Repassem vídeo de mulher espancando bebês para que ela seja presa #boato

Boato – Por favor! Repassem vídeo de mulher espancando bebês para que os vizinhos reconheçam, os pais tenham conhecimento e que ela seja presa.

Agressões a crianças são, de fato, de partir o coração. Por mais que existam alguns que ainda falem que “o Estado” quer controlar a criação das famílias, é muito importante que casos de espancamento de crianças e de bebês sejam coibidos. Em meio a esse cenário, um vídeo tem chocado na internet.

As imagens mostram uma mulher dando tapas na cara de um bebê que está em um andador. Mesmo com ele começando a chorar, ela continua batendo na boca dele e dando tapas na cabeça. A partir da metade da gravação, há um corte para outra situação. Nela a mulher bate em um bebê que está deitado e depois volta a agredir a mesma criança que estava no andador. Em seguida, ela começa a atirar as crianças no chão. Uma bate com a cabeça e começa a sangrar. No final, ela começa a esganar um dos bebês e fala palavras inteligíveis.

Junto às imagens (que obviamente, não vai dar para mostrá-las aqui e você não deve procura-las na internet), há uma mensagem pedindo para que as cenas brutais sejam “repassadas urgentemente”. Leia: “Meu Deus…..Repassem urgente, pra ver si algum vizinho reconhece, se foi em creche ou se os pais tem conhecimento, para que as autoridades tomem providências”.

É preciso repassar vídeo de mulher espancando bebês para que ela seja presa?

Sem palavras. A pessoa do vídeo age de forma tão brutal que não há palavras publicáveis aqui para descrever a ação dela. Mas será mesmo que o caso ocorreu no Brasil e será que é necessário fazer com que essas imagens horríveis circulem na internet brasileira? A resposta é não. Para você entender tudo, vamos aos fatos.

É notório que não é recomendável você compartilhar vídeos bizarros que são acompanhados com textos que têm as principais características de boatos (vago, alarmista, com erros de português, pedido de compartilhamento e sem citar fontes confiáveis). Normalmente, são situações em que compartilhar não vai ajudar em nada. Apenas fazer imagens brutais se espalharem. É o caso do vídeo em questão. Por que? Simples: o caso não aconteceu não Brasil e a pessoa responsável pelas agressões já foi identificada pela polícia e presa.

O caso aconteceu em julho de 2018 na Arábia Saudita. De acordo com o Gulf News, uma mulher somali se separou do marido iemenita e usou o vídeo com agressões para chantageá-lo e “arrancar” mais dinheiro. O vídeo começou a se espalhar na Arábia Saudita (compartilhado pelo próprio pai das crianças) e as autoridades foram avisadas. De acordo com o Daily Mail, a mulher acabou identificada e presa em quatro dias.

Resumindo: a tese que aponta que uma mulher que espancou dois bebês precisa ser reconhecida é falsa. O caso não foi no Brasil e ela já foi presa. Deu para entender? Não adianta mais ficar compartilhando os vídeos. Se você fizer isso, só vai estar espalhando imagens impróprias e brutais pela web.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)