Mulher que defecou em foto de Bolsonaro é professora de crianças #boato

Boato – Priscilla Toscano, mulher que defecou na foto de Bolsonaro, é professora de uma escola para crianças em São Paulo.

Atualização: ao contrário do que havíamos informado anteriormente, a informação que apontava que ela havia trabalhado em uma Escola Pública de SP até 2014 estava certa. Nesta entrevista, Priscilla aponta que trabalhou no local entre 2010 a 2014. Em 2014, o Diário Oficial de São Paulo apontou a exoneração dela (dê um CTRL + F para encontrar a informação). Apesar disso, a informação que apontava que ela não é professora de crianças atualmente continua valendo, já que ela foi contratada para ser “orientadora vocacional” para pessoas com mais de 14 anos. 

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Siga o Boatos.org no Twitter:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Receba as nossas atualizações no grupo do WhatsApp (só postagens do administrador, não se preocupem): http://bit.ly/39Tje3u

Confira o nosso Instagram:

Instagram

No meio do debate político, os capítulos escatológicos vão se sucedendo. O último deles dá conta de um protesto em que fotos de políticos eram alvos de cuspes e algumas coisinhas mais. No meio do protesto, a artista Priscilla Toscano urinou e defecou em uma foto do deputado Jair Bolsonaro.

Mulher que defecou na foto de Bolsonaro é professora, diz boato
Mulher que defecou na foto de Bolsonaro é professora, diz boato

Logo após o protesto, muitas pessoas começaram a procurar na internet de onde veio a mulher que realizou o ato. Pois bem, uma das informações dava conta que ela seria uma professora de crianças. Leia alguns textos que circulam online:

PQP!! Essa doida é PROFESSORA e dá aula para CRIANÇAS! A notícia saiu na rádio jovem pan. Ele é professora pela prefeitura de SP! Será que os pais sabem que a professora dos seus filhos, Priscila Toscano, é cagona?

A mulher estuda mais de 5 anos, faz diversos cursos, e no final a sua obra prima é uma cagada no meio da rua?? E ainda por cima é uma cagadinha fraquinha!? Pela força que ela fez eu pensei que sairia algo do tamanho da cabeça do Jean Wyllys!

Créditos na imagem.

Esta é a funcionária do Haddad, Priscila TOSCAno. A mulher que acha que pode defecar na cara dos outros. Essa mulher merece dar aulas para crianças ? NÃO! Mas merece ficar famosa por suas atitudes. Rua não é banheiro.

Priscilla Toscano, a “mulher cagada”, é professora de EDUCAÇÃO INFANTIL. Veja se ela não está atuando na escola onde SEU FILHO estuda.

Como vocês conseguiram ver acima, a fonte da informação para os boatos na internet foi uma reportagem da rádio Jovem Pan, de São Paulo. Mas será mesmo que a tal Priscilla Toscano é professora de crianças? Pelo o que tudo indica, a resposta é não. Vamos aos fatos.

Antes de tudo, vamos explicar o que a matéria da Jovem Pan apontou. Na realidade, o foco da matéria estava no fato de ela ser contratada como orientadora vocacional (e não professora) de um programa da Prefeitura de São Paulo. A informação está certa e é comprovada por documentos.

Porém, duas informações acabaram ganhando mais força do que essa: a de que ela poderia dar aulas para crianças e que havia sido professora até 2014. Essas informações foram transformadas no “fato” (entre aspas) de que ela era “professora de crianças”. Porém, há três erros aí.

Atualizado: é fato que ela foi professora de crianças entre 2010 até 2014. A informação está explicada no início do texto. 

O primeiro está no fato de ela trabalhar com crianças, informação que foi levantada como hipótese pela Jovem Pan uma vez que eles não tiveram retorno da Prefeitura sobre a pergunta. Porém, o blog oficial do “Programa Vocacional” aponta que ele é aberto para maiores de 14 anos. Para crianças, há um segundo programa chamado Piá.

