaro. Por 212 votos a 2, senadores entenderam que o tratamento domiciliar pode salvar vidas. A agenda foi assinada por todos os grupos parlamentares para que o Governo tome medidas para o estabelecimento de um protocolo nacional único para uso domiciliar do tratamento precoce; com o uso de hidroxicloroquina, por exemplo.

Senado da Itália aprova tratamento precoce (hidroxicloroquina e ivermectina) contra Covid-19?

O que não faltou foi gente exaltando a atitude do Senado da Itália. Porém e apesar da empolgação de muitos, não é verdade que o Senado italiano aprovou o tal tratamento precoce com hidroxicloroquina, ivermectina e tudo mais contra a Covid-19.

Antes de falar sobre a história em si, é importante citar que mesmo que o Senado da Itália tivesse “aprovado o uso da hidroxicloroquina e da ivermectina”, não mudaria o fato de que os medicamentos não têm eficácia comprovada contra a Covid-19 (ao contrário, estudos demonstram que os fármacos não têm eficácia). Já falamos sobre aqui e aqui (se quiser ler clique nos links).

Vale lembrar que temos um exemplo sobre o assunto aqui no Brasil. Em 2016, o Congresso aprovou o uso da fosfoetanolamina (chamada de pílula do câncer) para tratamento da doença. Apesar da aprovação (que foi sancionada pela então presidente Dilma Rouseff), o remédio nunca teve eficácia comprovada e a distribuição foi suspensa pelo STF. Ou seja: a decisão de políticos não muda o fato de um remédio funcionar ou não.

Dadas as ressalvas, voltamos à história de hoje. Não é verdade que o Senado da Itália aprovou o uso da hidroxicloroquina e ivermectina. Na realidade, o que houve foi uma distorção de uma moção aprovada pelos senadores italianos. Leia o conteúdo contido na moção (traduzido automaticamente):

Na conclusão do exame das moções sobre o fortalecimento da atenção domiciliar aos pacientes acometidos pela COVID-19 , a Assembleia aprovou a agenda unitária G2 (texto 2)que obriga o Governo: a actualizar, através do Instituto Superior de Saúde, Agenas e Aifa, os protocolos e directrizes para o cuidado de doentes com Covid-19 no domicílio, tendo em conta todas as experiências dos profissionais que trabalham na área; criar mesa ministerial de acompanhamento, na qual estejam representados todos os profissionais envolvidos nas trajetórias de atendimento territorial; ativar intervenções que envolvam todo o pessoal capaz de prestar cuidados de saúde, apoio socio-sanitário e apoio familiar desde o diagnóstico; atuar para que as diferentes experiências e dados clínicos coletados pelos serviços regionais de saúde convirjam em um protocolo nacional de gestão domiciliar do paciente Covid-19;

Como vocês podem ver, em nenhum momento se fala em aprovação de tratamento com hidroxicloroquina e ivermectina. Como aponta essa matéria, a moção obriga o governo a adotar um protocolo nacional para atendimento domiciliar de tratamento contra Covid-19.

Vale apontar que desde maio do ano passado a hidroxicloroquina não é recomendada para tratamento contra Covid-19 na Itália. Uma nota de março deste ano também condena o uso da ivermectina contra a Covid-19.

Resumindo: a história que aponta que o Senado da Itália aprovou o tratamento precoce (com ivermectina e hidroxicloroquina) contra a Covid-19 é falsa. A história que está circulando no Brasil não passa de uma distorção de uma notícia sobre uma moção que fala do tratamento domiciliar contra a doença.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3tP2fIR
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/38hcBcy

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet