Mulher é devorada por piranhas no Rio Negro (Pará), no Maranhão, em Paulo Afonso (BA) e Tangará (MT) #boato

Boato –  Uma mulher morreu após ser atacada por piranhas. Vídeo mostra o resgate do corpo. Há relatos de que o caso ocorreu no Rio Negro (Pará), no Maranhão, Paulo Afonso (Bahia) e Tangará da Serra (MT). 

O verão acabou oficialmente no dia 20 de março de 2019, mas o tempo quente segue em diversas cidades do país. E o calor é um convite aberto para programas em piscinas, no mar ou em rios.

E para aqueles que gostam de nadar, o cuidado é sempre redobrado, especialmente pelo risco de afogamentos e ataques de animais. E segundo uma história que anda circulando nas redes sociais, é muito importante manter a atenção para cardumes de piranhas.

De acordo com publicações que viralizaram na internet, uma jovem teria morrido após mergulhar em um rio e ser atacada por piranhas. Encontramos diversas versões da história. Há relatos de que o caso ocorreu no Rio Negro (Pará), no Maranhão, em Paulo Afonso (BA), em Tangará da Serra (MT) e outras cidades. A mensagem é acompanhada de uma foto da jovem e de imagens do resgate do corpo (que não iremos publicar aqui).  Confira mensagens:

Versão 1: “RIO NEGRO NO PARÁ MULHER SE DIVERTINDO MERGULHANDO, DA TERCEIRA VEZ QUE FOI PULAR NÃO RETORNOU”. Versão 2: “Mulher é devora por piranhas em tangará da Serra Mato Grosso”. Versão 3: “Essa é a mulher que foi atacada por piranhas na Cidade de Paulo Afonso ( Bahia )”. Versão 4: Essa menina foi comida por piranhas no Maranhão.

Mulher foi devorada por piranhas no Rio Negro (Pará), Maranhão, Paulo Afonso (BA) e Tangará da Serra (MT)?

O vídeo que acompanha as publicações possui imagens fortes e deixou muita gente assustada. Mas será que toda essa história de ataque em diversas cidades do Brasil é verdade? A resposta é não e os detalhes você confere a seguir!

Vamos lá! Para começo de história, as publicações seguem aquele velho roteiro de fake news na internet: são vagas, alarmistas, possuem erros de português e não citam nenhuma fonte confiável para checagem.

Resolvemos fazer uma busca em veículos de comunicação locais nas cidades que foram mencionadas nas publicações, mas não encontramos nada. Vale ressaltar que o próprio número de versões da mesma história já é motivo suficiente para deixar uma pulga atrás da orelha. Afinal, mesmo que a mulher tivesse sido atacada por piranhas em uma das situações descritas, em todos os outros casos seria boato.

Ao procurar pelo vídeo, descobrimos que (infelizmente) ele é real e o corpo resgatado, de fato, pertence à jovem que aparece nas publicações. Porém, a história sobre o ataque de piranhas é completamente falsa.

O caso ocorreu na cidade de Novo Aripuanã (AM), no dia 18 de março de 2019, e causou comoção no município. O vídeo mostra o momento do resgate do corpo da jovem Xaiane Freitas, de 16 anos. E, de acordo com informações locais, ela estaria brincando de pular no rio quando caiu na água e desapareceu. Não há nada sobre ataques de peixes. Ela simplesmente (e infelizmente) se afogou.

É importante destacar que os próprios familiares de Xaiane, entre eles o pai da garota (que aparece desesperado ao fundo do vídeo do resgate), estão pedindo para que as pessoas parem de compartilhar as imagens do resgate. Confira um vídeo gravado em redes sociais.

Vale ressaltar que compartilhar esse tipo de material é considerado crime e está tipificado no Código Penal brasileiro. Além disso, o compartilhamento do vídeo pode causar grande dano emocional à família da vítima, que fica revivendo um momento de dor intensa.

Em resumo: a história que diz que uma jovem foi atacada por piranhas é falsa! O vídeo, de fato, mostra o resgate da jovem que aparece nas publicações, mas a história não tem nada a ver com ataque de piranhas e com os locais (Rio Negro (Pará), Maranhão, Paulo Afonso (BA) e Tangará da Serra (MT)) mencionados nas mensagens. Além da história ser boato, as pessoas que estão replicando o vídeo estão cometendo uma infração penal. Sendo assim, nunca compartilhe esse tipo de material (vídeo ou foto). Até a próxima!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:

6 comentários em “Mulher é devorada por piranhas no Rio Negro (Pará), no Maranhão, em Paulo Afonso (BA) e Tangará (MT) #boato

  • 28/03/2019 em 19:57
    Permalink

    O local do fato ocorrido pode até ser falso, mas sobre ela ter sido devorada por piranhas com certeza não é falso. Que Deus conforte essa família por passar por um trauma tão grande como esse!

  • 28/03/2019 em 08:02
    Permalink

    Acho que se ela só tivesse se afogado, o corpo estaria apenas inchado pela absorção de água, e não completamente deteriorado como vimos nas imagens. Creio que há algo que não foi mencionado nesse artigo, a água em si não deixaria só os ossos, a menos, que a água fosse extremamente ácida, que não é o caso, já que haviam mergulhadores nela.

  • 26/03/2019 em 23:38
    Permalink

    Mas, se ela afogou-se, o que causou a deterioração completa do corpo??? Até onde conheço a voracidade das piranhas que lá habitam, é típico e plausível que isso tenha ocorrido.

    • 27/03/2019 em 17:41
      Permalink

      Claro que ela foi atacada por um cardume, ta na cara, isto nao foi boato, só piranhas conseguem devorar um corpo desta forma! Das duas uma ou ela estava mergulhando no rio ou caiu na água
      por acidente e neste ultimo caso porque nao voltou a superfície? Havia um cardume próximo e com a agitação
      as puranhas foram até ela, Lamentável o ocorrido, que sua família encontre conforto e consolação.

  • 26/03/2019 em 23:28
    Permalink

    Ok!

  • 26/03/2019 em 16:03
    Permalink

    O cadáver que foi retirado está praticamente irreconhecível, se ela se afogou e não teve ataque de piranhas, como explicar o corpo totalmente mutilado.
    Faltou informar este detalhe que é importante.

Fechado para comentários.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)