Biden distribui leite condensado e ivermectina a quem se vacinar nos EUA #boato

Boato – Brasileiro que mora nos Estados Unidos revela que o presidente Joe Biden está distribuindo ivermectina e leite condensado a pessoas com mais de 50 anos que se vacinam.

Como o Boatos.org apontou ontem, na publicação do A Semana em Fakes, bolsonaristas se aproveitaram da história que falava sobre gastos com leite condensado para “mitar” (ou lacrar) em redes sociais. No meio disso, algumas histórias falsas (como essa) já apareceram por aí. E, hoje, a balela atravessou limites (tanto fronteiriços como de bom senso).

Um vídeo de um brasileiro que supostamente moraria nos Estados Unidos viralizou entre redes sociais bolsonaristas. Nas imagens, o sujeito relata que recebeu uma correspondência e foi chamado para tomar a vacina contra a Covid-19. Ele havia “sido convocado por estar na zona de risco e ter mais de 50 anos” (detalhe: o sujeito não tem 50 anos).

Ele ainda fala que as pessoas não acreditavam na idade dele e que ele teve que mostrar a identidade e “demonstrou estar na zona de risco”. Depois, ele diz que foi para uma sala com o “Exército, Marinha e Aeronáutica” onde ficou uns 40 minutos. Depois de tomar a vacina, ele teria um brinde dos Estados Unidos. Um agradecimento por se imunizar.

No vídeo, ele diz que recebeu uma marmita “muito bonita” (com arroz, vegetais, camarão), frutas (kiwi, uvas e umas coisas muita saudáveis) e uma caixinha de ivermectina (detalhe: o remédio era do Brasil, mais exatamente um genérico). O sujeito disse que Biden adotou o “tratamento precoce” (com ivermectina e cloroquina). No final, o sujeito disse que também foi dada uma lata de leite condensado (brasileiro também, da marca Itambé).

Depois ele fala que o leite condensado produz “vitamina C” e serve para o Exército e que todo órgão público dos Estados Unidos, segundo o sujeito, usa por causa da vitamina C e do “duramento” do produto. No fim, ele elogia Bolsonaro e diz que ele “é o cara” e provoca a esquerda. Leia a mensagem que circula online:

Versão 1: Extra, Extra, Extra: “Vacinação nos Estados Unidos é seguida de entrega de kit Ivermectina, HCQ, Leite Condensado, Frutas e Marmitex”. O motivo: Atenuar os efeitos colaterais da vacina! Versão 2: Olha que realmente não é onque se diz, mas quem diz ! Brasileiro vai se vacinar nos USA e na saída recebe kit lanche com LEITE CONDENSADO ITAMBE e IVERMECTINA! Versão 3: Dhon Biden Novo Protocolo de combate à pandemia; distribuí kit 1 vacina 1 marmita 1 cartela de IVERMECTINA 1 lata de Leite condensado. Versão 4: Foi chamado para ser vacinado nos EUA, e ganhou sacolinha com marmita, almoço completo, leite condensado e uma caixa de IVERMECTINA para tratamento precoce…como assim? Vacinado e receber IVERMECTINA? Pena que o vídeo será cortado…

Biden distribui leite condensado e ivermectina a quem se vacina nos EUA?

Como vocês viram, a história rendeu entre grupos bolsonaristas e, em alguns casos, rendeu até provocações e o reforço de que “a ivermectina cura a Covid-19” (algo falso) e de que Biden está seguindo os passos de Bolsonaro (algo que também não procede). Mas é claro que a história é uma balela.

O relato do sujeito é muito bacana (ou não), mas nem de longe convence. É claro que (como, o próprio fala na última frase do vídeo, ao dizer “desculpa a brincadeira”) não é um relato sério. Uma análise com informações passadas pelo sujeito já revela a lorota. Vamos citar apenas algumas para vocês verem que não é verdade que Biden “adotou” a ivermectina e o leite condensado.

Primeiro: os Estados Unidos não consideram como “grupos prioritários” pessoas com mais de 50 anos. O grupo prioritário é de pessoas com mais de 65 anos e profissionais de saúde. Além disso, a “chamada” para vacinas não se dá “pelo correio” (na Califórnia, por exemplo será por email ou SMS). Além disso, para se vacinar não é preciso “Exército, Aeronáutica e Marinha”. Normalmente, a vacinação necessita de enfermeiros e não de membros das Forças Armadas.

Não para por aí. Com exceção do relato do brasileiro em questão, não temos nenhuma informação sobre “brindes” para quem se vacina (a vacina já é um brinde, amigo). Muito menos com marmita com camarão, kiwi etc (haja dinheiro público, né?). Para além disso, os produtos “brasileiros” não seriam utilizados pelo governo dos Estados Unidos. A ivermectina sequer é vendida na “embalagem brasileira” nos EUA. Por sinal, Biden também não endossa o “tratamento precoce” (que de tratamento não tem nada).

Para terminar, o leite condensado não é “rico em vitamina C”. 100 gramas tem o equivalente a 5% do valor diário recomendado da vitamina. Ou seja: para “suprir” a vitamina C, seria preciso 2 quilos do produto ou 26 mil calorias (dá para ficar gordinho, né?).

Com tantas contradições na fala e nenhuma fonte confiável, podemos cravar que a história que aponta que Joe Biden começou a distribuir ivermectina e leite condensado nos Estados Unidos é falsa. No vídeo em questão, o sujeito conta uma balela daquelas e (pelo menos nas versões que o trecho não é suprimido) admite que é uma brincadeira. Ou seja: o temos é uma verdadeira mamadeira de leite condensado à americana.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2m2887O
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet