Papa não se manifestou sobre legalização do aborto na Argentina #boato

Boato – O papa Francisco está mais preocupado com pessoas furando o lockdown do que com a legalização do aborto na Argentina. Ele não se pronunciou sobre o assunto. 

O ano de 2021 começou agitado (e conturbado) na terra dos hermanos. Isso porque antes de 2020 chegar ao fim, a Argentina iniciou a vacinação contra a Covid-19 nos profissionais de saúde do país.

Se isso não bastasse, apenas um dia depois, o Senado argentino aprovou o projeto de lei que prevê a legalização do aborto nas primeiras 14 semanas de gestação no país. E o assunto deu o que falar.

Tanto que as fake news sobre o tema chegaram “chutando a porta de 2021”. E não poupou, absolutamente, ninguém. De acordo com uma história que está circulando nas redes sociais, o papa Francisco não teria se posicionado sobre a aprovação da legalização do aborto no Argentina, sua terra natal. Enquanto isso, segundo as publicações, o pontífice estaria “apenas” preocupado com as pessoas que estariam furando a quarentena e viajando para se reunir em festas de final de ano. Confira:

Versão 1: “O Papa Francisco ficou triste por pessoas viajarem em meio à quarentena. Mas pelo seu silêncio, não ficou triste com a legalização do aborto na Argentina, sua terra natal. Talvez pra ele,  adultos precisam mais de proteção do que bebês indefesos”. Versão 2: “O estranho Papa fica triste com as pessoas que viajaram pra fugir do lockdown, mas não manifesta nem um pouco de tristeza quando sua terra natal, a Argentina, aprova o aborto indiscriminado. Isso é que chamo de contradição papal”.

Papa não se manifestou sobre legalização do aborto na Argentina?

A informação repercutiu bastante nas redes sociais, em especial, no Facebook e no Twitter. Grande parte das acusações partiram de evangélicos e algumas publicações já contam mais mais de 4 mil compartilhamentos. Apesar disso, a história não passa de balela.

A mensagem segue aquele velho roteiro já bem conhecido pelos leitores do Boatos.org, informações vagas, alarmistas e sem fontes confiáveis.

As publicações se sustentam em dois “fatores polêmicos”, colocando o aborto como um “grande crime absoluto do universo” e o lockdown como algo “desnecessário”. São duas visões bastante enviesadas.

Em 67 países ao redor do mundo, a decisão de interromper ou não a gravidez é apenas da mulher. São exemplos a Suécia, a Rússia, a Noruega, a Dinamarca, grande parte dos estados da Austrália e dos Estados Unidos. Esses lugares entendem que o aborto é uma questão de saúde pública e não de religião ou convicções pessoais (assim como deveria ser em todos os países). Ou seja, abortar não é crime em diversos países e se trata de uma questão de saúde pública. Mulheres continuarão interrompendo a gravidez, sendo crime ou não. O que o Estado pode fazer é fornecer meios seguros para que isso aconteça ou apenas seguir tampando o sol com a peneira.

Quanto ao lockdown, já estamos cansados de continuar repetindo a mesma coisa: a Covid-19 segue firme e forte por aí. Enquanto isso, seguimos sem vacina no Brasil e também sem um tratamento efetivo contra a doença. Diversos países europeus resolveram voltar ao confinamento por conta do alto número de casos e mortes por Covid-19. Com muitas pessoas planejando viagens e aglomerações de final do ano, os governos decidiram não arriscar. Por isso, o papa Francisco tem intensificado os pedidos e as críticas a quem resolveu se aventurar nas festas de final de ano (além dessas pessoas estarem descumprindo leis locais, também estão colocando diversas pessoas em risco).

E apesar de tudo isso, não é verdade que o papa Francisco não se posicionou sobre a aprovação da legalização do aborto na Argentina. Após o Senado anunciar a decisão, o papa Francisco falou sobre a valorização da vida em sua última audiência geral de 2020. Além disso, durante o processo de votação do projeto de lei, Francisco também respondeu os fiéis que lhe cobraram uma posição sobre o assunto. Em uma carta aberta à comunidade, ele afirmou que a questão do aborto não é primariamente religiosa, mas sim humana. Ele também destacou que não emitiu nenhum posicionamento particular por causa de distorções e má interpretações por parte de veículos de comunicação. Se isso não fosse suficiente, Francisco já se posicionou contra o aborto em diversas outras ocasiões.

Em resumo: a história que diz que o papa Francisco não se posicionou sobre a legalização do aborto na Argentina é falsa! Francisco já se posicionou contra o aborto em diversas ocasiões desde que se tornou papa. Ao longo das discussões e da votação do projeto de lei pela legalização do aborto na Argentina, Francisco respondeu que o tema não é uma questão primariamente religiosa, mas sim humana. Além disso, também informou que não iria se posicionar de maneira individual por causa de outras distorções ocorridas em suas falas por parte da imprensa. Ou seja, a história não passa de balela.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99458-8494.

– Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
– Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
– Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
– Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
– Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2YViiVK
– Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
– Siga-nos no TikTok http://bit.ly/38hcBcy