Meninas adicionam pessoas ao jogo Baleia Azul no Facebook #boato

Boato – Cuidado. Preste atenção nas fotos da Aline Bezerros e da Gabriela Silva. Elas estão está colocando as pessoas no jogo Baleia Azul.

Leia também: Você sabia que foram notícias falsas que ajudaram a popularizar o jogo? Leia o nosso artigo de 15 perguntas e respostas sobre o jogo da Baleia Azul e acabe com o pânico e fascínio perante o jogo. 

Leia também: 7 boatos sobre a Baleia Azul que já enganaram pessoas que estão em pânico por causa do jogo. 

E lá vamos nós falar de mais uma “história da carochinha” relacionada ao jogo Baleia Azul. Desta vez, o boato envolve a grande ameaça de pessoas que estão entrando no Facebook e colocando as pessoas no jogo Baleia Azul.

De acordo com uma mensagem que tem circula no Facebook e o WhatsApp, a solução para o jogo Baleia Azul está próxima. Duas meninas no Facebook, Aline Bezerros e Gabriela Silva estão adicionando pessoas ao desafio. Leia o texto que circula online:

Gente Tome Cuidado Essas Mulhereres,ALINE BEZERROS e Gabriela Silva.Elas Estão Mandando Solicitações Para Todo Mundo No Face E Tão Colocando No Grupo Da Baleia Azul.. Nao Aceitem elas. (Quem Poder Compartilha)

Meninas adicionam pessoas ao jogo Baleia Azul no Facebook?

Sabe aquela história de uma mentira ser conta 1.000 vezes e se tornar verdade? O que está acontecendo é quase isso. As pessoas estão criando outras mentiras baseada nas primeiras. Vamos aos fatos.

Antes de falar da Gabriela e a Aline, precisamos entender duas coisas. A primeira é a falsa premissa de que você “passa” a participar do jogo Baleia Azul ao “ser adicionado a um grupo”. A coisa está correndo de forma tão distorcida na internet que estão achando que é isso que acontece: “alguém adicionou no grupo Baleia Azul. Agora eu tenho que me matar senão matam a minha família”. É claro que não funciona assim.

A segunda coisa está relacionada a falsa sensação de utilidade que uma mensagem dessa possa aparentar ter. Viralizar uma mensagem como essa vai ter como utilidade, no máximo, fazer com que as pessoas que enviam convites trocar o perfil fake por outro. Mas o que você deve fazer? Se a pessoa lhe incomoda, é só bloquear e denunciar o perfil.

Agora vamos ao terceiro ponto. Pessoas inocentes estão tendo a imagem exposta por causa desse alerta. Sim, porque é óbvio que Aline Bezerra e Gabriela Silva não são pessoas que existem. São perfis fakes que usam fotos reais de outras pessoas.

A “Gabriela” tem como foto utilizada a da cantora teen norte-americana Tiffany Alvord, uma rápida pesquisa no Google Imagens comprova a origem da foto. Já o caso da Aline é um pouco mais delicado, o perfil falso utiliza fotos de uma menina brasileira que teria o nome de Letícia Oliveira. Encontramos diversas imagens dela em site de banco de fotos para criação de fakes (Sim, isso existe!).

É aí que começam os problemas. O que poderia acontecer se uma pessoa desinformada encontrasse a pessoa que está tendo a sua imagem utilizada no fake? Provavelmente, uma discussão. Mas o que aconteceria se dez pessoas desinformadas a encontrasse? Talvez até uma tragédia.

Então, vamos recapitular para vocês. 1) Não é assim (recebendo um convite no Facebook e depois sendo obrigado a se matar depois) que funciona o Baleia Azul; 2) O fotos de pessoas inocentes estão sendo utilizada pelos fakes. Muito cuidado para não condená-los. 3) Se você se sentir incomodado por qualquer perfil do Facebook, é só bloqueá-lo. Caso alguém te ameace pessoalmente, vá até a polícia.

Em tempo: um engraçadinho (número com DDD 99) tentou adicionar o número do Boatos.org a um grupo do WhatsApp chamado “Baleia Azul”. Fizemos o seguinte: 1) agradecemos o convite e avisamos que vamos repassar o número dele para uma Delegacia de Crimes Cibernéticos; 2) Printamos a imagem do grupo com o número de telefone dele; 3) Saímos do grupo. Viram como é simples acabar com a brincadeira.

PS: Esse artigo foi uma sugestão de diversos leitores via Facebook e WhatsApp. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook ou WhatsApp, no telefone (61) 99331-6821.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)