Bolsonaro rescindiu patrocínio de R$ 780 milhões da Petrobras à McLaren #boato

Boato – Após rescindir contrato de R$ 780 milhões entre Petrobras e McLaren, Bolsonaro destinará verba para educação de crianças.

Se tem uma coisa que muitos brasileiros são apaixonados desde pequenos, essa é a velocidade. E não é para menos. A história da Fórmula 1 está recheada de conquistas de pilotos que nasceram em terras tupiniquins, como o inesquecível Ayrton Senna, Nelson Piquet e Felipe Massa.

E se engana quem pensa que a participação de brasileiros se restringe apenas à direção dos carros. Desde 1998, a Petrobras patrocina equipes de F1. Até 2008, a petrolífera apadrinhava a equipe Williams. Em 2018, ela anunciou uma nova parceria: a equipe McLaren, que já foi 8 vezes campeã de construtores (prêmio destinado ao melhor construtor durante uma temporada de F1).

Mas parece que a parceria entre o time inglês e a empresa brasileira pode azedar. De acordo com uma informação que circula nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro teria rescindido o patrocínio milionário de R$780 milhões entre os dois. Ainda segundo a história, o dinheiro agora seria destinado à educação de crianças entre 3 a 7 anos. Confira:

Versão 1: “VCS SABIAM??AS MÍDIAS NÃO DIVULGAM!!. Vc sabia que a McLaren  tem um patrocínio da Petrobras de 700 milhões por cinco anos? E que o Bolsonaro rescindiu? E agora essa verba vai para educação de crianças de 3 a 7anos no Brasil. Isso a mídia não divulga! BRASIL, BRASIL E BRASIL!”. Versão 2: “Aquele tipo de notícia que a grande mídia não mostra. Petrobrás cancela contrato de R$ 780 milhões com a McLaren. A medida tomada por ordem do Presidente Bolsonaro, destinará a verba agora para a educação de crianças de 3 a 6 anos”.

Bolsonaro rescindiu patrocínio de R$ 780 milhões da Petrobras à McLaren?

A suposta história de que Bolsonaro teria rescindido a parceria entre Petrobras e McLaren pegou muitos amantes da F1 de surpresa (especialmente os torcedores da equipe inglesa). Porém, essa informação não é lá como está sendo contada. Então, continua lendo para saber mais detalhes sobre esse caso.

Vamos lá! Na realidade, a história de hoje mistura elementos verdadeiros e falsos (uma característica bastante típica de algumas fake news). Então, vamos começar com o que temos de verdadeiro nessa notícia.

De fato, a Petrobras possui um contrato com a McLaren. Desde 2018, a petrolífera brasileira patrocina a equipe de F1 inglesa. De acordo com a própria Petrobras, a parceria é importante para agregar conhecimento e aprimorar os produtos desenvolvidos por ela.

É fato também que existe uma intenção de rescindir o contrato entre as duas partes. No início de maio de 2019, o ministro da Cidadania Osmar Terra demonstrou descontentamento com a parceria firmada entre Petrobras e McLaren. No Twitter, o próprio presidente Jair Bolsonaro afirmou que seu governo “busca uma maneira de rescindir o contrato” entre as duas empresas.

Porém, a verdade acaba por aí. O resto? Pura balela. O primeiro equívoco dessa história está no valor do contrato. O suposto patrocínio de R$780 milhões por cinco anos (que foi indicado, inclusive, por Bolsonaro em seu tuíte) não existe. Na realidade, o contrato prevê um valor de cerca de R$50 milhões por ano. Vale ressaltar que, inclusive, a informação já foi desmentida por alguns sites de fact-checking brasileiros.

O segundo equívoco está no anúncio de que o contrato foi rescindido. Apesar das especulações (e intenções), a parceria continua. No GP da França, realizado no dia 23 de junho de 2019, foi possível observar o logo da Petrobras nos carros da escuderia. Além disso, o próprio site da equipe inglesa também exibe a marca da petrolífera brasileira.

Em resumo: a história que diz que o governo Bolsonaro rescindiu um contrato de R$780 milhões entre Petrobras e McLaren é falsa! A parceria, de fato, existe. A intenção de rescindir o contrato também. Porém, apesar das especulações, a parceria continua (como é possível observar nos GPs e no próprio site da escuderia). Por fim, o suposto valor quase bilionário por cinco anos não existe. O contrato, na verdade, é de cerca de R$50 milhões por ano. Ou seja, essa história não passa de boato. Então, já sabe: se você encontrar essa informação no seu feed, acelere e não olhe pra trás. Até a próxima!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)