MST destruiu fábrica de vacinas durante invasão #boato

Boato – Durante invasão em fábrica, MST destrói laboratório de desenvolvimento onde vacinas estariam sendo produzidas. 

Desde o início da vacinação contra a Covid-19 no Brasil, a falta de vacinas foi (e ainda é) um dos maiores problemas de todo o processo. As principais instituições de pesquisa do Brasil, a Fiocruz e o Instituto Butantan, precisaram pausar a produção de vacinas pela falta do ingrediente farmacêutico ativo (IFA).

A situação se tornou recorrente e com as inúmeras negativas de compra de vacina por parte do governo federal ainda em 2020, o país tem apresentado números não tão expressivos no processo de imunização.

Com isso, muita gente tem procurado por culpados. E sobrou até para o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) em publicações de caráter ambíguo. De acordo com uma história que está circulando nas redes sociais, o MST teria destruído um laboratório, em 2015, onde vacinas estariam sendo produzidas. Algumas publicações apontam que se trataria de vacinas contra a meningite. Confira:

Versão 1: “Lembrando que: MST ateou fogo no laboratório onde era produzida as vacinas contra a meningite”. Versão 2: “Quem lembra que o MST incendiou um laboratório de desenvolvimento de vacinas em 2015?”.

MST destruiu fábrica de vacinas durante invasão?

A informação, claro, caiu como uma bomba nas redes sociais, em especial, no Twitter, principalmente pelo seu caráter ambíguo. Entretanto, a história não passa de balela. Ao buscar pelo que realmente ocorreu, chegamos à verdade.

Para começar, basta olhar para as publicações para perceber que ela apresenta diversas características de fake news na internet, como o caráter vago, alarmista, os erros de português e a falta de fontes confiáveis. Além disso, a equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras fake news relacionadas ao MST.

Ao procurar por mais informações sobre a suposta destruição de laboratórios que estariam produzindo a vacina, não encontramos nada. Por outro lado, descobrimos que essa história, na realidade, surgiu de uma distorção de uma situação real.

Em 2015, um grupo de mulheres vinculadas ao MST ocupou o centro de pesquisa de uma fábrica de papel e celulose, em Itapetininga (SP). Na oportunidade, elas destruíram o viveiro de pesquisas e diversas mudas de eucalipto que faziam parte de um estudo de melhoramento genético.

Na época, o MST afirmou que a ocupação era parte de um protesto contra a liberação de uma variedade transgênica de eucalipto. Como é possível observar, o ocorrido não teve nada a ver com laboratórios de vacina ou com a destruição de imunizantes.

Em resumo: a história que diz que o MST destruiu uma fábrica de vacinas durante uma invasão é falsa! Ao procurar pela informação na internet, não encontramos nada sobre a suposta destruição da fábrica de vacinas por parte do MST. Depois de investigarmos, descobrimos que a história é uma distorção de um ocorrido real. Ou seja, a história não passa de balela.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3aIzl5T
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3w3sv3d
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3wa3LY1