Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Esporte > É falso que Cristiano Ronaldo tenha sido condenado a 99 por ter abraçado uma mulher no Irã

É falso que Cristiano Ronaldo tenha sido condenado a 99 por ter abraçado uma mulher no Irã

Cristiano Ronaldo foi condenado a 99 chibatadas por abraçar mulher no Irã, diz boato (Foto: Reprodução/Twitter)

Boato –  O craque português Cristiano Ronaldo foi condenado a 99 chibatadas por adultério após ter abraçado uma mulher no Irã. 

  Análise

Em meio ao debate sobre islã e ocidente, uma notícia começou a circular em alguns veículos internacionais e chegou, a reboque, no Brasil. Mensagens dão conta de que o craque português Cristiano Ronaldo teria sido condenado a 99 chibatadas no Irã por adultério.

O motivo seria um encontro que ele teve com a pintora Fátima Hamami (que tem 85% do corpo paralisado e fez um quadro dele com os pés) em que ele a abraçado. A explicação seria o fato de Cristiano Ronaldo ter “tocado” em outra mulher sendo caso. Leia algumas das mensagens que circulam online:

Vídeo: é falso que Lula foi flagrado beijando Suzanne von Richtofhen

Versão 1: Cristiano Ronaldo deve ser condenado a 99 CHIBATADAS caso volte ao Irã. O jogador beijou o rosto e tocou em uma mulher ao agradecer por uma pintura que recebeu. Tocar uma mulher “que não é sua” é crime de adultério no país!

Versão 2: URGENTE: Cristiano Ronaldo foi condenado a 99 chicotadas pela justiça do Irã após abraçar a pintora iraniana Fátima Hamami como forma de agradecimento por ter lhe dado um quadro. “Tocar em uma mulher solteira no Irã é considerado adultério.”

Checagem

Na parte da checagem, vamos responder às seguintes questões: 1) Como se deu a cronologia da história que aponta que Cristiano Ronaldo foi condenado a 99 chibatadas no Irã? 2) Cristiano Ronaldo foi mesmo condenado a 99 chibatadas no Irã? 3) É possível que o craque português sofra a tal punição se chegar ao país?

Como se deu a cronologia da história que aponta que Cristiano Ronaldo foi condenado a 99 chibatadas no Irã?

Tudo começou quando algumas contas do Twitter começaram a publicar a informação. Mas ela ganhou corpo quando teve a referência do site espanhol Mundo Deportivo, que citou a “TV iraniana” Sharq Emroz. Há referências, ainda, da citação ao veículo de mídia Rouydad 24. Depois disso, veículos de mídia do mundo todo (inclusive do Brasil) começaram a falar do assunto e dar o crédito ao veículo espanhol.

Cristiano Ronaldo foi mesmo condenado a 99 chibatadas no Irã?

Não. Ao contrário do que fizeram muitas pessoas, fomos buscar na fonte da informação. E lá descobrimos que não é verdade que haja qualquer anúncio oficial de julgamento contra Cristiano Ronaldo. Pelo contrário, as embaixadas do Irã na Espanha, no Brasil e em Portugal desmentiram o boato. Veja o que escreveu cada uma delas:

Negamos veementemente a emissão de qualquer decisão judicial contra qualquer atleta internacional no Irão. É preocupante que a publicação de tais notícias infundadas possa ofuscar os crimes contra a humanidade e os crimes de guerra contra a nação palestiniana oprimida.

De referir que Cristiano Ronaldo viajou ao Irão nos dias 18 e 19 de setembro para disputar um jogo oficial de futebol e foi muito bem recebido pelo povo e pelas autoridades. O seu encontro sincero e humano com Fatemeh Hamami também foi elogiado e admirado tanto pelo povo como pelas autoridades desportivas do país.

Para piorar o enredo, descobrimos que não existe (ou pelo menos não há qualquer rastro na internet) de uma TV iraniana chamada Sharq Emroz. Já o Rouydad 24 tem, sim, um conteúdo sobre o assunto: o site desmente a fake news. 

É possível que o craque português sofra a tal punição se chegar ao país?

É improvável que haja algo do tipo. Além de as fontes apresentadas pelo veículo espanhol (que deve ter visto em perfis na internet) não falarem sobre o assunto, autoridades do Irã negaram a história. Ou seja: está tudo no campo da hipótese.

Conclusão

Fake news ❌

É falso que o Irã tenha condenado Cristiano Ronaldo a 99 chibatadas por ter tocado em uma mulher estando casado. Trata-se de uma fake news que poderia ter ficado só na internet se não tivesse sido “comprada” por veículos de mídia.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610)