Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Entretenimento > Não há provas de que apoio de cantores sertanejos a Bolsonaro seja em troca do perdão de dívidas

Não há provas de que apoio de cantores sertanejos a Bolsonaro seja em troca do perdão de dívidas

Cantores sertanejos trocaram apoio a Bolsonaro em troca do perdão de dívidas na Receita Federal, diz boato (Foto: Reprodução/Facebook)

Boato – Um grupo de cantores sertanejos trocou o apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro nas eleições de 2022 em troca do perdão de dívidas na Receita Federal.

Análise

Agora, em 2024, uma denúncia que atinge diretamente o ex-presidente Jair Bolsonaro voltou a circular na internet. De acordo com a mensagem, publicada por sites, blogs e perfis em redes sociais, ele teria recebido o apoio de cantores sertanejos por um preço: o perdão de R$ 900 milhões em dívidas com a Receita Federal.

Ainda de acordo com a história, a promessa de Bolsonaro seria de perdoar até 90% das dívidas por meio de programas de renegociação. Leia um trecho da história que circula na internet:

Vídeo: é falso que Sadia esteja dando prêmios para quem compartilhar no WhatsApp

DÍVIDA / APOIO 2022 Cantores sertanejos trocam apoio a Bolsonaro por perdão de dívidas Uma investigação de 2022 revelou que artistas sertanejos, apoiadores de Jair Bolsonaro, possuem dívidas de quase R$900 milhões com a Receita Federal.

Checagem

Não demorou para a história viralizar entre perfis de pessoas que não nutrem simpatia por Bolsonaro. Como se tratam de denúncias graves, estamos aqui para realizar a checagem do conteúdo respondendo a algumas perguntas. São elas: 1) Qual é o contexto da denúncia contra Bolsonaro e cantores sertanejos? 2) É verdade que Bolsonaro trocou o apoio de cantores sertanejos em troca do perdão de dívidas? 3) As denúncias que estão circulando na internet procedem?

Qual é o contexto da denúncia contra Bolsonaro e cantores sertanejos?

A história se arrasta desde o período eleitoral de 2022. Depois de uma série de cantores como Zezé Di Camargo, Chitãozinho e Sula Miranda participarem de um evento com o ex-presidente, conteúdos apontavam que os tais cantores teriam uma grande dívida de cerca de R$ 900 milhões com a Receita Federal.

Depois deste conteúdo, conjecturas em relação à troca de apoio em troca de um “perdão de dívidas” começaram a circular na internet (sem nenhuma prova). A “denúncia” morreu ao final das eleições (assim como diversos boatos políticos), mas foi ressuscitada agora em 2024 sem qualquer motivo aparente ou gancho factual.

É verdade que Bolsonaro trocou o apoio de cantores sertanejos em troca do perdão de dívidas?

Não há nenhuma prova disso. Primeiro, porque os mesmos cantores já demonstravam apoio a Bolsonaro antes mesmo das eleições de 2022. Assim como há alguns nichos da cultura (como da MPB) que têm apoio massivo à esquerda, há, naturalmente, um apoio do nicho sertanejo (até por conta de influência do agro) à direita brasileira.

Segundo, porque programas de renegociação de dívidas à Receita Federal com grandes descontos já são comuns. O Desenrola (que também deu um vultoso desconto) é um exemplo. Terceiro, porque a própria denúncia contra os “cantores sertanejos” carece, no mínimo, de provas.

As denúncias que estão circulando na internet procedem?

Lá em 2022, houve uma anúncio da “dívida de cantores sertanejos”. Porém, não foi dito quem seriam os cantores que teriam a dívida ou mesmo quando cada um devia. De lá para cá, não tivemos nenhuma atualização sobre o assunto. Se a denúncia fosse tão urgente, teríamos atualização, certo? Mais uma vez, não temos (pelo menos por enquanto) nenhuma prova da tal dívida.

Conclusão

Boato sem comprovação 👎

No nosso conceito, a história entra como boato sem comprovação. A acusação, leviana, se baseia em uma denúncia que não tem profundidade e nem desdobramentos e, ainda por cima, cria uma relação causa consequência (vitória de Bolsonaro e perdão de dívidas) sem elementos comprobatórios.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610).