Médica tcheca na Alemanha descreve como os imigrantes muçulmanos acabaram com o país #boato

Boato – Em carta, médica tcheca que mora na Alemanha descreve como os imigrantes muçulmanos destruíram a Alemanha em pouco tempo. 

Desde que as guerras se intensificaram no Oriente Médio, em especial na Síria, muitas pessoas deixaram seus países de origem em direção à Europa. Com isso, milhares de pessoas passaram a conviver em lugares e com culturas completamente diferentes. E, infelizmente, isso acabou gerando muitos casos de xenofobia em toda a Europa.

Nos últimos dias, uma suposta carta com teor xenófobo viralizou nas redes sociais. De acordo com publicações, uma médica tcheca na Alemanha teria descrito como os muçulmanos teriam “acabado com o país”. Segundo a carta, muitos muçulmanos estariam recusando o atendimento de mulheres. Além disso, de acordo com a médica, muitos imigrantes teriam doenças “exóticas” que os médicos alemães “nem sabem como tratar”. A médica também afirma que muitos imigrantes não têm condições de serem empregados e não possuem educação. E ainda segundo a carta, a médica retornaria ao seu país natal caso a Alemanha reabra suas fronteiras. Confira:

“Infelizmente a falta de recursos e a devida educação nos países mais pobres, o imenso abismo entre as sociedades evoluídas e as carentes é sem duvida um dos grandes desafios da humanidade. Veja este depoimento de uma médica tcheca que trabalha na Alemanha. Elizabeth Sipelli (Via Déa Fernandes) Texto de uma médica tcheca. Ela é anestesiologista e trabalha num hospital de Munique. Vejam o que está acontecendo no atual ambiente multicultural da Alemanha: Na Alemanha já não suportam mais os muçulmanos.

“Ontem tivemos uma reunião sobre como a situação aqui e em outros hospitais de Munique ficou insustentável. As clínicas não conseguem lidar com emergências e assim começam a enviar tudo para os hospitais. Muitos muçulmanos estão recusando ser tratados por funcionários do sexo feminino e, nós, as mulheres, estamos nos recusando a trabalhar entre africanos especialmente. As relações entre a equipe e os migrantes está indo de mal a pior. Desde o último fim de semana, migrantes que vão a hospitais têm que ser acompanhados por policiais.

Muitos migrantes têm AIDS, sífilis, tuberculose aberta e muitas doenças exóticas que, aqui na Europa, nem sabemos como tratar. Se recebem uma receita, aprendem na farmácia que têm que pagar em dinheiro. Isto leva à explosão de insultos inacreditáveis, especialmente quando se trata de remédios para crianças. Eles abandonam as crianças com o pessoal da farmácia e dizem: Então, curem-nas vocês! Portanto, a polícia não tem que proteger apenas clínicas e hospitais, mas também grandes farmácias”. […]

Médica tcheca na Alemanha descreveu como os imigrantes muçulmanos acabaram com o país?

A carta dividiu opiniões e acabou sendo compartilhada diversas vezes nas redes sociais. Mas será que essa história de que uma médica tcheca que mora na Alemanha realmente escreveu uma carta apontando como os muçulmanos acabaram com o país? A resposta é não.

Vamos lá! Logo de cara, ficamos desconfiados com a suposta carta. Ela apresenta diversas características de fake news na internet, como o caráter vago, alarmista e a falta de fontes confiáveis (um perfil onde o material teria sido publicado, por exemplo).

De fato, uma pessoa realmente poderia ter escrito a suposta carta, mesmo com seu conteúdo extremamente xenófobo. Entretanto, não parece o caso desta. Buscamos pela carta em diversos idiomas, inicialmente pelo alemão. Porém, não encontramos nenhuma publicação ou notícia sobre o material.

Foi aí que resolvemos fazer a busca em inglês e descobrimos um artigo do site de fact-checking estadunidense Snopes. De cara, percebemos que a mesma carta já circulou com diferentes autorias (no caso do artigo do Snopes, havia sido atribuído a uma “médica” sem falar a nacionalidade. Em outras, foi atribuída a uma psicóloga.

Se isso não fosse o suficiente, o site ainda aponta, item por item, as balelas citadas no texto. Por exemplo, o desprezo pelos pacientes imigrantes apresentado na carta é algo bastante diferente do que é praticado pela área médica. Também os dados de aumento de desemprego e de imigrantes grávidas não possuem embasamento nenhum. Não passa de achismo.

Em resumo: a história que diz que uma médica tcheca na Alemanha escreveu uma carta onde aponta como os muçulmanos acabaram com o país é falsa! A publicação já foi compartilhada com outras autorias e apresenta dados inconsistentes, como a forma de tratamento do pessoal da área médica com os imigrantes e também dados sem embasamento. Ou seja, tudo não passou de boato. Até a próxima.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164. 

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2I24G4V
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)