A segunda informação é a de que ela havia sido professora na rede municipal de São Paulo em 2014. Porém, no currículo dela não há informação sobre isso. A informação foi retirada do cache do site do Coletivo PI, fundado pela artista. Além disso, não teria como ela ser professora de escolas já que é licenciada em teatro (disciplina que não está na grade curricular de escolas públicas). Leia:

Performer, atriz e produtora. Diretora do Coletivo PI. Licenciada em Artes Teatro pela UNESP e História da Arte pela Universidade de Santiago de Compostela, Espanha. É uma das fundadoras do Desvio Coletivo, grupo que dirige ao lado de Marcos Bulhões e Marcelo Denny, sendo os principais trabalhos o espetáculo Pulsão (2013) no qual atuou, produziu e realizou assistência de direção, e a direção da intervenção urbana Cegos em circulação internacional passando por Paris, Barcelona e Ilha da Madeira, e na programação do Circuito SESC Palco Giratório em 2014. Ministrou oficinas de intervenção urbana em diversas instituições, dentre elas: ARTA–Atelie Formations de L’acteur em Paris, Institut del Teatre da Universidade de Barcelona, na sede do grupo Dançando com a Diferença na Ilha da Madeira e em diversas unidades do Sesc situadas por todo Brasil dentro do circuito Palco Giratório. Atuou como organizadora, condutora e palestrante do curso “Experimentos em Performance II” realizado na UNESP em parceria com o Laboratório de Práticas Performativas da USP (2012). Estudou Improvisação para o Teatro na ASM – Actor Studio Montreal–Canadá, com John Sheridan. Dedica-se também as pesquisas e criações de suas performances solos, Amor [sem título] e Medéia, obra que fez parte da primeira edição do evento CCBB Música.Performance.

A terceira confusão foi uma má interpretação que fizeram da reportagem da Jovem Pan. E aí um perfil no Facebook de Priscila Toscano (só com um l) sofreu. Como ela havia colocado a palavra “professora” no perfil, sofreu diversos ataques online (até porque a artista já havia deletado o perfil na rede social). Tantos que escreveu a seguinte mensagem:

Pessoal. Como já é sabido por todos esse perfil era pra ser usado em postagens para os alunos. Irei excluí lo apenas pq tenho um outro que uso com mais frequência. Me adicionem no outro perfil (apagado o nome)

EU NÃO SOU A PRISCILLA DO MASP. Parem de atacar minha família e a mim. Nem sei quem é essa moça. Se informem, pois existem homônimos e mesmo assim o nome dela é com dois LL e por favor olha a foto dela… Eu sou muito, mais muito mais bonita!!!! Meus olhos são verdes, tenho tatuagens nos dois ombros, sou loira e nunca faria uma insensatez dessas!

Resumindo a informação: a pessoa que defecou na foto de Bolsonaro foi contratada, sim, pela Prefeitura de São Paulo. Porém, não é nem professora e nem vai dar aula de teatro para crianças como tem sido veiculado na internet. Boato.

Atualizado: Madeleine Lascko, locutora da Rádio Jovem Pan, entrou em contato com o Boatos.org para esclarecer algumas informações a respeito do texto. Segue o texto:

Você me conhece e poderia ter ligado. Sua informação está errada.

Sou uma profissional e não trabalho com informações de blogs e imaginação fértil.

Tenho os registros oficiais da passagem dessa moça pelo corpo docente da prefeitura de São Paulo, fornecidos pela Secretaria de Educação do Município e inclusive vídeos dela trabalhando na EMEF da qual foi exonerada em 2014.

Solicito a correção do seu texto. Caso precise da ajuda de um jornalista profissional para achar os registros, coloco meus 20 anos de carreira à disposição.

Muito desagradável você conhecer a gente, ter ido ao programa e sair difamando, dizendo que eu peguei num blog ou perfil uma informação desse porte.

Assim como apontamos informações erradas que circulam na internet, não temos problemas em admitir quando erramos. Porém, há alguns pontos a se destacar na mensagem para deixarmos tudo bem claro. O primeiro é que não apontamos que a matéria da Jovem Pan se baseou em blogs para veicular a informação (é só ler direitinho para ver isso no texto). O segundo é que, de fato, a informação de que ela não sido professora estava errado (já falamos o suficiente sobre isso acima). Por fim, o desmentido da matéria (e quem lê o Boatos.org sabe disse) se deu em cima da distorção da informação feitas por páginas de Facebook em cima da matéria da JP que dá a impressão de que “na sexta-feira ela deu aula, no domingo fez protestos e na segunda-feira voltou a salas de aula”.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)