22 missionários condenados à morte por afegãos islâmicos #boato

Boato – 22 missionários foram condenados à morte por afegãos islâmicos e serão mortos amanhã depois das 18 horas.

Que o Estado Islâmico tem realizado diversas atrocidades, incluindo execuções de forma cruel, não podemos negar. Porém, uma nova história tem chamado atenção na internet e provocado orações de quem é cristão.

Circula, em redes sociais, a informação de que 22 missionários cristãos foram condenados à morte no Afeganistão. De acordo com a mensagem, eles serão mortos “amanhã”. Leia uma das versões da mensagem:

Confira o desmentido em vídeo:

Por favor vamos orar pelos 22 missionários que foram condenados a morte e que serão mortos amanhã por afegãos islâmicos. Tentem não demorar e passar essa mensagem bem rápido para que muitas pessoas estejam orando também.

A história causou um rebuliço no Facebook. Porém, muitos não se atentaram para um pequeno detalhe: a história é falsa. Felizmente, não há missionários ameaçados no Afeganistão. Vamos aos fatos.

Para começar, a mensagem se utiliza de dois artifícios clássicos em histórias falsas que circula online. O primeiro é que data a história como “amanhã” (ou seja, amanhã sempre será amanhã, nunca terá uma data certa). Além disso, pede para que a mensagem seja repassada.

Procurando na internet sobre detalhes a respeito da tal história nos deparamos com a mesma corrente circulando há anos, em inglês. Um dos primeiros links encontrados é do site Snopes (que desvenda notícias falsas na internet). O site explica que não há 22 missionários sequestrados.

De acordo com a publicação, a história surgiu após o sequestro de 23 missionários sul-coreanos pelo Talibã em 2007. Dois destes missionários foram mortos e outros 21 foram libertados após pagamento de fiança por parte do governo da Coreia do Sul. Fora este caso, nunca mais ocorreu nada semelhante à descrição do texto.

Sendo assim, podemos afirmar que realmente houve um sequestro de missionários cristãos, mas que nada está acontecendo neste momento. Ou seja, a história que circula na internet é falsa.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)