Mãe e filha assumem relacionamento lésbico #boato

Boato – Mary e Vertasha Carter resolveram assumir um relacionamento amoroso homossexual e notícia se espalhou na internet.

Uma história que começou a circular pela internet em setembro de 2014 tem deixado as pessoas defensoras da “moral e bons costumes” de cabelo em pé. O caso dá conta de um relacionamento amoroso assumido por mãe e filha.

De acordo com o texto, que circulou por blogs, fóruns e redes sociais, Mary e Vertasha Carter teriam descoberto que também gostariam de fazer sexo um com a outra. A mãe esperou a filha fazer 18 anos e as duas começaram a ter um relacionamento. Leia trechos dos texto:

“Minha mãe ainda é minha mãe. Ela ainda faz coisas normais de mãe: me compra roupas, comida, me diz para fazer a minha cama. Nós apenas também gostamos de fazer sexo uma com a outra”.

Com essa frase eu conheci a história de Mary e Vertasha Carter, mãe e filha que assumiram um relacionamento lésbico uma com a outra. As leis proíbem a prática de incesto, principalmente pelo fato de relações entre pessoas da mesma família trazerem defeitos para os bebês. […]

A mãe ainda declarou que a atração entre ele e a filha iniciou quando a garota completou 16 anos, mas elas discutiram e decidiram esperar que ela completasse 18 anos para que começassem a fazer sexo. Ela ainda afirmou que elas não tornaram seu relacionamento público para criar polêmica, mas sim para encorajar outras pessoas que estivessem em relacionamentos parecidos. […]

Claro que muitas pessoas começaram a “jogar pedra” na situação sem ao menos fazer uma checagem mais apurada. E o mistério começou a se revelar por meio da foto que acompanha a mensagem das supostas mães e filhas amantes. A imagem foi retirada, na realidade, deste blog em uma postagem de abril de 2012.

Procurando por Mary e Vertasha Carter no Google, nós só encontramos versões da história e desmentidos. Um deles, apresentado no fórum do Boatos.org no Facebook, é o do site Snopes (um Boatos.org gringo).

O Snopes aponta que a notícia surgiu no Stuppid, um site de notícias falsas. E se você visitar a seção que trata sobre o Stuppid, ele se autoproclama o site com as notícias mais estúpidas e loucas. Esqueceram de falar que são as notícias mais falsas também.

Com isso, chegamos à conclusão de que a história é mais uma balela publicada na internet. E que, mesmo sem muita verossimilhança, enganou muitas pessoas que navegam pela rede.

PS: esse artigo foi uma sugestão dos leitores Juliana, Marianna Godoy, Soninha Santos, Suellen Martins e Dinda Nina, e contou com a ótima ajuda de Lukas Ridgeston e Camila Elias no Fórum do Boatos.org no Facebook. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site ou pelo Facebook. 

Lukas, inclusive, deixou uma frase que fica a para reflexão de vocês:

“Parafraseando o Snopes, esse tipo de mentira tem por objetivo despertar o pior tipo de comentário preconceituoso contra mulheres, contra homossexuais e contra pessoas negras. Diz muito sobre quem compartilha, mais que tudo.”

Pior é que eu tenho visto
isso depois que vi aqui. Aqui é super compreensível pq queremos saber opiniões até chegar numa conclusão sobre o boato. Mas o que eu tenho visto é muito julgamento e eu não suporto quando espalham coisas duvidosas já fazendo juízo da notícia. Mas se eu fosse selecionar meus contatos por isso ficaria sozinho no Facebook.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)