Jornalista ganha prêmio Paulo Freire por errar frase na bandeira do Brasil #boato

Boato – Uma jornalista da CNN que errou frase na bandeira do Brasil ganhou o prêmio Paulo Freire de jornalismo.

Infelizmente, o Brasil é um país onde o racismo e o machismo velados (às vezes, explícitos) ainda imperam. Isso fica mais latente quando episódios que envolvem mulheres negras resultam em massacres na internet. Nesta semana, tivemos mais um exemplo disso. Um erro (assim como muitos erram) virou o “fim do mundo” entre grupos de direita nas redes sociais.

Depois de errar a frase na bandeira do Brasil durante um comentário na CNN, a jornalista Basília Rodrigues começou a receber inúmeros ataques na internet. O lapso, devidamente admitido, corrigido e desculpado, não foi perdoado por muitas pessoas (inclusive, algumas que já erraram feio em redes sociais).

A partir daí, começou o ataque a outra figura. De acordo com mensagens, a jornalista seria a ganhadora do “prêmio Paulo Freire”. Outras versões apontavam que ela iria ganhar o tal prêmio de ensino. Leia algumas das mensagens que circulam online:

Versão 1: Reporter CNN ganha prêmio máximo de ensino PAULO FREIRE Versão 2: Vencedora do prêmio de ensino Paulo Freire! Essa representa o descrédito da imprensa brasileira. #ImprensaLixo #BolsonaroNoPrimeiroTurno Versão 3: Chile e Equador não ficam na América do Sul. A frase da bandeira do Brasil é independência ou morte. Vencedora do prêmio Paulo Freire de ensino.

 Jornalista ganha prêmio Paulo Freire por errar frase na bandeira do Brasil?

A história se espalhou muito na internet. Só que, em diversos níveis, a história é repleta de informações falsas. As críticas em relação à jornalista são exageradas, há uma ilação em relação a Paulo Freire e não há prêmio algum envolvido. Vamos, primeiro, falar da parte “conceitual” da balela. Ela parte de alguns pressupostos falsos.

O primeiro é sobre a “educação de Paulo Freire”. Para quem não sabe, Paulo Freire foi um educador muitas vezes perseguido pelo regime militar durante a Ditadura (isso motiva o ódio de conservadores). O maior feito de Paulo Freire foi criar programas de alfabetização para pessoas que não teriam oportunidade de ler e escrever. O ódio a Paulo Freire, o fato de a esquerda o valorizar como um ícone da educação e missão dele fizeram com que se criasse uma falsa teoria de que “a burrice das pessoas se dá por conta da educação de Paulo Freire”.

O segundo erro é apontar que a repórter que teve o ato falho sobre a frase na bandeira do Brasil é uma má profissional. Atos falhos à parte que acontecem quando se fala ao vivo (outro dia uma comentarista foi atacada por falar que Margareth Thatcher era norte-americana), Basília Rodrigues é considerada uma das melhores repórteres de política do Brasil no momento. Não é porque alguém errou uma frase (que foi corrigida) que deixa de ser eficiente.

Dito isso, vamos ao cerne da história. Não teve “prêmio Paulo Freire” algum à jornalista em questão. Há, de fato, um prêmio de jornalismo (voltado ao segmento da educação) com este nome. Como mostra esta página, a jornalista da CNN não foi contemplada.

Resumindo: os ataques à jornalista da CNN por um erro ao vivo são exagerados (para não dizer maldosos), o pressuposto sobre Paulo Freire está errado e não procede a informação de que ela é vencedora de um prêmio com o nome do educador.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo siteFacebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3uwu4ra
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet