Vídeo de mulher pisando em uma criança deve ser compartilhado para que ela seja presa #boato

Boato – Mulher é flagrada pisando em uma criança no Brasil. Compartilhe o vídeo para que a polícia do Brasil possa identificá-la e prendê-la.

Um dos piores vícios que conseguimos identificar das pessoas nas redes sociais está na “vontade de fazer justiça”. Por causa desse sentimento, pessoas acabam sendo acusadas injustamente e conteúdos que não deveriam circular são viralizados sob a desculpa de “se identificar o culpado” (quando, na realidade, sabemos que muitas vezes eles circulam só por causa da curiosidade das pessoas). É o caso da história de hoje.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org Siga o Boatos.org no Twitter: Se inscreva no nosso canal no Youtube

Receba as nossas atualizações no grupo do WhatsApp (só postagens do administrador, não se preocupem): http://bit.ly/36nlVru

Confira o nosso Instagram:

Instagram

Um vídeo horrendo (e que, obviamente, não será exibido aqui) ganhou força em redes sociais como o Instagram, Facebook e, principalmente, WhatsApp. As imagens mostram uma mulher maltratando uma menina. Ela pisa em cima da garota e senta em cima dela. Junto ao vídeo há um pedido de compartilhamento e a justificativa de que seria para a polícia identificar a mulher. Leia uma das versões da história que circulou online:

Crueldade: Mulher maltrata de criança pisando nela Circula pelas redes sociais um vídeo no qual uma mulher sobe em uma criança e anda sobre o corpo dela, como se estivesse massageando com os pés. A mulher começa lentamente e, poucos minutos depois, ela pisa até no rosto da criança, que começa a gritar de dor. Mesmo com a criança aos prantos, a mulher não para. compartilhem até que a policia consiga localizar esta mulher que jamais mereceria ser chamada de mãe quem a conhecer ligue 181 não precisa se identificar

Vídeo de mulher pisando em uma criança para deve ser compartilhado para que ela seja presa?

Muita gente obedeceu às orientações e compartilharam o vídeo na internet. Mas será mesmo que adianta compartilhar a tal informação para que a mulher seja presa pelas autoridades aqui no Brasil? A resposta é não. Calma aí que a gente explica tudo para vocês.

Por todos motivos que explicamos lá em cima, já sabemos que a prática de compartilhar esse tipo de filmagem é, no mínimo, de caráter duvidoso. Ao ver filmagens dessa natureza, você deve, com toda parcimônia, verificar a origem do vídeo e, se for o caso, denunciar às autoridades (e não ao grupo do zapzap).

Seguimos justamente este roteiro e descobrimos dois detalhes que fortalecem a tese de que você não deve compartilhar a história. O primeiro é que, se você analisar o que menina fala no vídeo, vai perceber que ela fala em espanhol (em uma parte, ela fala “mi pechito”). A música também não é conhecida no Brasil. Isso enfraquece a tese de que se deve compartilhar para que as autoridades descubram quem foi.

O segundo é que, aparentemente, as autoridades descobriram o local onde foi gravado o vídeo. A filmagem foi, na realidade, feita no México. Mais exatamente na cidade de Nueva León. Nessa matéria do MSN, as autoridades não dão a identidade da agressora, mas apontam que continuam investigando o caso. Não temos notícias de que ela tenha sido presa.

Resumindo: Não adianta você compartilhar o vídeo da mulher que pisou em uma criança. O caso não ocorreu no Brasil, menina já foi identificada e a filmagem não merece ser difundida “gratuitamente” por aí. Sem mais, vamos para o próximo desmentido.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2s72BQx

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)