Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Esporte > É falso que Botafogo tenha vendido Brasileirão para a CBF; texto é uma fake clássica

É falso que Botafogo tenha vendido Brasileirão para a CBF; texto é uma fake clássica

Botafogo vendeu o título do Brasileirão para a CBF, diz boato (Foto: Reprodução/Facebook)

Boato – O Botafogo e John Textor venderam o título do Brasileirão para a CBF em uma trama. Foi divulgado o escândalo que todo mundo suspeitava.

Análise

Em um enredo dos mais incríveis (futebolisticamente falando), o Botafogo conseguiu perder uma vantagem gigantesca na liderança do Campeonato Brasileiro. É claro que uma situação destas iria resultar em um texto conhecido na internet.

A mensagem aponta que foi divulgado o escândalo que todo mundo suspeitava. O texto, assinado por Gunther Schweitzer, aponta que John Textor vendeu o título do Brasileirão para a CBF em troca de patrocínio vitalício e outras garantias. Leia:

“BRASILEIRÃO 2023 – DIVULGADO O ESCÂNDALO QUE TODO MUNDO SUSPEITAVA ! Talvez, isso explique a razão do jogador Tiquinho Soares ter declarado a seguinte frase: ‘”Se as pessoas soubessem o que aconteceu no Niltão, ficariam enojadas!”. Todos os botafoguenses ficaram chocados e tristes por terem perdido o título do campeonato brasileiro. Não deveriam.

Vídeo: é falso que médico favorável a Ivermectina ganhou prêmio de Melhor Cientista do mundo

O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e o Gazzeta delo Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos. Fato comprovado:

O Botafogo SAF VENDEU o campeonato para a CBF. Os jogadores titulares foram avisados, às 13:00 do dia 21 de outubro (dia do jogo), em uma reunião envolvendo o Sr. John Textor(na única vez que o dono da SAF compareceu a uma preleção do time), Ednaldo Silva, atual presidente da CBF, os Técnicos Lúcio Flávio e Joel Carli , o Sr. André Mazzuzo, executivo de futebol do Botafogo, o sr. Jalim Habbei, representante da Fifa e o Sr. Ronald Rhovald, representante da patrocinadora Reebok. Os jogadores reservas permaneceram em isolamento, em seus quartos ou no lobby do hotel.

A princípio muito contrariados, os jogadores se recusaram a trocar o título do brasileirão por uma vaga direta na libertadores e favorecimentos na competição. A aceitação veio através do pagamento total dos prêmios, US$70.000,00 para cada jogador, mais um bônus de US$400.000,00 para todos os jogadores e integrantes da comissão, num total de US$ 23.000.000,00 vinte e três milhões de dólares) através da empresa Reebok.

Além disso, os jogadores que aceitarem o contrato com a empresa Reebok nos próximos 4 anos terão as mesmas bases de prêmios que os jogadores de elite da empresa. Mesmo assim, jogadores como Tiquinho Soares e Lucas Perri se recusaram a jogar. *A sua situação só foi resolvida após o representante da CBF ameaçar não convocar tais atletas*

Assim, combinou-se que o Botafogo não venceria a partida contra o Atlhético PR, porém a após Tiquinho Soares marcar o primeiro gol da partida, fez com que a Ligth (empresa de energia elétrica), que absolutamente não participou desta negociação, fosse, acionada pelos dirigentes do Clube e da CBF. A partida foi interrompida para que se tivesse a certeza de que os jogadores estavam fechado com o esquema. O jogo terminou no dia seguinte com um empate entre ambas equipes.

O Sr. Ednaldo Silva, novo presidente da CBF, cidadão franco-suíço, aplaudiu a colaboração da equipe brasileira, uma vez que o campeonato brasileiro traz equilibrio ao país num momento conturbado do Brasil, com vários problemas políticos e ecônomicos. Garantiu, também, ao Redbull Bragantino, através de seu tio, Jalim Habey, que o RB Bragantino teria seu caminho facilitado para a conquista do título. Passem esta mensagem para o maior número possível de pessoas, para que todos possam conhecer a sujeira que ronda o futebol! Desde, já agradeço, Um abraço. Gunther Schweitzer Central Globo de Jornalismo*

Checagem

O texto já tem outras versões (como após o jogo contra o Palmeiras, contra o Grêmio e contra o Vasco). Com base nisso, vamos responder às seguintes questões: 1) É verdade que o Botafogo vendeu o Brasileirão para a CBF? 2) O que podemos falar do texto em questão? 3) Há alguma lógica no Botafogo entregar o Campeonato Brasileiro dolosamente?

É verdade que o Botafogo vendeu o Brasileirão para a CBF?

Não. Na realidade, não há qualquer comprovação de que a perda da vantagem de 13 pontos que a equipe tinha tenha relação com a trama de John Textor e outras figuras marcantes da CBF. Além disso, o texto (que não consta em nenhuma fonte confiável) é um clássico no mundo das fake news.

O que podemos falar do texto em questão?

O texto, com pequenas alterações, é uma corrente falsa que surgiu depois que o Brasil perdeu a Copa de 1998 para França. O nome de Gunther Schweitzer não tem nada a ver com a Globo. Na realidade, é o nome de um sujeito que passou a mensagem por e-mail e esqueceu de apagar a assinatura.

Há alguma lógica no Botafogo entregar o Campeonato Brasileiro dolosamente?

Além de os nomes contidos nos textos serem falsos (e alguns que não passam de trocadilhos), não há como existir uma lógica em um trama dessa magnitude e envolvendo tanta gente. Vale apontar ainda que os valores apresentados são irrisórios perto do que pode render uma premiação (e o prestígio) de campeão brasileiro.

Conclusão

Fake news ❌

É falso que o Botafogo tenha entregue o Brasileirão para a CBF em uma trama envolvendo dirigentes, jogadores e com muita gente enojada. Trata-se de uma fake news clássica que está voltando a circular no contexto do campeonato nacional.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610)